Já é assinante?
Esqueci a senha

 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Sexo Anonimo: Foda no tronco

Acordei no final da tarde com um delicioso calor entre as pernas. Aquela chama que arde por dentro quando tocamos o pau já babando, pedindo pra descarregar seu tesão na bunda de um cara gostoso.

Sábado!

Tomei banho sentindo que a excitação aumentava o tesão, latejando o diâmetro do meninão querendo foder. Fui caminhar. Entrei no parque. Mudei o rumo, segui entre as árvores na escuridão da noite que me levava cada vez mais para a necessidade de gozar.

Encontrei. Senti pelo instinto que era ele. Bruto, nem louro e nem moreno, tom de pele safado acentuado por olhos verdes, a boca molhada nos cantos. Sem palavras, nos tocamos e enfiei a língua em sua boca levando a mão na bunda daquele cara inesperado.

Enquanto meu pau pulsante era pressionado com sua ereção vulcânica, minha mão acariciava o contorno do seu traseiro suado, musculoso e sedento de porra.

Senti na mão a gosma da sua rola aquecida pela vontade. Com o indicador atolado no que mais desejava, tive a certeza de que ele queria ser fodido sem escrúpulos. Encostamos numa grande Paineira. Ele agarrou aquele imenso tronco agressivo, deixando sua bunda dura pronta para que eu plantasse meu pau no fundo do seu centro de prazer. Deixei meu pau escorregar dentro daquele homem já entorpecido por tanto tesão. Senti seus músculos internos, seu calor, sua umidade. Senti tudo o que se pode viver na foda perfeita entre homens se entregando um ao outro sem condições ou limites.

Meu pau era sugado pela musculatura anal daquele rabo que transpirava prazer, umedecendo a pele forrada com pelos de macho. Não contei o tempo na dimensão daquele momento que tanto desejei, sentindo meu saco batendo no seu pela força daquela penetração deliciosamente violenta!

Gozei com a cabeça do meu pau inchando dentro dele. Meu jato de esperma veio tão forte que senti arder meu canal de ejaculação. Ao perceber meu êxtase, ele esporriou no tronco daquela imensa árvore. A seiva escorreu... Sem palavras, sem olhares, ele se foi.

Fiquei ainda uns instantes absorvendo a energia do acontecimento. Realizado, voltei à caminhada até que uma outra sombra masculina me atraiu para aquele desejo sem fim.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/parceiro2013



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente