Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Sexo Anonimo: Tomando no cu em Tangier!

Um amigo meu tinha me dito que sexo em Tangier era rampante, mas eu não tinha a mínima ideia que fosse tão rampante. Em toda sociedade dominada por homens, onde eles socializam entre si, comer o cu de um veado é naturalissimo.

Dizem que em Marrocos os homens casados muitas vezes tem uma bicha como amante. O mercado de pica é enorme. Quando estive em Tangier fui a uma casa de chá onde servem o famoso chá de hortelã. O local era totalmente frequentado por homens. Sentei-me numa mesa coletiva para 10 homens porque não existia mesa comum. No centro, um palco pequeno com um show de belly dancer sendo que o bailarino era um homem travestido.

Soube que os bailarinos são todos homens heteros e não homosexuais. O chá é trazido automaticamente logo que o cliente senta na mesa. Sentado ao meu lado, um homem parrudo, bigodudo, cara machissima. De repente sinto sua perna roçar na minha. Pensei que talvez fosse porque os assentos eram muito apertados. Afastei minha perna e de novo senti ele roçar. Será que ele estava querendo me pegar como homem? Para evitar um descalabro, coloquei minha mão no joelho. Ele sentiu minha reação de outra maneira. Segurou minha mão e puxou-a para sua rola que estava de fora e durissima.

Fiquei estupefato porque não esperava tal reação, mas continuei segurando seu caralho o qual diga-se de passagem era muito bom. De repente ele botou a rola para dentro das calças, levantou, bateu no meu ombro e fez sinal para eu segui-lo. Ele se dirigiu para um banheiro entrou num reservado e me chamou. Quando entrei ele ja tinha baixado as calças e sua pica estava com todo seu esplendor.

Geralmente antes de abocanhar uma rola eu faço uma verdadeira ode ao cacete, citando como a pica é bonita e dando beijinhos. Logo a seguir ajoelhei-me e fiz um boquete caprichado esperando beber seu leite. Mas ele disse que queria meu cu e me virando colocou aquela jeba maravilhosa todinha dentro de mim, só na base do cuspe. Fudia feito um touro e demorou muito para gozar.

Quando acabou, saiu sem dizer uma palavra, talvez porque não falasse inglês. Limpei a porra que estava escorrendo pelas minhas pernas e sai. Quando passei em frente da mesa ele estava sorrindo falando algo para os outros homens, talvez dizendo que tinha acabadp de comer meu cu. Dia seguinte fui visitar um amigo e comentando com ele o fato, este falou que era muito comum um homem comer um viado e que eles farejavam bicha, o que deve ter acontecido comigo. Meu amigo acrescentou que se eu voltasse para mesa provavelmente seria enrabado por todos eles...um por um.

Dia seguinte a conselho de meu amigo fui visitar um souk e comprar forros para almofadas. Ele tinha me dito que se eu tivesse sorte, e o dono da lojinha notasse que eu era bicha, me levava para atrás do estabelicimento e me daria a maior surra de pica. Os primeiros souks nada aconteceu. Mas no ultimo eu decidi apelar e falei para o vendedor que queria uma almofada boa para uma charmuta ( puta) como eu.

Ele me olhou de cima para baixo enquanto eu desmunhecava e disse que no fundo da tenda deveria ter algumas como eu gostava. La atrás ele tirou a rola para fora e disse: OK charmuta, não é isso que voce quer? O homem não tinha uma pica grande mas era grossisima e com uma cabeça gigante.

Passei 10 dias em Marrocos e tomei no cu diariamente muitas vezes dois homens por dia. Sai de lá com o cu em esfolado...mas valeu.

Não sei se Tangier continua como sempre. Isto aconteceu antes da crise do AIDS quando a gente podia tomar no rabo bareback e receber leite de pica no cu.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/Querotomarnocu



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

29/11/2016 17:29:03 - Corajoso vc. mas ja faz tempos né? abraços...

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente