Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Sexo Anonimo: Um amigo do face

Meu primeiro conto aqui.

Conheci Francisco através do Facebook. Conversávamos sobre diversos assuntos, ele casado e eu também, percebemos que tínhamos alguns desejos ocultos, desejamos as mesmas coisa, novas experiencias, que aos poucos fomos confessando em nossas fantasias sexuais.

Morávamos em estados diferentes, então nossas intimidade se dava através do sexo virtual com imagens dos nossos corpos e textos e conversas via messenger, a cada transa nossos desejos se aguçavam mais, mas nem imaginava que isso um dia fosse acontecer de verdade, mas era delicioso essa relação de dois homens se pegando mesmo virtualmente gozamos deliciosamente pois nos masturbávamos em vídeo um para outro.

Um belo dia recebo telefonema dele, pensei que seria mais um dos muitos que vivíamos fazendo, estranhei por ser em horário diferente que sempre nos falávamos , que era de madrugada quando nossas mulheres dormiam agente aproveitava, mesmo assim atendi! Levei um susto quando ele me disse estou aqui no Rio de janeiro quero te ver! Eu quase cai da cadeira, primeiro que nunca imaginava que um dia isso aconteceria, segundo que ele veio sem avisar! Depois do susto perguntei se era verdade mesmo, ele disse onde estava hospedado que veio a trabalho que teria um dia e meio apenas para nos conhecer!

Realmente eu não esperava aquilo, mas não poderia deixar a oportunidade de conhece-lo pessoalmente, mesmo que não rolasse nada, já que confesso não estava preparado, uma coisa é fantasiar outra coisa é real.

Trabalho com vendas, dai não tive problemas de horário era uma quinta feira, marcamos no shopping Rio sul próximo ao hotel onde estava, não foi difícil reconhece-lo na praça de alimentação, um pouco embaraçado ,confesso, nos cumprimentamos cordialmente, perguntei se estava sozinho ele disse que sim! Que estava a trabalho e já tinha resolvido tudo era só pegar os papais no outro dia e voltar para sua terra! Começamos a conversar regado por alguns chops gelados, ate que ele me fez a pergunta fatídica! E ai? você topa um real la no meu hotel?Confesso que gelei na hora!Ele percebeu meu desconforto e disse que não era obrigado, mas que me queria, pelo menos alguns minutos a sós!Disse a ele que não prometeria nada que se não rolasse para ele não ficar chateado, ele falou que tudo bem!Pagamos a conta fomos andando ate seu hotel a menos de um quilometro dali!

Entramos e ele avisou que eu era um amigo que que estava visitando. Fomos para seu quarto, ele tinha cerveja no frigobar e logo me ofereceu uma, depois de andamos sempre vem aquela vontade de mijar, fui ao banheiro ele foi atrás dizendo estar com vontade também, assim que tirei meu pau estava duro, o dele nem tanto, me mostrou falou lembra dele? Disse ele, não vai pegar como você dizia nas nossas transas virtuais?

Pegou minha mão levou até ele, pela primeira vez pegava em pau que não era meu, senti sua pulsação ele pegou no meu também, disse que delicia. Veio ate a mim com seu rosto querendo me beijar, a principio tentei evitar mas não resisti começamos com beijos curtos de lábios, mas não demorou para tesão tomar conta e me entregar aquela boca me espantando o rosto, coisa que nunca havia acontecido, afinal nunca beijei uma boca com barba. Nossas línguas de entrelaçaram nossos corpos se juntaram, nossos paus começaram a encostar um no outro aumento mais ainda tesão.

Saímos do banheiro fomos para cama, la desfizemos das roupas ficando apenas de cueca, ele pediu para me chupar, nem deu tempo de pensar ele ja veio chupando meu pau deliciosamente, aquela boca no meu pau estava me enlouquecendo de pedir para parar pois iria gozar, voltamos a nos beijar, calorosamente ai foi vez dele dizer para eu chupa-lo, disse a ele que não tinha experiencia, ele falou faz como eu fiz no seu.

Para ficar mais fácil me ajoelhei na sua frente como fazem nos filmes pornô. Segurei o corpo do seu pau comecei a na cabeça, as vezes o tesão te ensina sem você perceber, comecei a chupa-lo fazia como nos filmes ia ate saco voltava de lado depois abocanhava cabeça, quanto mais fazia mais sentia seu pau pulsar na minha boca experiencia maravilhosa, ele me puxou para cima dele nos deitamos eu por cima dele em beijo apaixonado, ele começou a apalpar minha bunda como se procurasse meu rego, não demorou a acha-lo aos poucos começou a penetrar de leve com deles.

Disse a ele que era virgem, ele disse que teria cuidado para não me machucar, levou a mão ate cabeceira da cama molhou os dedos com um tipo de óleo, com isso ele foi lubrificando, nos acariciávamos eu segurava seu pau em uma leve punheta. Ele alisava meu cu já tinha ali definido quem seria o que na relação, não demorou para ele me pedir para ficar de quatro, obedeci, só pedi para ir devagar, ele disse que se eu sentisse algo para avisar que ele parava, assim que fiquei ele veio por trás chupou meu saco meu pau e enfiou mais outro dedo no meu anus, a era dois, comecei a sentir prazer de incomodado passei gostar daquilo, meu pau não deixava mentir cada estocada dele meu pau batia na barriga como um bate estaca, ela ainda chupou meu cuzinho deixando meu rego todo ensopado de saliva ,me beijou de novo senti o gosto de óleo de amêndoas, mas nada que tirasse o prazer, ele foi por trás de mim disse vou colocar devagar! Se doer você fala. Ele encostou aquela pica no meu rego, aquela coisa quente forçou um pouco eu prendi a respiração, ele disse e ai? Eu disse vai devagar já trincando os dentes.

Começou em um vai vem bem lento, passei a sentir mais alivio na dor que sentia aquele membro que estava me deixando incomodado me invadindo parecia já fazer parte de mim, calor gostoso comecei a sentir, queria gozar, mas estava com tanto tesão que não conseguia esporrar, ele disse vou aumentar um pouco a velocidade quero gozar, ja não aguento mais que cu gostoso que você tem, eu pedi então que ficasse mais um pouco que estava passando dor assim poderia gostar mais ele continuou no vai e vem pausado deixou sair de mim todinho ,para depois enfiar de novo, dai já tinha virado puta ele tirava eu pedia para por de novo, ele fazia de propósito a sacanagem já rolava e aquele momento de tensão tinha ficado para traz , já rebolava na sua vara era chamado de veadinho por ele como fazíamos nos nossos virtuais, aquilo que fantasiamos virou realidade, não demorou a rolar tapas na minha bunda e xingamentos, passamos realmente viver o momento, como mais força comigo já entregue agarrando nos travesseiro ele gozou me enchendo quando senti aquela caldo fervendo dentro do meu reto foi que gozei sem por a mão no pau, nunca aconteceu isso comigo!Caímos desfalecidos na cama com respiração ofegante, suados! Começamos rir , logo ele pegou mais um cerveja ficamos conversando ele não acreditando que era minha primeira vez!

Fomos para banho, no chuveiro começamos outra pegação. Perguntou se queria que eu o comece, disse se você quiser eu como! Ele falou se eu não ficasse puto que preferia me chupar que queria que eu gozasse na boca dele, foi que fizemos.

Por fim ainda fomos para um barzinho de esquina e conversamos como bons amigos, mas estava com cu ardendo. Demorou uns dois dias para parar, mas nada que não compensasse a primeira vez.

Vou avisar a ele que escrevi sobre nós para ler aqui, acho que vai gostar. O ruim disse que os virtuais, já perderam a graça depois de fazer real. Mas mesmo assim ainda fazemos as vezes!

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/Não



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente