Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Sexo Anonimo: Primeira vez começou no ônibus

Desde muito cedo percebi que gostava de homens. Ainda criança ficava impressionado com as formas dos músculos masculinos. A pior tortura era viver num mundo hetero sem nenhuma abertura e referência no meu cotidiano do mundo gay. Para piorar eu era extremamente tímido. Por muitos anos , fiquei no armário e minha sexualidade trancada na gaveta.

Certa vez saí com primos e amigos pra um passeio ao zoológico. Era férias e na volta pra casa pegamos um ônibus muito cheio. Não havia lugar pra sentar. Foi quando senti que por força das circunstâncias alguém encostando em mim. Nas curvas e freadas nossos corpos se roçavam. Percebi que algo muito diferente acontecia pelo calor que tomou conta de mim. Algo duro e quente pressionava minha bunda.

Nem precisei olhar pra trás pra saber que era um homem. Eu devia ter uns 20 anos. Não soube o que fazer naquela situação. Um misto de medo e desejo, afinal meus amigos estava por perto. Mas como eu não reagia o cara foi ficando mais ousado e não precisou da desculpa dos movimentos do ônibus pra roçar o pau duro na minha bundinha empinada. Eu fiquei excitado e isso me deixou envergonhado, mas o ônibus lotado não me dava outra opção a não ser aproveitar aquilo que nunca tinha sentido.

O homem colocou uma das suas mãos sobre a minha onde eu me segurava no ônibus, colou seu corpo totalmente colado no meu, enfiou uma das suas pernas entre as minhas e senti seu nariz muito perto do meu ouvido. sua respiração excitada me levou a um estado tal que agradeci intimamente por morar longe e saber que aquilo iria durar. Havia um senhor sentado na cadeira próximo ao corredor e minhas pernas encostavam na dele. Lógico que ele percebeu o que se passava.

Segurou no apoio da cadeira à sua frente esticando o braço um pouco arqueado pro meu lado de forma que ele pudesse sentir o meu pau duro roçando no seu braço. Que loucura e que delícia. Mas subitamente comecei a me dar conta que o ônibus estava menos cheio e que eu estava visivelmente excitado com dois homens encostados em mim. Comecei a olhar em volta pra ver a situação. A mulher sentada junto à janela cochilava. As pessoas em volta estavam alheias ao que se passava comigo. Podia sentir a rola dura passando de um lado a outro na minha bundinha sedenta. Chegou a parada Central onde todos os conhecidos desceram e eu que morava mais distante fiquei no ônibus. Mas estava vazio agora e não podia mais ficar naquela posição sem que todos percebessem. Fui sentar numa cadeira vazia e o cara sentou ao meu lado.

Foi logo dizendo : vamos descer na próxima parada? quero terminar o que começamos . Era uma sugestão mas meu desejo tomou aquilo como uma ordem. Ao ver que eu não me decidia ele pegou minha mão e levou ao seu cacete duro como uma rocha. Não queria perder aquela oportunidade. Minha voz nem saiu de tão nervoso mas eu disse sim. Ele levantou, deu sinal de parada e se dirigiu até a porta. Fui atrás. Descemos e fui seguindo-o . Andamos um pouco em silêncio e ele alisava o pau duro olhando pra mim com a cara mais safada que eu já tinha visto. Chegamos a um terreno cheio de árvores e devo ter feito uma cara de pavor pois ele segurou no meu ombro e disse. Fica tranquilo eu moro aqui perto e conheço este lugar.

E prometo cuidar de você. Mesmo assustado fui com ele. Havia muitas árvores e ele me levou pra trás de uma. Foi logo abrindo a calça e colocando o monumento pra fora. Pega, disse ele. Ao segurar aquele pau me transformei. Iria perder a virgindade. O pau já tava babando. Ele colocou a mão nos meus ombros e me abaixou . Abri a boca e logo senti seu pau pulsando na garganta. Que gostoso ter um pau duro na boca e ouvir os gemidos do macho que eu chupava. Ele ritmava a entrada e saída da rola na minha boca. Levantou-se e arrancou minha camisa . Desabotoou minha calça e me deixou nu abaixando em seguida e colocou sua língua no meu cuzinho.

Chupou com sofreguidão e foi enfiando um dedo e depois outro. Tá gostando safado? Perguntou ele. Agora você vai ver o que é bom! Levantou-se e enfiou de uma vez a sua rola no meu cu. Se ele não estivesse me segurando teria caído. Joguei meu corpo pra traz e senti sua barba por fazer roçando meu pescoço. Enfiou a língua no meu ouvido. Vou gozar disse ele acelerando a foda e eu com todo aquele tesão gozei sem tocar meu próprio pau. Tirou a cacete melado de dentro de mim , virou-me e me deu um beijo molhado. Depois ajudou-me a me vestir e levou-me até a parada de ônibus pra eu continuar meu caminho até a minha casa. Ao subir no ônibus olhei pra ele que me lançou um olhar sacana como quem diz: vou te comer de novo safada. Assim perdi o meu cabaço.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/picaerola



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

13/12/2016 11:17:51 - Muito bom o conto. Excitante e bem escrito. Pareceu bem possível de acontecer. Já tive experièncias de homens excitados roçando em mim no onibus, mas nunca fomos às vias de fato. Infelizmente!!!

13/10/2016 21:48:25 - Tesão de conto. Fiquei doidão. Eu tb queria encontrar um carinha assim no busão.

12/10/2016 22:06:14 - belo conto bom

12/10/2016 21:18:34 - Bom conto! Fiquei com tesão.

12/10/2016 17:41:02 - tesao de conto gostosoque aproveitou bem levouleintinho n ocu, igual eu qdo coemcei a dar.enchiam meu cu tododia saudades..

12/10/2016 12:00:40 - adorei o conto perfeito com emoção e tesão cada detalhe bem escrito e me excitei com ele parabens

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente