Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Outros: Morar em SP

Vim trabalhar em SP há uns 6 anos atrás. Como todos diziam que o trânsito por aqui é infernal, optei por alugar um quarto num apto próximo ao trabalho.

O proprietário do apto era um cara legal, bem atencioso e simpático. Constantemente ao retornar do trabalho, eu o encontrava com algum amigo. O que me chamava mais atenção era que esses amigos sempre eram jovens. Bom, a vida é dele.

Tomava meu banho e ia preparar alguma coisa para comer. Normalmente oferecia também para ele em retribuição ao que já tinha oferecido anteriormente. Sempre nos demos bem e sempre evitava ficar com ele quando tinha companhia. Ia para o quarto e assistia TV até dormir.

Um dia acordei de madrugada com maior vontade de dar um mijão. Levantei, fui ao banheiro, entrei e lá estava ele e um garotão trepando debaixo do chuveiro. Na hora fiquei sem saber o que fazer, pedi desculpas, disse que foi mal mas que não estava aguentado de vontade de mijar. Os dois responderam que não tinha problema e deram uma parada, observando eu mijar, mijava e parecia que não acabava nunca. Quando terminei de mijar, fui para o quarto mas no maior tesão em ver aquele molecão fudendo o proprietário do apto.

No dia seguinte, quando voltei do trabalho, ele disse que precisava conversar comigo. Eu já imaginava o que seria, pedi um tempo para ir tomar banho e trocar de roupa e fui para a sala para conversar. Sem rodeios ele abordou o assunto do que eu tinha visto. Disse que curtia garotão e que topava tudo nas brincadeiras. Respondi que não me incomodava em nada só que não estava acostumado. Foi quando ele perguntou se eu também curtia macho. Respondi que não mas que tinha  ficado no maior tesão quando vi a cena. Foi então que perguntou se eu gostaria de participar de algumas brincadeiras. Disse que não tinha experiência e que se tivesse que acontecer, preferiria que fosse com um carinha mais velho, tipo uns 30 anos, que soubesse cuidar bem gostoso de um macho. Na hora respondeu: - Vou ver e te aviso. Achei que fosse brincadeira e fomos jantar.

Numa 6ªF chego no apto e ele esta com 2 pessoas. Um garotão moreno e um cara de uns 30 anos. Como o carinha de 30 anos estava de bermuda, reparei que tinha pernas bem peludas. Ele me apresentou os dois, conversamos um pouco e depois de um tempo, fui tomar banho e ao retornar ele já tinha preparado um lanche para nós 4. Terminamos de lanchar, fomos para sala e o proprietário do apto puxou o garotão pelas mãos e começou a abraçá-lo e beijar. Ficamos sentados. Waldemir (fictício o de 30 anos) estava do meu lado e colocou a mão na minha perna. Mal ele tocou e meu pau começou a babar de tesão.

Waldemir alisava devagar minha perna e foi subindo até chegar no meu pau. Acariciava bem gostoso. Enfiou a mão dentro do meu shorts, deu risada e disse: Babão como eu gosto. Relaxei e deixei ele abaixar meu shorts e começar a lambem meu pau. Rapidamente ele estava pelado e lambia meu pau, meu saco, arrancou meu shorts e camiseta, me deitou no sofá e começou a me lamber inteiro, dos pés até o sovaco.

O tesão era demais, foi quando o proprietário do apto pediu para irmos todos para o quarto dele, numa cama king size. Os 4 já estavam pelados e agora podíamos observar os corpos de cada um. Reparei que o garotão moreno tinha uma vara enorme. O proprietário do apto um pau bem pequeno e Waldemir um pau médio, mas daqueles que ficam sempre durasso.

Eu e o garotão deitamos na cama, enquanto Waldemir e o proprietário se deliciavam com nossos paus e sacos. Sem eu esperar, o molecão que estava do meu lado, me puxa e me dá maior beijão. Não esperava mas o tesão agora aumentou. O garotão beijava muito gostoso. Proprietário continuava a mamar o molecão e Waldemir lambia meu saco. Levantou minhas pernas e enfiou a língua no meu cu.

Eu estava num tesão violento e sentindo aquela língua, fui a loucura. Como reparou que não fiz resistência, enfiava sem parar a língua e passava o dedo, logo mais o dedo estava entrando no meu cu. O proprietário colocou o molecão de ladinho para que continuasse a me beijar e deitou atrás dele, tentando penetrá-lo. O moleque só dizia: Vai com calma, isso é cu de macho.

Puta loucura que estava rolando, foi quando Waldemir se posicionou atrás de mim, apoiou minhas pernas nos ombros dele, dava uma engolida no meu pau e passava o pau dele pelo me cu. Sentia que ele cada vez insistia mais em colocar o pau no meu cu, mas meu tesão era tanto que nem me importava com o que estava rolando. Ele segurou minhas pernas e começou a bombar bem na entrada, bem devagar. Fingi que não estava gostando e pedi para ele parar, ele deu risada e disse que só iria colocar a cabecinha. O molecão passou a me acariciar mais ainda e me beijava sem parar. O proprietário veio pelo outro lado e começou a me chupar os mamilos, eu estava com 3 machos cuidando de mim. Foi quando Waldemir percebeu meu tesão e foi enfiando a vara até entrar tudo. O moleque me beijava e dizia: Vai meu machão, sente essa vara gostosa no seu cu. Agora Waldemir já tirava e enfiava a vara em mim sem a menor dó, quando Waldemir estava todo suado mas ainda sem gozar, tirou o garotão do meu lado e se deitou junto a mim me beijando e me chamando de putinho gostoso. Nisso o molecão já engolia meu pau, chupava meu saco de maneira maravilhosa, bem melhor que Waldemir. Quando se posicionou atrás de mim, eu já sabia o que iria acontecer. Não demorou muito e também e começou a me enfiar o pau e dizia: Waldemir, que cu gostoso esse putinho tem, você deixou prontinho, meu pau entra e sai sem fazer esforço, e enfiava aquele pauzão em mim. Eu tava louco de tesão.

Agora os 3 já faziam tudo o que queriam comigo, foi quando o moleque disse: Vou encher esse nosso novo viadinho de leite, vamos fuder muito ele, será nossa putinha. E me fudia sem parar. Senti aquela vara crescer e aquele leite quente inundar meu cu.

Depois que me encheu de leite, chamou o proprietário para ver a vara dele todinha dentro do meu cu, mal arrancou a vara de mim, o proprietário começou a lamber o leite que escorria e também chupou muito meu cu. Meu tesão não parava, foi quando o Waldemir se levantou, me puxou para beirada da cama e enfiou o pau na minha boca, mandava eu manter a boca bem aberta, sem encostar os dentes no pau dele, fudeu muito minha boca e enfiava o pau até a garganta, sem avisar, encheu minha boca de leite, tentei me livrar dele e ele deu um tremendo tapa na minha cara e disse: Você já é nosso viadinho, engole essa porra para não apanhar mais. Engoli o que ainda tinha na boca, ele se deitou na cama e mandou eu chupar a vara dele até deixar limpinha. Nem me lembrava mais de quem estava no quarto com a gente e obedecia tudo o que Waldemir mandava fazer.

Quando me deitei ao lado dele, ele se virou para o proprietário e disse: Prontinho, nós (ele e o moleque) fizemos o combinado. Você já tem um viadinho novo no apto para oferecer para seus amigos. Foi ai que fiquei sabendo que o dono do apto tinha chamado os 2 para que cuidassem de mim e me fizesse virar o viadinho deles.

Fiquei muito puto com a situação e só pensava em ir embora daquele apto mas é difícil mudar assim. No final de semana o dono do apto veio conversar comigo, explicou que quando me viu pela primeira vez, ficou encantado com minhas pernas grossas, braços fortes, jeito de carinha de interior e que ninguém desconfiaria que curtia machos. Disse que já tinha dado várias bandeiras que curtia sexo com macho, mas que eu nunca deixava transparecer nada até que rolou o lance no banheiro e, que depois que conversou comigo na ocasião, bolou um jeito para me fazer trepar de todos os jeitos. Disse que explicou para o molecão e Waldemir o que pretendia fazer comigo e eles toparam pois assim, sempre teriam mais um para abusar quando quisessem. Falou que seu eu quisesse me mudar de apto, sem problemas mas se ficasse, ele iria me apresentar vários amigos, mas que eu teria que topar tudo o que rolasse.

Explicou que conhecia vários caras "casados" que sempre estavam a fim de algo rápido. Respondi que não sabia o que faria, ele mandou eu analisar direito e que na mesma noite ele traria 2 casados que estavam a fim de brincar. Claro que pensei muito durante o dia inteiro e a noite ainda estava no apto. Dessa vez vieram 2 coroas estranhos, para não dizer feios. Mal chegaram e já vieram em cima.

O proprietário deu uma mão, nos levou para o quarto e conduziu as brincadeiras. Descobri rapidamente que eu precisava controlar a situação ou sempre iria me ferrar.

Bom, mas essa é outra historia. Nessa noite, depois que os coroas foram embora, o proprietário veio e me jogou uma grana, disse que a partir de agora eu não pagaria mais aluguel e ainda iria receber uns trocados. Fui descobrindo os lances, sei que ele ganha muita grana agenciando encontros entre machos e oferecendo apto para putarias (já participei de várias).

Já fazem 2 anos que moro no mesmo apto e sou muito feliz. Sempre tem gente nova para eu conhecer, alguns interessantes, outros nem tanto mas, a vida em SP vale a pena.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente