Já é assinante?
Esqueci a senha

 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Sexo Anonimo: Jovem garçom

Depois de quase dois anos de estudos sem férias, pois meus pais estavam meio sem grana e muito trabalho, fui passar uns dias na casa de meus tios em Serra Negra, porém, quando cheguei lá eles estavam em viajem de férias, mas me deixaram a chave na portaria do prédio onde eu ficaria.

Assim que cheguei, com fome, fui a um restaurante perto do apartamento, e me servi de uma boa comida mineira, e uma cerveja bem gelada. Quem me serviu foi Paulo, um jovem garçom, creio que tinha mais ou menos a mesma idade que eu, meio desajeitado, porém, muito atencioso.

Rolou um papo amigo, quando trouxe a segunda cerveja, ele me perguntou se estava de férias, e o que iria fazer à tarde, pois voltaria trabalha somente as 19 horas, paro o turno da noite.

Comentei que não conhecia a cidade muito bem, e que ficaria no apartamento jogando, ou dormindo. Ele sorriu, e perguntou se poderia jogar comigo, pois, curte muito jogos eletrônicos, porém, não tinha muitos e nem os mais novos. Disse quem sim, apesar que minha vontade era dormir um pouco.

Mais ou menos 3 horas ele apertou a interfone e fui atender, ele estava de camiseta e bermuda, chinelo, bem diferente que estava no restaurante. Batemos papo, tomamos cerveja e jogamos quase a tarde toda.

A noite voltei para jantar, ele novamente me serviu, com um sorriso enorme, perguntando se poderia passar pelo apartamento após seu expediente, disse que sim, mas perguntei a que horas seria sua saída. Ele me informou que seria depois das 23 horas... disse ok, te espero.

Conforme havia combinado ele chegou com duas cervejas na mão, sorrindo muito, tinha uns dentes lindos, não era muito muito alto seu corpo era bem comum, muito claro, cabelos loiros e soltos com um pequeno rabo de cavalo, mas via-se que era um cara forte, mais forte que eu com certeza, pois sou bem sedentário.

Como estava calor eu estava sem camisa e cueca só de bermuda do pijama. Paulo notou que quando andava pela sala meu pau balançava dentro da bermuda. Quando passei por ele que já estava sentado no sofá, e iríamos começar a jogar, ele me pegou pelas pernas, e cheirou meu saco, e falou que estava um cheiro bom, havia tomado banho a pouco.

Ele comentou, eu ainda não tomei banho depois que saí do trampo, posso tomar no seu banheiro? achei estranho, porém permiti, assim que ele entrou no banheiro fui buscar uma toalha para ele, e me deparei com um sujeito nu incrível lindo, as veias do corpo ficavam escuras na pele clara, veias fortes percorriam suas pernas e braços, uma plástica invejável.

Isso mexeu comigo, nuca tive interesse em homem, porém, nunca havia estado com um tao perto e nu.

Tentei disfarçar, entreguei a toalha e sai do banheiro, sentei no sofá a sua espera, mas estava com muito tesão. Quando ele voltou estava só de cueca, cheiroso e ainda meio molhado, com os cabelos escorridos, e viu que eu estava de pau duro, não teve dúvida, se abaixou em frente a mim, e passou a mão no meu pau, abaixou o elástico da bermuda e tirou meu pau, cheirou, lambeu e enfiou na boca, nossa que loucura, aquela boca quente acolhendo meu pau inteiro, fazendo uma vai e vem lento e molhado.

Estava quase gozando , arranquei minha bermuda, levantei e levei o para o quarto, queria comer aquele cara. Mas não foi o que aconteceu, ele preferiu me chupara até eu gozar na boca, sugou até a última gota. Imaginei que havia acabado, quando ele começou a me lamber o corpo todo, e me virou de barriga para baixo e se deliciou em meu cu, enfiava a língua e o dedo me fazendo urrar de prazer.

Nunca havia transado homem, mas aquele cara sabia o que fazer, quando senti que deitou sobre mim, senti seu pau duro roçar minha bunda, pincelou meu rego que estava totalmente melado de saliva. Tentei me afastar, mas ele estava no comando, e aos poucos senti que seu pau estava entrando, muita dor, vontade sair daquela posição mas havia prazer, estava louco de tesão, e duas ou três estocadas senti seus pelos encostem na minha bunda. Ele estava totalmente dentro de mim. Ficou parado por algum tempo, creio que alguns minutos, sem movimento algum, apenas me espremia contra a cama, seu peso inteiro estava sobre mim, até que começou um vai e vem intenso e senti que ele gozou dentro de mim.

Novamente parou, ficou dentro por algum tempo, e senti que ficou duro novamente, inchou meu cu novamente, e aos poucos começou a se movimentar até gozar de novo.

Quando nos levantamos, fui ao banheiro, meu cu ardia, parecia que estava rasgado, tomei novo banho, e voltei para sala, ele estava deitado no sofá me esperando, já com sua roupa, me abraçou, dizendo que tinha que ir para casa. Foram dias incríveis pois ele gostava de ser passivo também, passávamos horas trepando ele tinha uma resistência e controle do gozo absurdo, foi maravilhoso.

Sempre que volto à casa dos meus tios, procuro encontra lo, quando dá levo ao apartamento. Nunca havia transado homens, mas ele me despertou, e eu gostei e me pergunto porque não fiz antes, quanto tempo eu perdi...

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/sim



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente