Já é assinante?
Esqueci a senha

 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Sexo Anonimo: Última do ano

Sou coroa e passivo, porém casado. Mas ela e nem ninguém sabe desse meu gosto, agora, por pinto. Por ser casado as vezes fica difícil arrumar um parceiro, mas de vez em quando dá certo de eu dar para alguém.

O ano está acabando e eu sei que depois do meio de dezembro até mais ou menos 15 de janeiro ela fica de férias e minhas oportunidades de sair acabam. E eu estava já sem fazer ha mais de um mês. Morrendo de vontade.

Passei mensagem para um, depois para outro mas eles também casados não podiam, ai eu pensei "vou num cine". E fui, já tinha ido em três deles e sabia que nem sempre se consegue, é uma loteria.

Bem, fui no Cine Arouche e lá chegando fui na sala de cima. Na plataforma antes da entrada reparei num cara, tipo sessentão, negro, bem apessoado, mas não sabia o que ele fazia ali, talvez esperando alguém, entrei e eu demoro um pouco para me acostumar com a escuridão. Quando me acostumei vi que o cine estava quase vazio, ai comecei a circular e tentei puxar papo com um ou com outro, nenhum quis conversa. Resolvi ir na sala de baixo e na saída aquele cara continuava lá, só que dessa vez nossos olhares se encontraram, mas ele não fez sinal nenhum, então não parei e desci para a outra sala.

Lá chegando também estava quase vazia, reparei que a maioria estava sentada na poltrona da ponta, sinal que eram passivos também. Circulei, puxei conversa com um ou outro mas ninguém estava afim. Resolvi voltar para a outra sala, e na entrada lá estava ele, mas só trocamos um rápido olhar de passagem, entrei e fiquei apoiado naquela mureta que tem no fundão.

Estava ali a observar o movimento para ver quem eu ia abordar quando de repente alguém parou ao meu lado. Virei e era ele!

- Oi, tudo bem?

- Sim, você veio para brincar também?

- Vim, do que você gosta?

- Bem, eu sou passivo então eu gosto de rola.

- Que bom, eu tenho uma aqui, mas ela é meio grandinha, você aguenta?

- Não sei, deixa eu ver.

Ai ele tirou, nem estava durona, estava quase. A hora que ví aquilo gelei... eu até então, por coincidência (vocês sabem que nem sempre se pode escolher né) só tinha dado para caras com pinto normal ou pequeno, um ou outro um pouco maior, mas nunca um daquele tamanho. Fiquei com medo e pensei cair fora.

- E então? Você quer? Aguenta?

- Bem, nunca tive um assim, mas sei que é o sonho de todo passivo, vou querer sim, mas você vai devagar?

- Sim, pode deixar, eu sou carinhoso.

- Vamos numa poltrona então.

- Não, eu não gosto aqui, vamos no banheiro.

- Tá. - e lá fomos nós.

O banheiro é no piso de baixo e lá chegando ele se dirigiu para o banheiro feminino, fui atrás, e ele entrou no ultimo box.

- Esse é mais espaçoso.

- Você pode me dispensar de chupar?

- Você que sabe.

- Tá, tem camisinha?

- Não, mas ele está meio mole ainda, me ajuda um pouco com a mão mesmo.

Ai comecei a acariciar e punhetar, nossa foi ai que senti o quanto era grosso. Só que eu ali punhetando de leve e olhando para aquela "obra de arte" não resisti, abaixei e coloquei em minha boca, ele gemeu de prazer.

- Isso, mama gostoso!

Quando senti que que a rola dele estava bem dura, bem durona mesmo me levantei, dei a camisinha à ele e me abaixei em sua frente.

Ele se chegou, encaixou no meu cuzinho, coitadinho, tão pequenino...

Não entrava, ai ele pegou um creme e passou nele e em mim e voltou a forçar, PLOF, entrou a cabeça, mas não parou, continuou a empurrar e eu pedindo par não colocar tudo, que não ia caber, mas ele disse:

- Agora é tarde, já entrou tudo.

- Não acredito.

- Pois pode acreditar, posso te foder agora?

- Pode, claro que pode.

E ai ele começou, doía prá cacete, mas eu ali aguentando, sabia que uma hora a dor ia diminuir. E foi mesmo diminuindo devagar, só que ele logo anunciou que ia gozar. E gozou.

Nem deixou ele lá dentro um pouco, e eu ali parado, sem ação, sem acreditar que tinha conseguido, que tinha tirado a sorte grande, e olha que era bem grande mesmo.

Bem, como disse lá no inicio, essa foi talvez, nunca se sabe, a ultima do ano. Se foi fechei o ano com chave de ouro. Ele disse que vai sempre no cine, e sempre naquele horário, se der ainda volto lá mais uma vez esse ano, rsrsrsr...mas sei que é impossível.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/coroapassiv



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente