Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Sexo Anonimo: Jovem Eletricista

Havia mudado de apartamento recentemente, quando, no final da tarde deu pane na eletricidade do apartamento, fiquei sem energia. A princípio como tinha mudado recente, pensei que o antigo morador não havia pago a conta e havia sido cortado, mas perguntando na sindico, tudo estava em ordem, e ele se prontificou em mandar um primo dele que entendia de elétrica.

Aguardei uns 30 minutos, bateram a porta, e fui atender era o tal eletricista, um jovem pouco mais de 18 anos, estudante de curso técnico de elétrica doméstica.

Mandei que entrasse, tudo escuro, pois, já passava das 19 horas, e ele com a luz do celular, conseguiu dar conta do problema. Aquando finalmente ascendeu a luz, pude observar o jovem, bonito, meio tímido, pouco falava, mas com corpo muito interessante.

Após pagar o valor que ele solicitou, começamos a conversar, afinal tínhamos quase a mesma idade, e nossos interesses eram iguais.Puxei papo de garotas, de sexo, de baladas, mas ele se restringiu, disse ser muito tímido e que era virgem, não tinha coragem de chegar em alguém.

Propus tomar uma cerveja, ele aceitou, não dava para tomar, pois não estava gelada, ofereci uma taça de vinho, ele aceitou, e bebericamos e ficamos conversando por longo tempo.

Eu estava de bermuda sem camisa e sem cueca, em casa sempre estou assim, o papo que estávamos me deixou excitado, e ele percebeu que estava de pau duro. Tentei disfarçar, ele sorriu, e comentou eu também estou de pau duro, rimos os dois, e ele colocou a mão no pau e mostrou, era uma bengala, parecia me muito grande, e disse a ele, o meu perto do seu é um pintinho...

Puxei a bermuda para mostra para ele, ele sorriu dizendo ... realmente é um pintinho ... e abriu a barguilha e mostrou o dele, nossa, não era muito comprido mas era muito grosso.

Não resisti e toquei nele, ele aceitou, e acariciei seu pau, punhetei ele gostou, puxei sua calça para baixo, tirei sua camisa e ambos ficamos pelados.

Peguei pelo seu braço e levei até o quarto, deitamos na cama, deixei-o de barriga para cima, mostrando seu mastro em pé, e fiz um boquete delicioso, mas não queria que ele gozasse, queria experimentar em mim aquela tora. Peguei um creme, besuntei inteiro aquela maravilha, e sentei de uma maneira que pudesse cavalga, estava difícil entrar, havia feito poucas vezes sexo anal, e nunca com uma tora daquele tamanho.

Aos poucos foi entrando, sentia muita dor, mudei de posição e fiquei de quatro para facilitar, mas estava difícil, deitei e ele veio por cima, com o peso do corpo foi entrando, me rasgando, e conseguiu entrar até o fim, sentia as bolas do seu saco encostando na minha bunda, ele estava todo dentro de mim, e aos poucos foi bombando até gozar. Gozou muito, encheu meu cu de porra, estava escorrendo pelas pernas, e aos poucos ele saiu de dentro, já mole, mas continuava grande perto do meu.

Tomamos uma ducha, nos acariciamos embaixo do chuveiro, e ele se despediu, feliz, pois, era a primeira vez que ele comia um cara, sempre transava com garotas, mas tinha vontade de pegar um garoto.

Quando saiu, me abraçou dizendo que estaria me esperando por uma ligação para voltar, a hora que quisesse. Foi a melhor transa que tive, e outras irei providenciar com meu eletricista preferido.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/sim



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente