Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Outros: Reforma ou Limpeza ? Trepada sempre rola

Há uns 4 anos atrás, aproveitando o desaquecimento do mercado imobiliário, resolvi comprar imóvel para fugir do aluguel, mas queria permanecer próximo do local aonde estava residindo. Depois de pesquisar bastante, concluiu que seria melhor optar por um sobrado onde a relação custo X benefícios seria melhor.

Foram muitas visitas até que resolvi por um sobrado, geminado de um lado mas com garagem para 2 carros, 3 quartos e um bom quintal nos fundos. Negócio fechado, precisava agora dar uma "renovada" no sobrado e um colega do serviço indicou 2 empreiteiros que, segundo ele, eram excelentes. Combinei com os caras e no fds fomos até o sobrado para que orçarem o que eu queria fazer e dar prazo para conclusão. Chegamos num acordo e combinamos data para iniciar.

Quem já passou por reforma conhece bem: Já que, comigo não foi diferente. O ja que começou a vigorar e, o que era para ser concluído em 3 meses já estava entrando no sexto mês. Claro que comecei aficar irritado e pegar no pé dos caras. Foi quando eles propuseram trazer mais uma pessoa para ajudar e fizeram outra mexida no orçamento. Concordei e logo mais pintava Jailson para ajudar.

Quando o conheci, chamou a atenção o fato de ser bem diferente de empreiteiros que até então eu conhecia. Cabelo bem cortado, roupas bem no estilo sertanejo e, sempre usava luvas para trabalhar, juntamente com bermudas bonitas e camisetas cavadas. Não era um galã mas um tipo bem interessante. Ele sempre simpático, sorridente, logo pintou simpatia mútua entre nós. Quando ele disse que tinha filho de 15 anos, fiquei pasmo. Ele não aparentava ser o tipo "paizão" e jovem para um filho dessa idade. Disse que teve filho aos 17 anos. Depois fiquei sabendo que, depois de todo esse tempo, a esposa estava novamente grávida.

A reforma continuou e quando estava próxima ao fim, perguntei a eles se conheciam alguém para dar uma  limpada geral no sobrado para eu me mudar para lá. Responderam que iriam pesquisar e depois me responderiam. Passado uns dias, Jailson veio conversar e disse que a esposa poderia fazer a faxina mas que seriam necessários uns 3 dias. Respondi que 3 dias não seria o problema mas, o fato dela estar grávida me preocupava. Jailson respondeu que não teria problema pois ele estaria junto auxiliando a mulher principalmente nos itens mais pesados. Concordei e quando entregaram o sobrado, combinei com Jailson para vir com a esposa.

No dia combinado, fiquei aguardando para prover o material que seria necessário. Quando chegaram, fiquei espantado, a esposa dele era bem jovem e muito clara, destoava do estilo meio jambo dele, mas, vimos tudo o que seria necessário, peguei algumas coisas no meu antigo apartamento e comprei o restante. Como prometido, Jailson pegou pesado e separava tudo o que poderia ser descartado, acumulando na garagem. Lavava azulejos, ajeitava plantas do quintal do fundo, lavava as janelas. Quando terminaram faxina, Jailson disse que tinha muitas coisas na garagem e que eu precisava removê-las para ele concluir limpeza. Disse que tentaria ver se coletor de lixos levaria no fds. Ele se prontificou a vir e me ajudar. Concordei e sábado cedo esperamos a coleta. Quando chegou, Jailson conversou com o  pessoal, abriram portão da garagem e colocaram tudo no caminhão.

Fiquei contente, agora não tinha mais tranqueiras. Depois Jailson lavou a garagem e meu carro. Quando terminou, foi até a lavanderia se lavar e se preparar para ir embora. Quando eu entrei na lavanderia, Jailson estava só de cueca e se lavando no tanque. Disse para ele que poderia tomar banho. Inicialmente não queria mas insisti e ele acabou concordando. Ele estava tomando banho e me caiu a ficha, Como iria se enxugar ? Fui até a porta e perguntei para ele como faria. Ele perguntou se eu poderia pegar a toalha que ele tinha na mochila. Fui buscar e ao abrir a mochila vi que ele tinha revista de homens pelados. Dei uma folheada rápida, peguei a toalha e levei para ele. Pela porta avisei que já tinha trazido e ele respondeu que a porta estava destrancada e se eu poderia levar a toalha para ele para que não molhasse o banheiro.

Entrei e lá estava ele peladinho, de costas, se enxaguando. Dei uma observada e, sem saber onde colocar a toalha, fiquei parado olhando. Ele se virou e disse que já iria terminar. Reparei que, embora fosse do tipo mignon, tinha poucos pelos no corpo, pernas musculosas e peito meio sarado. Ele fechou a água, abriu a porta e pediu a toalha. Entreguei e continuei a observar ele se enxugando. Conversamos algumas baboseiras e resolvi arriscar perguntando se ele não tinha receio da esposa ver a revista que ele tinha na mochila. Ele deu risada e respondeu que se a mulher descobrisse, a casa cairia. Ela não aceita de jeito nenhum.

Continuei no assunto e questionei porque ele mantinha esse tipo de revista com ele. Foi quando ele respondeu que tinha se casado muito cedo. Teve filho, mas com o tempo o sexo foi esfriando. Um dia, reformando uma casa, rolou algo entre ele o dono da casa e pintou o interesse dele nesse tipo de relacionamento. Comentei que nem dava para perceber que ele curtia e ele respondeu que é fundamental manter a discrição. Ele não trocaria a vida de casado dele por um cara mas que depois que começou a transar com carinhas, a vida de casado dele tinha melhorado muito, a própria mulher tinha reparado na mudança e, depois de tanto tempo de casados, ela estava grávida novamente.

Conforme conversávamos, ele enxugava muito a região do pau que já estava durasso. Claro que também fiquei no tesão e de pau duro, mas não sabia que banda Jailson tocava. Sem que eu esperasse ele me questionou se eu já havia me relacionado com homem. Respondi que sim. Até então, estávamos sendo bem formais e educados na conversa.
Ele foi direto e perguntou: O que vc curte ?
Respondi que curto de tudo, entre 4 paredes e no sigilo, podemos fazer tudo o que der tesão para ambas as partes mas que eu adoro ser chupado, sinto maior tesão em ter o carinha mamando meu pau, com a bundinha virada para o meu rosto para que eu possa chupar o cuzinho do cara enquanto sou mamado.
Na hora ele respondeu: Cara, que delicia, adoro fazer isso.
Fiquei na duvida se ele adorava mamar ou chupar cuzinho.

Agora já falávamos abertamente. Quando ele saiu do box, eu o segurei pelo braço, passei a mão nas costas dele e alisei a bundinha dele.
Disse: Cara, você tem uma bundinha maravilhosa.
Ele deu risada e respondeu: Safado, tá querendo me fuder.
Pronto, tinha se entregado, abracei Jailson e meti um beijão nele, que correspondeu na hora e muito bem. As caricias foram se intensificando, meu pau não parava de babar de tanto tesão e mostrei para ele: Veja como você me deixou.
Jailson: Que delicia, babão como eu adoro, abaixou minha bermuda e começou a lamber a baba. Não demorou e já estava lambendo virilha, saco. O tesão estava demais, saímos do banheiro e fomos para o quarto, arranquei toda a roupa e começamos a nos esfregar. Como o sobrado estava vazio, ele colocou a toalha no chão, pediu para eu deitar, veio por cima, virou a bunda para meu rosto e começou a mamar meu pau. Entendi o recado. Adorei ver aquela bundinha linda e sarada próxima do meu rosto e meti a língua no cú dele. Jailson mamava meu pau, gemia muito e rebolava a bunda. Cuspia no meu pau e depois lambia tudo.

Ele se levantou, colocou a bunda no meu rosto, e começou a esfregar aquela bunda deliciosa em mim, eu metia a língua como dava e ele pedia.
Jailson: Chupa meu macho, chupa gostoso o cuzinho da sua putinha, quero meu macho me arregaçando. O tesão era tanto que eu não via hora de fudê-lo. Depois de um tempo ele veio, pegou cuspe e passou no cuzinho e no  pau. Como se fosse cavalgar, começou a colocar bem devagar  o cuzinho no meu pau. Dava umas mexidas, tirava a bundinha e começava tudo novamente, mas sempre lubrificando com baba da própria boca. Eu estava com tanto tesão que escorria um monte de baba do meu pau.

Jailson: Isso meu macho, deixa bem lubrificado para entrar tudo no meu cu, quero que você me arregasse. Voltou a cavalgar bem leve e senti que a cabeça do pau já tinha entrado no cuzinho dele.
Jailson : Puta, que delicia, tá entrando.
Sentia o pau arder um pouco  mas não queria que ele parasse.
Eu: Vai meu viadinho, vai enfiando essa vara do seu macho nesse seu cuzinho lindo.
Jailson: Meu macho, me fode, e rebolava e enfiava bem devagar aquele cuzinho até que entrou tudo. Ele sentou, disse que estava tudo dentro. Começou a mexer bem devagar e depois intensificou movimentos. Eu estava maluco de tesão, conforme ele acelerou movimentos, peguei no pau dele e comecei a punhetá-lo.
Jailson : Caralho, que delicia meu macho, fode sua putinha.
Quando senti que estava prestes a gozar, mandei ele rebolar mais: Vai minha putinha, mexe essa bunda linda que seu macho vai te encher de leite.

Senti meu pau crescer dentro do cu dele, ele delirava de tesão intensifiquei a punheta nele e gozamos juntos. Jailson deu uma gozada enorme, os jatos de porra caíram sobre mim e no meu rosto. Ficamos parados, ofegantes, ele tirou o cuzinho do meu pau, deitou do meu lado e começou a me fazer carinhos. Adorei sentir aquela mão calejada passar no meu rosto e peito.

Jailson: Cara, foi muito bom, estava precisando muito disso.
Eu: Também adorei, pena que só agora aconteceu, poderíamos ter curtido muito durante a reforma.
Jailson: Basta me avisar que apareço para te ajudar no que precisar.
Dei risada e disse que agora eu sabia qual ajuda ele iria precisar.
Ele se levantou e disse: Você nem imagina a vontade que fiquei de engolir seu pau outra vez mas sujou na nossa brincadeira.
Foi então que eu reparei que meu pau estava sujo de merda. Ele me chamou para tomarmos banho, pegou a toalha e fomos para o banheiro. Entramos no box e ele disse que iria cuidar de mim. Começou a me ensaboar e disse: Meu macho branquelo peludo, tô no maior tesão por você.
Quando ele começou a ensaboar meu pau, comecei a dar um mijão. Ele se abaixou e pediu para mijar na boca dele Continuei a mijar e ele pegava o mijo que saia da boca e passava no rosto.
Jailson : Caralho, que mijo delicioso, mijo de macho mesmo.
Terminamos o banho, ele me enxugou. Nos vestimos e ele perguntou quando eu iria mudar para o sobrado. Respondi que estava pesquisando transportadora para mudança e foi quando ele disse que tinha amigo que poderia fazer minha mudança e que ele poderia ajudar. Pedi para ele ver preço e me avisar.

Na semana seguinte ele me ligou e passou preço. Muito abaixo de tudo o que eu já tinha pesquisado. Ele garantiu que o pessoal era de confiança e que poderiam fazer a mudança quando eu quisesse. Respondi que precisava acabar de embalar as coisas no antigo apartamento mas que toparia no próximo sábado, mas que teria que ser entre 9h e 12h, horário que o prédio autoriza mudanças. Ele combinou com conhecidos e depois me confirmou. Pediu o endereço do apartamento, passei para ele. Ele perguntou se eu não precisava de ajuda para embalar as coisas. Dei risada e respondi que estava quase tudo pronto mas que seria legal ele aparecer para constatar se estava bom como eu fiz.

Ele apareceu na mesma noite e, é claro, nada de ver arrumação, mas trepamos muito gostoso. No sábado cedo, o pessoal da mudança chegou e ele junto. Colocaram toda mudança no caminhão e fomos para meu novo endereço. Como o apartamento era pequeno, com armários embutidos, a mudança era pequena e não demorou para ser feita. Depois de colocarem os objetos no sobrado e montarem os móveis, paguei o pessoal. Na hora que o pessoal ia embora, Jailson avisou os colegas que iria ficar para me ajudar a dar uma ajeitada geral.

Mal o pessoal foi embora, entramos no sobado e já começamos a nos agarrar. Fomos para o quarto, que agora já tinha cama, joguei um edredron em cima e partimos para putaria. Adoro trepar com Jailson.  Cara macho, não  dá pinta que curte e vira uma putinha na cama. Trepamos muito, adorei fudê-lo de frango assado, de quatro. E ele sempre querendo e pedindo mais vara. Depois de umas três horas fudendo sem parar, tomamos banho, nos vestimos e Jailson me levou num barzinho onde eles almoçavam quando reformaram minha casa. Almoçamos e, para meu espanto, Jailson não deixou eu pagar a conta. Disse que aquela conta era dele e que depois eu o recompensaria.

Tivemos uma tarde super-agradável e foi quando Jailson me perguntou se eu já tinha contratado faxineira. Respondi que não e ele fez a proposta de eu contratar a esposa dele como diarista. Ela poderia vir aos sábados e ele viria junto. Enquanto ela cuidava da casa, ele poderia ajudá-la cuidando do quintal. Respondi que seria ótimo mas eu estava preocupado com a gravidez dela. Na hora ele respondeu que não teria problema, que ele faria toda parte pesada para ela. Respondi que iriamos testar então e, caso ela não se sentisse bem, poderia parar sem nenhum problema. Tudo acertado, no próximo sábado lá estavam os 2 cuidando de tudo. Providenciei tudo que a diarista precisava e fiquei no quintal "ajudando" Jailson.

Claro que rolava putaria deliciosa entre nós. Aquela sensação de podermos ser pegos, aumentava nosso tesão. Trepamos de várias maneiras, fizemos muitas putarias e eu adorava estar com eles em casa. A esposa dele cuidava da casa e preparava o almoço para nós. Acredito que nem passava pela cabeça dela que eu sempre fudia o marido dela. Quando o bebê nasceu, pensei que Jailson iria sumir por um tempo. Qual nada, no sábado lá estava ele para ajudar na limpeza da casa mas, uma surpresa, pela primeira vez ele trouxe o filho mais velho.

O garotão é um tesão de moleque, tem o tipo físico do Jailson mas branquinho como a mãe. Jailson mostrou a casa para o filho, mostrou onde estavam os produtos de limpeza e o moleque começou a trabalhar. Fomos para o quintal e, claro, trepamos gostoso mas eu estava com muito mais tesão imaginando o filhão dele. Depois que trepamos, questionei Jailson se ele não tinha receio do filho nos pegar no flagra. Respondeu que era um risco que teríamos que correr. Questionei se o filho desconfiava que ele trepava. Ele deu risada e disse que não. Perguntei o porque da risada e ele me respondeu que já tinha pego o filho trepando com um amigo. Conversaram a respeito e que o filho tinha entendido que o lance era algo natural da idade dele.

Aquilo me deixou no maior tesão, aquele moleque delicioso também curtia trepar. Estava receoso mas resolvi perguntar: - Você ficaria bravo se eu trepasse com ele?
Jailson respondeu que não, mas que eu teria que me preparar pois o filho dele era ativo. Respondi que na hora do tesão, vale tudo.
Jailson disse para eu ir com calma e que teria que ser bem discreto. Teria que ser um dia que o filho dele estivesse sozinho em casa e que eu precisaria conversar muito com o moleque para que ele não viesse a nos prejudicar depois.
Respondi que estava muito a fim do moleque e Jailson ficou de acertar as coisas para o próximo sábado. Ele iria com o filho para minha casa mas teria que ir embora por ter outro serviço para fazer. E foi assim que no sábado seguinte as coisas aconteceram. Eles chegaram, o moleque se trocou, começou a limpar a casa. Dei umas pegadas com Jailson que logo foi embora e fiquei sozinho com o garotão. Claro que precisei pensar num jeito de entrar no assunto e a primeira providência foi ir tomar banho com a porta aberta. Percebi que o moleque passou várias vezes e espiava. Sai enrolado em toalha, fui para o quarto, fiquei pelado e simulei estar procurando roupa no armário.

O moleque pintou na porta, puxei papo e vi que ele se animou. Fiquei de pau duro e comecei a pegar no meu pau. O moleque deu risada e disse que eu estava no maior tesão. Aproveitei e perguntei se ele também estava. Na hora, segurou no pau e respondeu: Olha para você mesmo ver. Me aproximei dele, coloquei a mão no pau dele por cima da bermuda e respondi que não dava para ver, só para sentir. Ele colocou o pau para fora e perguntou se eu tinha gostado. Respondi que adorei, na hora ele pediu para mamar. Cai de boca, chupei bem gostoso o pau dele. pedi para ele deitar na cama, arranquei a bermuda dele e comecei a fazer tudo o que Jailson fazia comigo. O moleque delirava e não demorou a começar a dizer que se eu quisesse ele poderia ser meu macho. Fingi preocupação e respondi que tinha receio dos pais dele descobrir. Ele respondeu para eu não me preocupar.

O FDP era mais ousado que o próprio pai. Me abraçou e disse: Quero que você seja minha putinha, quero te fuder bem gostoso. Nem se deu ao trabalho de esperar eu responder, me colocou de bruços na cama e disse que iria me fuder muito. O moleque é muito bom, chupou meu cú, colocou travesseiro embaixo para minha bunda ficar posicionada, deu cuspidas no meu cu e começo a me fuder. Nada de carinho, fudia muito, sem dó alguma. Quando enfiou a cabeça do pau no meu cu, pedi para parar que estava doendo muito.
Moleque: Fica calmo viadinho, vai doer um pouco, mas logo você se acostuma com a vara do seu macho e não parava de continuar enfiando aquela vara deliciosa em mim. Sentia o pau do moleque me rasgando, a dor era muito e implorava para ele parar, que eu não estava aguentando.
Moleque: Cala a boca, você pediu e vai ter vara, muita vara, quero esse seu cuzão peludo  arregaçado.
Senti aquela vara todinha dentro de mim, parecia que iria sair pelo outro lado e o FDP  fudia sem dó. Depois de um tempo, tirava o pau todinho para fora e enfiava todinho de uma só vez. Sentia dor e tesão em sentir aquele macho novinho me fudendo. Intensificou movimentos e senti aquela vara crescer dentro do meu cu, depois senti aquele leite quente me inundar todinho. Caralho, esse fdp me fudeu como nunca tinha fudido o pai dele.

Depois que terminou de gozar, soltou o corpo sobre o meu e disse: Seu cu tá todo arregaçado, do jeito que eu gosto. Preciso terminar a arrumação, depois te fodo mais.
Se levantou e, mesmo sem se limpar, colocou bermuda sem a cueca e disse: Daqui a pouco te fodo novamente, não goza.

Fui para o banheiro, expeli a porra na privada, dei uma limpada. Peguei um shorts coloquei e fui para cozinha. Fiz algumas coisas e, sem esperar, o moleque apareceu e me agarrou por trás e disse: Vou te fuder novamente. Sentia aquela vara dura na minha bunda, meu pau babando e o tesão voltando. Ele colocou a vara para fora, mandou eu chupar e deixar molhadinha para me fuder.

Depois que mamei bastante, ele me levou para sala, mandou eu deitar no braço do sofá. Abriu minha bunda, examinou meu cu, enfiou o dedo e disse: Caralho, você tá com cu todo  arregaçado. Veio por trás e ja começou a enfiar a vara em mim. Dessa vez não doía como na primeira vez e ele comentou: Caralho véio, esse seu cu adora vara, e meteu sem dó até gozar e me deixar cheio de leite novamente. Quando terminou, eu estava indo para o banheiro e ele disse que não, para eu colocar o shorts e ficar com a porra dele no meu cu. O jeito agressivo dele destoava totalmente do jeito do pai, sempre educado.

Fiz o que ele pediu e ele mandou eu ajudar ele terminar a limpeza. Pensando em me livrar logo dele, fui ajudá-lo e ele toda hora passava e me encoxava, batia na minha bunda e me chamava de viadinho. Não estava curtindo esse lance e procurava uma desculpa para que ele não voltasse mais. Por volta das 14h, Jailson apareceu. Deixei entrar, conversamos rapidamente e ele foi conversar com o filho. Depois de um tempo retornou e me disse: Cara, quer dizer que rolou mesmo, você é foda, tem o pai e filho agora. Fiquei pasmo, o filho já tinha contado para Jailson que tinha me fudido. Chamei Jailson para o quintal e conversei com ele. Expliquei que realmente tinha rolado entre o filho dele e eu e que o filho dele era só ativo mesmo mas muito rude, eu estava arregaçado, e ainda com porra do filho dele no meu cú. Jailson deu risada e me disse : Cara, você se acostuma logo mas quero que você faça o mesmo comigo, adoro sexo mais pesado, curto apanhar. Respondi que não tinha rolado tapas com o filho dele. Ele respondeu que logo mais rolaria. Foi quando questionei como ele sabia. Ele respondeu que sempre teve papos abertos com o filho. O filho dizia o que curtia com caras e ele,Jailson, depois experimentava nas trepadas ou seja, pai e filho sabiam de tudo o que rolava no sexo deles com outros caras.

Perguntei se ele já tinha trepado com o filho e respondeu que não, por mais tesão que tivesse, tinha receio de estragar o relacionamento deles mas que eles sempre falavam muito de sexo. Foi então que ele me explicou que já tinha percebido que eu curtia levar vara mas que ele, Jailson, não curtia fuder macho. Curte dar não comer. Foi então que conversou com o filho e explicou o que rolava entre nós e o filho veio preparado para me fuder. Disse que o filho também curte levar vara mas que eles tinham combinado que o moleque deveria só me fuder, não deveria dar. Fiquei meio puto com Jailson mas ele estava certo, curto levar vara também mas de forma mais calma.

Já fazem quase dois anos que continuo a trepar com o Jailson e o filho separadamente. Já consigo fazer o moleque me fuder com mais calma e, de uns meses para cá, ele já topa beijar e me mamar, logo mais quero fudê-lo, assim que conseguir, relato para vocês.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente