Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Sexo Anonimo: A caminho do hospital

Eu sai de casa cedo hoje pra ir pro hospital em que trabalho. Camisa e calça social Slim, bolsa na costa... Subi no ônibus não muito cheio, e ao entrar percebi um certo olhar em minha direção, que até então não era nada demais, exceto pelo fato do único lugar do ônibus que me coube foi justamente do lado do cara que me encarava. Ali estava aquele rapaz muito simpático do meu lado esquerdo, um pouco mais alto que eu, de camisa azul e calca jeans. Eu estava com a mão esquerda segurando a bolsa e com a direita me segurando.

Quando olhei ele desceu o olhar pelo meu corpo e parou olhando fixo para minha calça, e ali ele manteve o seu olhar fixo. Involuntariamente meu pau começou a ficar duro, não consegui controlar, e quanto mais tentava me controlar, mais o volume na calça aumentava... fica difícil esconder algo de 20 cm sem ser notado.

É claro que ele percebeu! Eu não tinha como esconder! Ele estava com as duas mãos pra cima se segurando, porem ao ver meu pauzinho crescer ele baixou a direita e colocou o dedão no bolso deixando a palma para trás. Eu percebi mas fiquei na minha. E seu olhar continuava fixo lá em baixo, exceto quando me olhava. Eu me fiz de besta... Rs. A mão dele começou a encostar no meu braço!

Eu percebi o que ele queria e então como por acidente em uma freada do ônibus me virei um pouco de lado e a palma da sua mão encostou em meu pau durão feito pedra. E lá deixei por alguns segundos e então me afastei. Ele sorriu! Fingi que não tava vendo.

No meio da viagem ele se aproximou mais de mim. Eu deixei. Meu peitoral ficou encostando na sua costa e deixei ele sentir minha respiração. Ele fechou os olhos. A essa altura já tinha entrado de vez na onda. Me virei um pouco de lado de novo, aproveitando que o ônibus agora estava lotado e então ele se afastou um pouco pra trás pra sentir meu pau na sua perna! Eu, como quem não queria nada, encostei meu queixo no ombro dele rapidamente. Ele fechou o olho de novo.

Encostei a minha mão q estava segurando a bolsa na lateral interna da coxa dele e fiquei acariciando. Ele se empurrava pra trás... encostava sua bunda no meu pau, esfregando lentamente. A essa hora já sentia meu pau deslizar na cueca de tanta baba.

Acredite, não vi a o hora passar, e então, quando me dei conta já havia chegado ao meu destino, dei o sinal e desci do ônibus sem nem olhar pra trás.

Infelizmente ele não estava no mesmo ônibus no dia seguinte...

Se eu espero encontra-lo de novo? Ainda pego o mesmo ônibus todo dia só na esperança de terminar essa brincadeira.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

04/09/2016 00:25:37 - Belo conto.

01/09/2016 21:41:15 - adorei o conto se for maior de 30 anos me apaixono

01/09/2016 20:49:20 - Este relato me lembra um carinha que morava no mesmo bairro que eu e trabalhava perto de mim. Todos os dias pegávamos o mesmo ônibus 4 vezes por dia e rola um lance semelhante. Nunca trocamos uma palavra. Mas todos os dias havia tinha esse acoxamento no onibus pela manhã, meio dia quando ia almoçar, quando voltávamos para o turno da tarde e à noite.

01/09/2016 13:56:10 - muy bueno el relato. Me dejó excitado.

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente