Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Sexo Anonimo: O Cu do Taxista de Salvador

Alguns tempo atrás, saí de férias rumo a Salvador, com o intuito de me divertir e aproveitar o máximo esses meus dias nessa terra maravilhosa.

Chegando no hotel em que havia feito as reservas, logo me deparei com um taxista que se demonstrou bem solícito. Á noite eu sai pra badalar pelos bares da capital soteropolitana, na volta lembrei de ligar para o taxista tesudo que havia me dado o seu cartão. Liguei para ele "Fernando e ele prontamente me atendeu. Durante o trajeto batemos papo e ele me falou que era a sua última corrida. Foi quando o Fernando me falou que a noite estava só começando e que poderia estender no seu apartamento. Eu estava meio alto pelas brejas que havia bebido, mas ainda assim, concordei. Então, me aproximei dele, peguei sua mão e coloquei-a sobre meu pau, que já estava duro dentro da cueca e doido de tesão pra foder aquele taxista gostoso.

Entramos no seu apartamento, ele trancou a porta e eu não acreditava no que eu estava fazendo, mas o tesão tomou conta de mim.

Fernando começou a me beijar na boca e pegar no meu pau, abriu minha bermuda e me deixou só de cueca. Daí, tirou sua roupa e pude ver seu corpo malhado e cheio de pêlos, um verdadeiro tesão.

Na sequência, Fernando se ajoelhou entre as minhas pernas e começou a fazer uma chupada gostosa. O filho da puta foi engolindo por completo meus 20 cm de rola com sua boca quente e gulosa me fazendo urrar de prazer. Eu gemia de tesão, e ele passou a chupar meu saco e o meu cu, enquanto batia uma gostosa punheta no meu cacete.

Eu estava subvertido pelo prazer daquela boca que pedi imediatamente para comer seu cu. Sem titubear, Fernando virou aquela bunda cabeluda e gostosa pra mim, enfiei a lingua no seu buraquinho apertado, fazendo soltar um gemido de prazer. Apoiado na cama com rabo bem convidativo, ele com as duas mãos arreganhou bem o seu buraco, deixando à mostra um cuzinho cabeludo que piscava, pronto pra levar vara.

Não pude resistir àquela visão do paraíso. Coloquei uma camisinha no meu pau e comecei a esfregar na sua entradinha, deixando aquele safado ainda mais doido de tesão. Quando ele implorou pra foder seu cu, passei a invadir o seu buraquinho fazendo ele gemer de dor. Fui metendo meu pau aos poucos naquele cuzinho apertado e quente e Fernando começou a rebolar e a gemer pedindo mais. Quando meti todo o pau no seu cu, iniciei um gostoso vaivém, segurando seus quadris. Perguntei se era aquilo que ele queria, e, descaradamente, o safado me respondeu que era o que desejava desde a primeira vez que me viu.

Ouvindo aquele puto falar sacanagem, fiquei prestes a gozar, acelerei meus movimentos anunciando o gozo. Não demorou muito pra jorrar porra dentro do seu cuzinho arregaçado, derramando meu leite quente e grosso lá dentro. Tirei meu pau do seu cu, ele deixou escapar um peido, sinal de que eu deixei suas pregas bem arrombadas.

No dia seguinte, acordei com Fernando chupando meu pau e pedindo pra foder o seu cu outra vez. Não me fiz de rogado e dessa vez meu pau entrava no seu rabo com mais facilidade. Durante a foda, aconteceu um incidente de praxe, Fernando soltou um peido no meu pau e acabou cagando. Esse episódio que para muitos acaba sendo altamente broxante, sempre levo na esportiva. Fomos para o banheiro, gozamos gostoso e combinamos de nos encontrar mais tarde. Resumindo minhas férias, fiquei 30 dias comendo o taxista e até hoje me recordo desses momentos inesquecíveis.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente