Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Sexo Anonimo: Fodendo com contador

Segunda-feira pela manhã no escritório eu estava online num app quando chega uma mensagem. Fico puto com caras que sentem preguiça em escrever e já entram em contato apenas pedindo desbloqueio de fotos. Normalmente ignoro e deleto mensagens assim. Esse pelo menos deu um "bom dia" e liberou o acesso à suas.

Dei uma olhada, achei bacana e respondi com um "bom dia" também, liberando as minhas. Logo veio o retorno e conversando rapidamente descubro que o cara tem um escritório muito próximo à minha casa e, achando que eu estava na região, me contatou. Expliquei que estava no trabalho, distante do bairro, mas que estava logado na localização de casa. Conversamos rapidamente com a intenção de marcarmos algo pessoalmente quando houvesse uma oportunidade para os dois.

No sábado acordei cedo, como sempre com muito tesão, mas precisava dar um pulo na obra da futura casa. Tomei um banho e ao sair fiz login no app na esperança de cruzar com alguém disponível e a fim de uns pegas. Recebi algumas mensagens, mas nada promissor, muito blá, blá, blá como é comum nesses aplicativos.

A manhã passou rápida e na volta para casa resolvi enviar uma mensagem para o meu "vizinho" por saber que ele estaria no escritório trabalhando. Como ele não estava sozinho, disse que me chamaria mais tarde, assim que todos fossem embora.

Por volta das 16h chega uma mensagem dele perguntando se eu estaria a fim de ir até lá para uma brincadeira. Topei, claro, e em 10 minutos eu já estava em frente à porta tocando a campainha.

Não parecia o mesmo da foto. Tinha os cabelos raspados e estava usando óculos, um cara meio tímido, mas não menos interessante. Um pouco mais alto do que eu, corpo normal, usava calça de moletom, tênis e camiseta. Moreno-claro, olhos castanhos, sorriso carismático e contido, mas curti bastante.

Trocamos algumas palavras enquanto ele me apresentava o escritório, todo pintado, organizado e recém montado. Um sobrado bem tranqüilo e sossegado. Subimos para sua sala, imagino, e lá já começamos a nos beijar.

Se tem algo que me dá muito tesão é beijo bem dado e ele beijava bem pra caralho. E eu já sentia seu pau roçando no meu pelo tesão de ambos. O dele por sob o moletom e o meu sob a bermuda sintética de tecido fino.

Difícil era parar de beijar porque o beijo era um tesão, mas mesmo beijando, fui tirando sua camiseta (e ele a minha) e enquanto nossos peitos ficavam colados fui colocando a mão por dentro da sua calça e cueca à procura da sua bunda, de tamanho normal e durinha. Uma delícia e eu já sentia meu pau começar a babar.

Ele ajoelhou baixando a minha bermuda, colocou meu pau todo na boca e chupou, mas chupou tão bem que precisei pedir que parasse porque eu estava quase gozando. E não sou fácil de gozar com uma chupada.

Coloquei-o em pé e voltamos a nos beijar enquanto nos abraçávamos forte. Aí ele puxa uma cadeira, essas de escritório, com rodízios e braços e encosto alto, pede para eu sentar e fica de joelhos novamente para me chupar. Meu pau pulsava e eu fazia muito esforço para não gozar. O cara era um tesão e estava me tirando do controle. Deixei-o chupando por uns dois minutos, no máximo, aí levantei, beijei-o novamente e o coloquei de costas para mim.

O abracei por trás encaixando o meu pau entre suas coxas, beijando sua nuca. Ia puxando ele contra mim e passando a língua pelo seu corpo até chegar à orelha. Nessa hora ele começa a gemer tão gostoso que mais uma vez quase gozei sem precisar encostar no meu pau. E continuei com a minha língua em sua orelha, brincando e sarrando até ouvir dele um "me fode, cara!"

Peguei uma camisinha, coloquei-o curvado e apoiado na cadeira de costas para mim, fiquei de joelhos e dei uma boa linguada no rabo enquanto encapava minha rola. Chupei muito até deixar bem molhado com a minha saliva.

Fui colocando o pau devagar por ele ser apertado e meu pau um pouco grosso, mas depois que senti meus pentelhos roçando sua bunda e ele mais relaxado e gemendo, comecei a meter. Fui aumento a intensidade conforme ele gemia e pedia para ser fodido. Não demorei muito a pulsar e gozar. Gozei gostoso. E continuei metendo de tanto tesão que eu estava em comer aquele cara apertado e guloso. Fui metendo, cada vez mais forte como ele pedia, até sentir ele morder meu pau e gozar comigo dentro dele.

Depois de ambos gozarem, demos uma geral no escritório para não deixar vestígios. Nos vestimos e saí de lá com a promessa dele em querer dar para mim todas as semanas. Não sei se realmente voltaremos a trepar, mas se essa promessa for firme... perfeito, porque foi bom demais.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/kallek



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente