Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Sexo Anonimo: Sexo com o caminhonheiro

Tenho 30 anos, sou negro, tenho 1,81m, 905kg e trabalho na área fiscal de uma industria química.

Fui escalado a trabalhar num domingo, para expedirmos cargas urgentes. Trabalhamos duro durante a manhã, para acabar logo o trabalho. Porém, ficou um caminhão ainda para carregar. Por volta as 15hs, o motorista, um gauchinho de 23 anos, olhos verdes, cabelos "queimados", mas meio loiro, barba por fazer, veio me questionar o pq da demora, e expliquei pra ele a situação. Ele entendeu e ficamos papeando, falamos de tudo, politica, culturas regionais, futebol, e e de repente começamos a falar de putaria.

Rafa (nome fictício) se comunicava bem, e ficou no guichê da fábrica, falando de suas peripécias sexuais. Sou casado, curto mulher, mas nunca dispensei uns amassos com outro macho. Papo vai, papo vc vem, Rafa diz:

- Adoro putaria de estrada, mas nada melhor que um cuzinho. Vc curte um cuzinho ??

- Claro, quem não curte !? Adoro um cuzinho - disse eu.

- No meu notebook tem uns videos meus da estrada, quer ver ??

Eu disse que sim, mas assim que ele se retirou pra buscar o notebook, ele foi chamado para entrar com o caminhão e carregar.

Foi buscar o caminhão, e veio adentrando a empresa, um caminhão bem bonito, modelo americano, com leito bem espaçoso. Fizemos os procedimentos, e ele foi carregar.

Enquanto isso, fiquei vendo putaria, alisando meu pau.

Após uma hora, ele sobe, realizamos os trâmites e dispenso ele. Ele disse:

- Te espero na cabine do caminhão pra vc ver os videos.

Esperei todo mundo ir embora, e depois de 20min, fui no caminhão dele.

Rafa estava com um short curto, camisa regata, sentado no banco do motorista, colocou o notebook no painel, e foi mostrando seus videos, com putas, e travestis (o que também adoro). Num certo video, ele ta de 4 dando o rabo, e tira rapidamente.

Insisti pra ele voltar o video e deixar eu ver, após relutar, ele mostrou.

Rafa estava dando pra um frentista na cama do caminhão.

Meu pau pulsou, comecei a alisar, apertar, e ele percebeu, veio alisando meu pau. Me chamou pra ir na cama, para ficarmos mais a vontade, fechou as cortinas, tirei os calçados e ficamos sentados na cama. Encostou em mim, alisando meu pau, e de repente começa a beijar suavemente meu pescoço. Joga o notebook no banco do motorista e me rouba um delicioso e suculento beijo. Beirava o romance.

Começamos a trocar caricias um no pau do outro, Rafa enquanto me beijava, me empurrava suavemente para deitar na cama. Tirei minha camisa, e ele veio beijando meu pescoço, peitos, bico do peito, barriga, e chegou no pau. Beijava, chupava, mamava, e lambia meu pau com maestria, delicadeza. Eu gemia, me contorcia.

Rafa puxa minha calça, tira ela, assim, abro mais a perna e ele chupa minhas bolas, enquanto me punhetava. Com a outra mão, procurou meu cu.

A sensação foi incrivel, um dedo no cu, lambendo minhas bolas, e me punhetando. Eu estava entregue. Rafa foi parando suavemente, subiu e meu deu outro beijo melado, delicioso.

Virei o jogo, fui pra cima dele, tirei seu short, camisa, chupei seus peitos, nossos paus se entrelaçavam, alisava seus cabelos, fui descendo, descendo, retribui a chupada no pau dele, mas queria mesmo era chupar seu cu. Ergui seus pernas, Rafa ficou em posição de frango assado, lambi muito, mas muito seu cu. Alternava entre lambidas e dedadas naquele cu liso, rosado.

Após muito chupar aquele cu, Rafa abre um compartimento no caminhão (onde guarda higiene pessoal) e tira uma camisinha, coloquei a camisinha, e de frango assado fui metendo, Rafa dizia:

- Olha nos meus olhos, deixa o pau entrar, olha nos meus olhos.

O pau entrando e sua carinha de safado e tesão me deixavam louco, comecei a bombar, e todo clima romantico se foi, comecei a ficar agressivo, bombar com força, ele gemia, pedia mais. Numa topada muito rapida, tirei meu pau, virei ele de bruços ele abriu o bumbum e fui metendo com mais força, ele rebolava, gemia, eu puxava seu cabelo, falava putaria em seu ouvido:

- Geme safado, rebola no meu pau.

Enquanto eu bombava, ele empinava o rabo pra tras. Tava uma delicia, até que comecei a urrar..., tirei a camisinha, e jorrei muita porra quente naquele bumbum branquinho. Eu estava desfalecido, Rafa se ajeitou, e ainda chupou e lambeu meu pau melado de porra, em seguida, me beijou. Beijo com porra quente, uma delicia. Me vesti, sai do caminhão, ja tava escuro, e fui embora.

Agora torço pra que ele volte. Quero de novo.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

24/10/2016 17:11:46 - Muito bom. Fiquei duraço.

24/10/2016 01:41:14 - Cara, gostei do conto. E como desejo ser enrabado por um caminhoneiro na boleia de seu caminhão!

23/10/2016 15:33:29 - obrigado pelo conto adorei e goetei e bom demais viu

23/10/2016 12:33:32 - oi bom dia

23/10/2016 12:11:16 - Negão, vc. deve ser uma delicia, queria eu poder transar com vc. amei seu conto,entre em contato. vc. vai gostar, adoro um negão ativo e safado, mas sou só passivo ok? abraços...

23/10/2016 11:07:13 - adoreio conto e ia adorar estar com vce

23/10/2016 01:06:45 - Porra! Fiquei de pau duro o tempo todo...

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente