Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Sexo Anonimo: Jovem Colega

Minha vida é muito agitada, cursinho, último ano do colégio, academia, tenho aula de violão, as vezes um pouco de futebol.

Sempre que posso, me sobra algum tempo, dou uma corrida pela praia, o que mais me agrada no sentido físico. Outro dia estava correndo, me deu vontade de dar uma mijada, não costumo usar os banheiros da praia, pois, sempre tem muita sacanagem e desocupados.

Mas entrei, estava realmente apertado, para minha surpresa encontrei no banheiro um colega do colégio, Marcos, que estava com um sujeito de bastante idade, creio que mais de 60 anos, chupando seu pau.

Quando Marcos me viu não sabia onde se esconder, um sorriso amarelo, tentou se justificar parou na hora, me cumprimentou e se despediu do senhor que estava com ele.

Passado uns dois dias, nos encontramos no colégio, ele veio puxar assunto comigo, queria minha descrição naquele fato. Acalmei-o, não se preocupe, está tudo bem.

Quando sai do colégio, ele me acompanhou até um trecho do caminho, conversando, querendo ser amável, e eu informei que iria almoçar no shopping e depois iria para aula de violão, e somente no final da tarde estaria em casa, caso quisesse me ligar ou passar mensagem. Nos despedimos.

No início da noite, ele me ligou, sugerindo um role pelo shopping ou praia, talvez um lanche. Aceitei, pois estava sozinho em casa, meus pais estavam fora por alguns dias na casa de minha tia.

Foi um bom papo, até o momento que quis ir para casa, ele insistiu que devíamos continuar, porém, informei que no dia seguinte iria levantar cedo, para o cursinho, e estava sozinho em casa para preparar o café da manhã etc.

Ele concordou, mas fez questão de me acompanhar. Na entrada do prédio, se convidou a entrar, queria conhecer meu apartamento.

Meio sem prazer, deixei entrar, ele ficou entusiasmado, e perguntou se havia cerveja para tomarmos, ofereci a ele uma latinha que tomou de um gole só, acho que estava nervoso ou com sede.

Se acomodou no sofá, queria conversar, eu havia tomado uns poucos goles, de repente ele pede para ir ao banheiro, queria dar uma mijada. Indiquei o banheiro social, mas ele estava demorando muito, e como a porta estava aberta eu entrei, ele estava olhando os armários, bisbilhotando.

Não gostei da atitude, fui meio grosseiro, pedi que fosse embora pois iria dormir. Ele me abraçou e disse que sempre me admirava, gostava muito de mim, do meu empenho com os estudos, pois, ele não tinha o mesmo pique a mesma dedicação.

Só que abraçou de uma forma que seu corpo inteiro se colou ao meu, e percebi que ele estava de pau duro, Tentei me desvencilhar, mas ele estava grudado. Tentou me beijar, afastei o rosto, e disse que não estava acostumado com intimidades com homem, sempre curti garotas, e que estava namorando e transando com uma colega nossa da escola.

Ele simplesmente, tirou a camisa e a calça, ficou de cueca, voltou a me abraçar tirando minha camisa, abrindo minha barguilha e puxando meu pau pra fora, e deu uma linda e gostosa chupada.

Estava quase gozando, quando ele puxou minha calça para baixo, me deixando pelado, passou a me lamber estava em pé ele de joelho dentro do banheiro, a essa altura queria gozar, puxei ele para o sofá, mas ele preferiu o chão, sobre o tapete, e me deu o maior banho de gato que já recebi, me lambeu inteiro, me fez gozar dentro da sua boca, Continuou a me lamber, levantou minhas pernas, estava de barriga para cima, e me lambeu o meu saco, meu cu, enfiou o dedo a língua, nossa que prazer Marcos me deu, mas percebi que não iria acabar assim, pois ele estava de pau duro, e tentando forçar a entrada do meu cu, tentei sai, mas estava muito bom, e senti a primeira dor quando entrou a cabeça do seu pau, ele foi enterrando, queria chegar até o fim, e a dor foi imensa mas o prazer foi igual. Bombou até gozar, encheu meu cu de porra.

Marcos se mostrou muito experiente e carinhoso, estava acostumado a transar homens, a minha foi a primeira vez, mas valeu a pena.

Não voltamos a nos encontrar, mas quando me encontro sozinho me dá uma imensa vontade de reencontra-lo.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/sim



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente