Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Sexo Anonimo: Banheiro da Centra do Brasil RJ

Sempre escutei historias bem picantes do banheiro da Central e nas suas proximidades.

Fazem 8 meses que conheci esta parte do prazer com homem, sou casado tenho 50 anos, com frustrações porque minha mulher não curte anal e nem me linguar, puritana.

Uma certa ocasião tive que ir no prédio da Central resolver uns problemas do trabalho e fiquei liberado por volta das 19h ai veio aquela idéia de conhecer o famoso lugar.

Cheguei já na entrada aquele monte de homens e mulheres como se não querem nada perambulando passei umas duas vezes pra frente e pra traz ate que tomei coragem e entrei no banheiro, meio vazio, mas os que estavam la jamais eram urinando e sim balançando a pica a procura e espera de alguém.

Tinha uns cinco homens urinando e na ponta longe da parede o que me chamou atenção um senhor bem vestido magro deve ter uns 60 e poucos anos, o mais ligado parecia, fui próximo e fiquei dois Box de distancia e tentei urinar, mas não saia nada do outro lado o cara saiu e fiquei naquele lado apenas eu e o coroa ele se afastou um pouco e deu pra ver uma parte daquela geba, nunca tinha visto alguém branco com uma pica daquele tamanho, ele magro parecia sabe aquele negão da internet, mais ou menos uma coisa fora do comum, eu não sabia se olhava, se sorria, se chorava.

Eu sempre achei minha pica enorme e grossa por isso minha mulher não curte anal mas a dele da duas da minha e ele bem magro, só tinha pica o filho da puta.

Trocamos olhares, terminei o que tinha iniciado e fui lavar as mãos ele veio junto e falou gostou do que viu, quer. Fiquei meio embaraçado e sorri falando que achava espetacular. Sai do banheiro e parei na primeira lanchonete pedi um café, mas sempre olhando para porta do banheiro e la vem o homem da cobra, e chegou do meu lado falou o que você pediu falei café ele também pediu um.

Começamos a conversar ele falou que é bancário, separado, tem filhos e netos e que separou da mulher porque ela descobriu que ele tinha um caso com um primo gay dela, estas coisas.

Me convidou para sairmos e ir no seu apartamento que mora perto do Colégio Liceu, aceitei desde que não demorasse muito porque como sou casado e não tinha programado nada para chegar muito tarde, e fomos a pé mesmo.

Chegamos num prédio bem discreto sem porteiro entramos ele me ofereceu uma bebida ou café, falei estar bem e veio logo querer me beijar resisti mas ele era bem lisinho aceitei, beija muito gostos mesmo e começamos a se pegar eu com aquela imagem da jibóia dele na mente, se abaixou começou a tirar minha calça e colocou meu pau pra fora e mamou muito parecia um bezerro como mama gostoso o puto, apertava minha bunda passava os dedos no meu cuzinho e notava que eu tinha gostado, me virou e começou a seção de chupar meu cu com muita maestria, sabe muito me deixou louca de pedir me fode, enfia isso tudo quero ser rasgado ele continuava e fomos para o quarto eu sem calça de camisa ele com roupa, joguei ele na cama tirei a roupa e vi como era grande aquela pica dava medo, arrepio, água na boca, tudo que possa imaginar ele falou venha por cima num 69, ele muito safado como fiquei de quatro abocanhou meu pau e enfiava o dedo no meu cu num entra e sai que fui obrigado pedir para parar se não ia gozar que coisa deliciosa nunca tinha feito desta forma e me deliciando com aquela pica, lambia de cima a baixo ate o saco dele, o cuzinho todo lisinho depilado eu tentava colocar na boca mas não ia nem a metade batia na minha garganta que pica gostosa, grossa tesuda não ficava totalmente dura mas o suficiente para eu me deliciar.

Eu pedi varias vezes para parar que queria sentir aquilo e ele bem quieto ate que falou que não seria possível porque ele não curtia me enrabar, fazia de tudo, mas não gostava de comer cu, falei porque uma pica desta eu ia comer todos os cu do mundo ele riu isso é só para atrair.

E foi se colocando na posição para eu começar a lamber o cu dele e depois iniciar uma penetração muito gostosa ele tinha uma experiência e sabia os movimentos de vai e vem que não demorei muito falei que ia gozar ele foi diminuindo calma quero bem mais, ficamos se beijando acariciando e quando vi estava eu empurrando tudo novamente naquele cu gostoso fodemos muito ate que não agüentei mais e gozei muito que deu tempo de tirar do rabo dele meu pau e ainda ele aproveitar um pouco de minha porra na boca mamou ate a ultima gota, peguei aquela pica e abocanhei novamente, suguei que ela ficou igual a uma estaca de dura e tentando convencer ele de me enrabar mas não era fácil dobrar o cara, foi algumas horas deliciosas, fui fodido varias vezes pelos dedos dele, língua ate a cabecinha da pica ele chegou a colocar mas tirou não gosto, eu tentei de todas as formas ate com chantagem emocional. Nisso transamos umas três vezes, eu gozei duas ele duas também, muito bom.

Ficamos numa sintonia muito boa de eu ter depois de algumas vezes nos encontrados conseguir dobrar ele para me enrabar, hoje estou realizado nem sempre mas digo uma vez cada 15 dias ele me enraba, nossa que coisa maluca sentir aquilo entrando parece que nunca termina e quando vai sair, ele e bem safado vai tirando aos poucos fica meia hora, quem nunca provou uma pica enorme, não importa a grossura o tamanho é muito especial, eu gosto e peço sempre que quando ele começa a tirar ou colocar eu seguro o que esta fora com minhas mãos o tesão triplica, nunca mais me insinuei para minha mulher em me lamber, ou tentar comer o cu dela, agora estou realizado com meu homem jibóia.

Depois conto outras loucuras que fizemos ele sempre tem uma coisa escondida para realizar.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/podemos08



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente