Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Sexo Anonimo: Dando no Cinema em SP

Sempre tive certo preconceito e receio em relação aos cinemas pornôs do Centro de São Paulo, geralmente de aspecto decadente. Mas, tudo mudou quando conheci um de verdade, em questão o Cine Aurora, na Rua Aurora. É um lugar limpo, arejado, com boa ventilação. Vários ambientes com filmes heteros e gays. Cabines com glory holy e salas escuras, onde a putaria rola solta.

Conheci o cinema numa tarde, dei uma volta e vi um cara de estatura mediana se punhetando, um pinto de uns 17 cm, grosso, duro. Me olhou com olhar piedoso.... passei por ele e entrei em uma cabine, com poltrona acolchoada. Sentei e tirei o pau dele da cueca. Comecei uma chupetinha bem lenta e sincronizada. E fui aumentando o ritmo, chupando a cabeça, depois as bolas... ele quase gozou, mas parou e me levantou. Me colocou de costas e abaixou minha bermuda. Colocou camisinhas e enfiou aquele pau grosso e duro.

Na hora vi estrelas, ele foi indo devagar e me rasgando. De vez em quando pedia para parar, mas logo retomava. Ele sussurrava dizendo que era melhor que uma buceta... fiquei maluco, ele gozou e gozei junto. Foi maravilhoso. Me vesti e fui embora assustado.

No dia seguinte, voltei querendo mais. E um coroa de pau médio me seguiu assim que entrei no cine. Fui para a mesma cabine e deixei a porta aberta. Ele entrou com o pau pra fora, super duro. Mal comecei a chupar e ele pediu para me comer. E não demorou para gozar, gemendo como nunca vi antes. Mas não gozei.

Dei uma volta e na sala escura percebi uma movimentação, vários caras gemendo, respirando ofegante. Um clima de sexo no escuro. Perdido, sentei em uma cadeira e procurei ouvir, já que não se via nada. Logo um pinto chegou perto de meu rosto... entendi a mensagem e comecei a chupar. O gemido dele atraiu mais dois caras, que fizeram o mesmo. Eu chupava um e punhetava dois, e fui fazendo assim. Logo um pediu para gozar na minha boca, a vontade era grande, mas cauteloso não permiti, e ele gozou no chão, incentivando um segundo a gozar. Logo todos sumiram e saí da sala, um pouco cansado e sem gozar, decidi ir embora.

No caminho para a saída, vi um cara batendo punheta e me olhando. Desviei o caminho e passei ao lado dele, que apertou minha bunda e sussurrou em meu ouvido "quero te comer como se come uma mulher".... minhas pernas tremeram e respondi, "então venha comer" e fui em direção a cabine.

Ele entrou e foi me encoxando, dizendo que a partir daquele momento eu seria sua putinha e ele meu macho. Empurrou minha cabeça contra seu pau e mandou eu chupar, o que fiz prontamente. Ele gostava de boquete, e chupei por um tempão. Quando pedi para descansar - minha boca estava exausta - ele aproveitou e pediu que eu tirasse toda a roupa. Fiz e subi na poltrona ficando de quatro, deixando tudo aberto para meu macho. Ele vestiu a camisinha, me segurou pela cintura e lentamente foi metendo aquela pica suculenta em minha bundinha.

Ele respirava como um animal no cio. E ficou bombando ritmadamente, consegui relaxar e espantar a dor... mas, não demorou muito e ele deu urrou anunciando o gozo, e apertou minha bunda com as duas mãos enquanto enchia a camisinha de leite.

Estas foram minhas experiências no Cine Aurora, que em breve repetirei.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/nao



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

06/07/2016 18:02:07 - Sou virgem mas adoraria ser arrombado por um negão dotado a força

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente