Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Sexo Anonimo: Acabou o gás

Olá pessoal, este é mais um conto aqui no site e todos os contos que publico são verídicos.

Bom me descrevendo eu sou loiro olhos verdes, 178cm de altura, 18cm de pau, bunda carnuda, poucos pelos, 43 anos e moro no Rio Grande do Sul, sou adepto a não usar cueca e adoro uma putaria grupal entre machos.

Essa história aconteceu ontem, domingo (14/05/2017)

Depois de passar um final de semana no interior na casa de minha família para comemorar o dia das mães, volto para Porto Alegre onde eu moro. Dirigi por mais de três horas para chegar em casa e tudo o que queria era tirar minha roupa, tomar um banho quente, comer alguma coisa e ficar peladão em casa vendo TV.

Já fui tirando a roupa ao entrar em casa, larguei a mala de roupa em cima da cama e fui para a chuveirada.

No meio do banho a água esfria fui conferir o motivo e fiquei furioso quando vi que o gás havia acabado, liguei para a central de entrega de gás que sempre ligo, mas eles não trabalham em domingo, então recorri ao google para encontrar outro entregador de gás. Encontrei um relativamente perto da minha casa, liguei e o rapaz que me atendeu super prestativo me disse que em 20 minutos o entregador estaria na minha casa.

Me enrolei na toalha liguei o ar condicionado no ar quente, pois estava um domingo frio e fiquei desfazendo minha mala enquanto esperava o entregador do gás. Deu os 20 minutos e interfone toca atendo e era ele, e pensei ainda bem vou poder continuar o banho, mas também fiquei torcendo que fosse um entregador gostoso, só de pensar isso meu pau já deu sinal de vida e só nesse momento que me dei conta que estava só de toalha e não daria mais tempo de por uma calça pois como moro no segundo andar a chegada dele era rápida.

Disse pra mim mesmo "azar ele vai entender, afinal o gás acabou no meio do banho."

Tocou a campainha abri a porta e era um cara de pele negra, não muito bonito, com o botijão de gás nas costas e meio ofegante pois veio pela escada. Estava vestindo aquele uniforme verde da empresa de gás, e eu claro que dei uma rápida olhada para o macho na minha frente dos pés a cabeça dando uma parada no volume da calça dele (sempre faço questão que percebam que estou olhando). E quando chego com o olhar no rosto dele vejo que ele está meio sem jeito por eu estar só de toalha. Peço desculpas e expliquei sobre o banho e mandei ele entrar.

Mostrei pra ele onde ficava o gás para ele trocar ele se abaixou e eu fiquei atrás dele observando, quando se abaixou a calça dele revelou um gostoso e peludo cofrinho. Meu pau endureceu na hora pois fiquei imaginando o cara pelado.

Quando ele terminou o serviço e se virou deu de cara com meu volume embaixo da toalha, que claro que não consegui disfarçar, para tentar amenizar as coisas sai da área de serviço e disse que ia pegar o cartão para pagamento. Sai e quando voltei ele continuava na área de serviço verificando se não havia nenhum vazamento.

E eu sem pensar disse para ele "confere bem aí, pois tenho medo dessas mangueiras" Ele se virou e também sem pensar deu uma apertada no próprio pau e perguntou "e dessa mangueira aqui tem medo também?" Minha resposta foi agarrar o pau dele por cima da calça e conferir o tamanho da vara. parecia grande e grossa. Disse "preciso ver a mangueira para saber se tenho medo ou não" nisso ele baixou a calça que era só com elástico com a cueca junto e disse "então da uma olhada". Nossa saltou uma vara de mais ou menos uns 20cm e duraça de dentro daquela calça, tirei minha toalha e ele pegou no meu pau e começou a bater uma punheta pra mim. Tirei a mão dele do meu cacete me ajoelhei e comecei a mamar aquela vara daquele macho desconhecido que gemia em pé na minha área de serviço a cada engolida que eu dava no pau duro dele, era tão grosso e grande que não conseguia engolir direito aquele mastro preto, chupava a vara dele e massageava as bolas grandes que ficavam penduradas no saco dele.

Deixei aquele cacete bem babado e ele falava muita putaria, me chamava de puto safado, veado e mandava chupar o cacetão dele.

Me levantei e puxei ele para a sala o sentei no sofá e cai de boca novamente, e mamei feito uma puta no cio. Ele abriu bem as pernas me ajoelhei na frente dele, E engolia aquela pica como se fosse a ultima que chuparia na vida, chupava o cacete dele e batia uma punheta no meu pau.

De repente ele disse chupa puto, chupa que vou gozar, tentei tirar a boca mas ele segurou com força minha cabeça empurrou o pau fundo na minha boca e eu senti o leite quente dele no fundo da garganta, era tanta porra que engasguei, fiquei meio sem ar ele largou minha cabeça levantei e fui no banheiro cuspir a porra dele. Delicia de leite de macho.

Quando voltei do banheiro ele já estava vestido e com a maquininha do cartão na mão e perguntei. "Poxa e eu vou ficar sem gozar?" Ele disse que não chupava mas se eu quisesse ele bateria uma pra mim, eu concordei e ele mandou eu sentar no sofá. Ele sentou do meu lado pegou na minha vara e começou a me masturbar, batia gostoso e chupava meu mamilo. Gozei rápido e muito leite jorrou do meu pau. O cara pegou a toalha do chão limpou as mãos dele naquela minha toalha e disse que precisava ir. Paguei o gás e ele se foi.

Agora não vejo a hora de acabar esse gás novamente.

Espero que gostem do conto e comentem esse e os outros que postei aqui, esse foi curtinho mas não menos gostoso.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/loirourso



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente