Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Outros: Hetero arrombado

Era uma noite de domingo e eu havia acabado de chegar de viagem. Estava com um amigo no carro e ele me deixou em uma rua próxima ao meu prédio, na época, que por sinal, ficava a uma rua da rodoviária. Eu carregava apenas uma mochila e voltava quando um rapaz de altura mediana, branco, com um corpo sarado vira a esquina. Ele estava aparentemente "alegre" e carregava uma garrafa de uísque. Gentilmente, ele me pergunta as horas, eram aproximadamente nove. Triste, ele diz que perdera o último ônibus para seu destino, BH, que fica a duas horas de Divinópolis, cidade onde moro.

Começamos assim a conversar. Ele me contou um pouco de sua vida, disse que tinha uma namorada e que lhe dava tesão comer duas mulheres. Até então eu ouvia as histórias como quem não quer nada. Demos algumas voltas pelas ruas e paramos em uma praça que estava praticamente deserta. Nos sentamos e ele começa a alisar o pau por cima da calça, me olhando. Eu já estava gostando. Não parecia ser um pau tão grande, mas chamava a atenção.

Ele me pede pra pegar. Fiquei meio assustado, mas a essa altura já estava num tesão da porra. Comecei a alisar o pau dele, que já pulsava. Fomos para um terreno baldio próximo e punhetamos gostoso até que ele gozou. Continuamos nossa caminhada e paramos numa rua muito movimentada da cidade. Fomos para uma espécie de vala, muito escura e continuamos a putaria. Já tava louquinho pra provar aquele hetero, que já tinha desligado o celular após constantes ligações da namorada. Para minha surpresa, o cara vira o cuzinho pra mim e me pede pra meter. Na mesma hora, dei uma cuspida no meu pau e enfiei até o talo de uma vez. Senti ele tremer de dor. Soquei gostoso, com força, com raiva. Era um cuzinho delicioso, quente.

Em seguida, me deitei por cima de algumas folhas e fiz ele sentar. O puto cavalgava, pedindo pra eu socar com força naquele rabo guloso, que engolia meu pau. Após alguns minutos, dei uma esporrada gostosa naquele cú, enchendo ele de leite. Após nos vestirmos, saímos e eu o levei até a rodoviária, onde ele pegou um ônibus que o levaria até a metade do caminho. Não trocamos contato, o puto não queria que a namorada desconfiasse e eu também não me importei, já tinha ganhado o que queria.

Nunca mais o vi, sequer sei seu nome. Mas valeu a experiência. Ele ainda deve estar dando muito aquele rabo guloso por lá.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/from2



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

27/01/2016 01:47:39 - Comer a bunda do hetero foi muito legal principalmente quando é assim decidido na hora h, muito legal esse conto gostei muito.

26/01/2016 19:12:03 - q. delicia. me deu tesão este conto. hummmm abraços...

26/01/2016 11:19:30 - Adoro qdo rola do cara se dizer hetero e da gostoso adorei seu conto

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente