Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Outros: Delicia mesmo é fuder o namorado da minha mãe

Sou filho de mãe solteira e moramos num bairro afastado de SP. Desde pequeno, estou acostumado com ela saindo cedo de casa e só voltando a noite. Isso sempre foi bom, assim ela não fica pentelhando com coisas de escola e limpeza de casa. A coisa só piorava nos fds quando ela estava de folga.

Ela começou a sair com um carinha mais jovem que ela e logo mais, ele já estava instalado em casa. Vive de bicos e nem sempre tem o que fazer. Normalmente fica só de bermuda em casa e reparei que, embora seja lisinho na parte de cima, tem pernas bem peludas e torneadas de jogar bastante futebol.

Sempre que volta da rua, principalmente depois de tomar brejas, toma banho e fica deitado no sofá, só de cueca, vendo TV e alisando o pau. Não sei se faz por tesão ou se para ver se me animo. Aquelas pernas peludas, volume do pau e bunda arrebitada me davam tesão, mas sempre tive receio de arriscar algo e ele dedurar para minha mãe.

Foi quando bolei um plano: conheço cara que adora levar vara. Comecei a trazer o carinha para casa e, sempre que Samuel (namorado da minha mãe) chegava, eu levava o cara para o quarto e encostava a porta. Claro que colocava o cara para mamar e gozava gostoso, mas sempre pensando em Samuel.

Samuel logo percebeu que estava rolando algo e sempre que eu ia para o quarto com o cara, passava um pouco, ele inventava uma desculpa e batia na porta perguntando alguma coisa. Eu colocava bermuda, sem cueca e com pau durasso a vista, abria a porta e respondia. Samuel logo começou a dar sinal de interesse. Agora quando batia na porta, ele já estava só de cueca e com pau duro. Um dia, quando ele bateu na porta, não me vesti e, pelado,  fiquei escondido atrás da porta e abrindo só um pouco respondi o que ele estava perguntando. Claro que ele percebeu e perguntou se eu estava muito ocupado, respondi que estava no meio de um papo com o cara. Ele respondeu para não demorar que queria falar comigo quando terminasse. Foi quando eu disse que terminaria mais rápido se ele ajudasse.

Ele deu risada e me disse que toparia mas que precisava ficar em segredo. O FDP queria trepar mesmo. Abri a porta e ele viu o cara e eu pelados. Ele foi para minha cama, deitou, colocou o pau para fora e começou a bater uma punheta. Disse para ele ir com calma, não gozar que o cara iria cuidar de nós. Foi a dica e o cara caiu de boca na vara do Samuel.

Eu estava mesmo era a fim do Samuel e não do cara, enquanto Samuel era mamado, passei gel no cu do cara e enfiei a vara sem dó nenhuma daquela bunda arregaçada. O cara delirava de tesão, mamando uma vara e levando vara no cu. Não demorou e o cara gozou muito. Mandei ele se arrumar e ir embora. Samuel pediu para o cara esperar e fazer ele gozar. Respondi que não, o cara tinha que ir embora e depois resolveríamos a parada.

Levei o cara até a porta, agradeci o trabalho que fez no Samuel (desde o começo ele sabia que minha intenção era essa), tranquei a porta e voltei para o quarto, onde Samuel ainda estava deitado na cama batendo punheta. Fui até perto da cabeceira e, sem falar nada, comecei a bater punheta perto do rosto dele. Ele olhou e pediu para eu tomar cuidado para não gozar nele. Nem pensei muito e pedi para ele engolir minha vara.
Samuel: Não cara, não curto esse lance.
Eu: Só da uma chupada leve, ninguém vai saber de nada.
Samuel: Não cara, você é o filho da minha namorada.
Eu: Vai lá, só uma chupada, depois também te chupo.
Samuel: Mas vai ser rapidinho, ninguém pode saber de nada.
Eu: Tranquilo, fica só entre nos 2.
Samuel se ajeitou na cama e começou a chupar a cabeça do meu pau.
Samuel : Pronto, chega.
Eu: Só mais um pouco, por favor.
Samuel: Cara, eu nunca fiz isso, é minha primeira vez.
Sabia que estava mentindo mas fiz que acreditava e insistia: Só mais um pouco.

Quando Samuel voltou a dar outra chupada, segurei a cabeça dele e pedia para ele engolir tudo. Ele fingia que estava engasgando e eu gemia e dizia: Cara, você é muito macho mesmo. Agora sei porque minha mãe adora você, e fazia ele balançar a cabeça me chupando bem gostoso. Alisei bastante o rosto dele, passei a mão no corpo dele e disse para ele deixar eu deitar com ele na cama. Ele se ajeitou e deitei ao lado dele.

Quando tentei dar um beijo ele disse que não, que não curtia beijar homem. Fingi que não escutava e comecei a beijar o pescoço dele, fui para os mamilos, barriga, abri as pernas dele, chupei a virilhas e saco bem peludo. Quando comecei a lamber a cabeça do pau dele, ele gemia e delirava de tesão, lambi bastante a cabeça do pau dele e estendia as lambidas em direção ao saco. Aquele macho peludo delicioso não parava de gemer de tesão e fui estendendo as lambidas em direção ao cuzinho dele. Não demorou e cheguei ao cuzinho. Reparei que ele não colocava resistência e levantava as pernas facilitando a chupada no cuzinho.

Samuel estava totalmente entregue. Comecei a passar meu pau na bundinha dele, alternando com chupadas no cu dele. Prontinho, agora sabia que iria fudê-lo. Coloquei as pernas dele no meu ombro e passava meu pau na bunda dele e dava umas paradinhas no cuzinho dele. Quando ele esboçava alguma reação de sinal de desistência, eu me jogava sobre ele e chupava os peitinhos deles. Sentia que ele gemia de tesão ao ter os mamilos chupados e aproveitava para tentar encaixar meu pau no cu dele, mas a posição não favorecia meu pau entrar no cu dele. Não pensei muito e, depois de mamar os peitinhos dele, fui e dei um baita beijo nele. Ele simulou um pouco de resistência mas começou a retribuir.

Logo mais estávamos nos beijando no maior tesão.
Samuel: Por favor, não comenta com ninguém o que está acontecendo entre nós.
Eu: Será nosso segredo.
Peguei a baba na minha boca, passei no cuzinho dele e comecei a colocar meu pau naquele cú peludo delicioso. Samuel: Vai bem devagar, nunca dei.
Claro que eu sabia que era mentira mas entrei no jogo e respondia.
Eu: Fica tranquilo, relaxa, vou cuida bem desse cuzinho maravilhoso que você tem.
Brinquei gostoso na entradinha do cu dele e percebi que agora ele abria o cu como se pedisse para enfiar vara.
Comecei a dar umas estocadas mais fortes e a cabeça do meu pau entrou.
Samuel: Cara, tá doendo muito, para, tira.
Eu: Calma, relaxa, vou te comer com carinho.
Samuel: Não cara, tá doendo muito.
Quanto mais ele reclamava, mais eu enfiava a vara nele. Até entrar tudo.
Eu: Pronto, agora é só relaxar, já está tudo dentro, logo a dor vai passar e você só vai sentir tesão.
Eu: Está doendo?
Samuel: Um pouco, vai devagar.
Foi a dica para eu começar a bombar. Fui bem devagar no começo e intensificando movimentos.
Eu: Esta doendo ? Tá gostando ?
Samuel: Dói só um pouquinho mas está delicioso.


Fudi muito o Samuel e depois de um tempo ele disse: Caralho, seu pau tá crescendo no meu cu.
Eu: Isso, vou te encher de leite.
Quando comecei a gozar Samuel disse: Isso, fode sem dó, enche de leite esse cuzinho e começou a se punhetar.
Dei uma gozada deliciosa e, em seguida ele gozou muito.
Quando terminamos, deitei ao lado dele. Ele me abraçou, me beijou e disse: Foi a melhor gozada da minha vida.
Dei risada e disse que tinha sido bom mas que as próximas seriam melhores pois agora não tínhamos mais que disfarçar.


Samuel veio com papo que nunca tinha trepado com macho, que tinha sido a primeira experiência dele. É o tipo de papo que não curto e na hora respondi.
Eu: Cara, sei que está mentindo, seu cú não tem nem mais pregas, você já trepou muito. Curti muito trepar com você, mas para continuarmos você tem que parar com esse papo furado. Disse que não beijava macho e se comportou como putinha comigo. Assuma que você curte macho. Não precisa dar bandeira. Continua trepando com minha mãe. Seja macho com ela e depois te faço ser minha putinha na cama. Samuel respondeu que não gostou do que eu disse para ele. Se levantou e foi embora do quarto.

Ficamos quase uma semana só trocando palavras formais. Resolvi trazer o cara para fuder e, quando Samuel viu o cara chegar, me chamou e disse que não achava legal aquilo. Respondi que estava a perigo, já que ele estava me evitando, eu iria fuder outros caras. Qual não foi minha surpresa quando ele respondeu: Manda ele embora que fico com você. Na hora falei para o cara ir embora. Não gostou muito, mas foi e eu sabia que quando desejasse eu o traria novamente para fuder. Mal o cara saiu, fui para o quarto, fiquei pelado, deitei na cama e chamei Samuel.

Ele veio só de cueca, deitou junto comigo e disse: Vou cuidar do meu macho.
Começou a me beijar, chupar meu pau, me lamber. Mandei ele virar a bunda para meu rosto e, enquanto ele mamava meu pau, eu chupava o cuzinho dele. O cara é um tesão e chupar aquele cu peludo me deixou louco de tesão. Agora Samuel estava se liberando todinho para mim. Mandei ele cavalgar no meu pau. Nem me dei ao trabalho de lubrificar o cu dele e lá estava Samuel enfiando minha vara no cu e cavalgando como uma puitnha.

Peguei o pau dele e batia punheta leve para ele. Quando senti que estava para gozar, intensifiquei a punheta no pau dele que percebendo pedia:
Samuel: Vai meu macho, enche meu cu de leite.
Eu: Vai minha putinha, rebola essa bunda gostosa para seu macho.
Samuel demonstrou que adora vara e rebolava a bunda sem parar. Quando gozei, ele começou a gemer e deu uma senhora gozada. O jato foi tão forte que veio parar até no meu rosto. Foi quando ele veio e começou a lamber toda a porra que tinha caido sobre mim. Puxei ele pelos cabelos e fiz que me beijasse com porra na boca.
Eu: Lambe gostoso a porra e me beija.
Samuel obedecia, pegava a porra, colocava na boca, me beijava e transferia aquele porra para mim. Adorei sentir o gosto da porra dele na minha boca. Depois da transa, Samuel pediu para eu parar de fuder os caras, que ele seria sempre meu viadinho gostoso. Adorei ouvir aquele macho, que fode minha mãe, dizer que era meu viadinho.

Já fazem dois anos que Samuel mora em casa. Não sei se ainda fode gostoso com minha mãe mas comigo cada dia está melhor. Já fizemos um monte de coisas malucas. Até calcinha da minha mãe ele já colocou para eu fudê-lo. Tenho maior tesão em trepar com ele, mas há algo que me preocupa. Minha mãe tem comentado que tem vontade em ter outro filho e tem que ser logo antes que envelheça. Não sei se o pai seria o Samuel mas, se acontecer, nossas vidas pode complicar um pouco. Uma coisa é trepar com macho da minha mãe. Outra coisa seria trepar com pai do meu irmão. Sei lá, vamos aguardar e ver o que acontece. Enquanto isso continuarei a fuder Samuel.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente