Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Sexo Anonimo: Hetero da Faculdade

Certo dia estava eu na pós graduação, quando percebo que um colega de sala estava me observando, até ai tudo bem. Continuei prestando atenção na aula. Depois de um tempo resolvi ir ao banheiro e tomar água, logo chega o Rick, é um cara bonito, dever ter 1,80 de altura, uns 75kg, porte físico forte de academia, noivo e total machão, voz grossa e barba rala.

Eu no espelho dando uma ajeitada no cabelo e lavando o rosto, pois a aula foi muito cansativa. Percebi que o Rick estava no mictório massageando a rola e olhando para minha bunda, deu uma piscadinha e um sorriso pelo canto da boca. Fiquei sem jeito. Sai do banheiro e voltei pra sala de aula. Depois disso passei a observar melhor aquele homenzão que sempre vinha puxa conversa, tínhamos um bom papo, sempre que houvera fazer trabalhos em dupla ele era o primeiro a me procurar e sempre me encarava com aquele olhar querendo algo.

Essa cena do banheiro repetiu-se por várias vezes, até que um dia ele falou baixinho no meu ouvido "sua bunda é fenomenal", caralho, aquilo me deixou todo sem ação, dei um sorrisinho e troquei de assunto. Achei estranho porque ele falava muito na noiva dele, parecia que se amavam bastante e tinha planos de se casar.

Certo dia no final da aula de sábado, combinamos de ir até o Apartamento dele para me emprestar um CD, que usaria para fazer um trabalho. Como Apartamento era perto da faculdade resolvi deixar o carro no estacionamento e fomos a pé, pra nossa infelicidade ou sorte, pegamos uma chuva torrencial durante o trajeto (rsrs). Chegamos encharcados, ele foi logo tirando a roupa e ficando só de cueca branca que dava pra perceber a saliência e o volume grande na cueca molhada. Ele pediu para eu fazer o mesmo, tirar a roupa e foi pegar uma toalha, ele todo solicito começou enxugar minhas costas, achei aquilo sensacional da parte dele, quando percebi, senti aquele volume encostando na minha bunda, nossa, gelei.

Ele sempre pedindo desculpas pelo fato de ter me molhado todo. Não demorou muito percebi que a cueca dele estava no chão e sentia ele se movimentar e encostando cada vez mais seu corpo contra o meu, e seu monumento já duro. Logo ele pediu licença e abaixou minha cueca para me secar melhor, com seu jeito safado pediu se podia observar melhor minha bunda, acabou confessando que sua tara era ter contato com minha bunda e que várias vezes punhetou em minha homenagem, pediu por favor para eu deixar ele lamber meu rabo.

No meio da sala tinha um enorme sofá, aos poucos ele foi me levando até o encosto do sofá e conduziu para eu permanecer em uma posição aonde ficava empinado, eu procurava atender suas vontades. Lembro que os elogios eram muitos, passava as mãos grandes, dava mordidinhas, até que senti a língua quente na portinha do meu cu. "Caralho, nunca havia sentido aquilo antes, meu cu ainda era virgem, até então tinha comido um piazinho na minha adolescência, sempre fui buceteiro". Enfim, aquilo foi me enfeitiçando, nem sei quanto tempo ele ficou dando línguadas no meu rabo.

Percebi que aquele magnifico pau de uns 20cm, roliço e sacudão parecia um ferro de duro. O Rick deixou a porta do meu cuzinho molhadinho, levantou-se e passou a roçar aquela jeba na minha bunda, as vezes ele deixava escorregar e a cada escorregada, forçava a entrada, e logo se afastava, o safado sabia conduzir a situação de uma forma envolvente, pois eu estava praticamente hipnotizado.

Ele pegou um gel, lambuzou bem a cabeça do mastro e a porta do meu cu, deixo extremamente lubrificado. Iniciou novamente a brincadeira, só que agora começou a massagear a porta do meu cu e a movimentação cada vez mais intensa. Percebia que cada vez que ele forçava, entrava um pouco mais. Tirava e colocava a cabeça do pau, repetiu isso por inúmeras vezes, o cara tinha muita paciência e um jeito especial de condução. Era uma sensação de tesão misturado com dor, medo, vontade e um desejo muito louco. Não demorou muito para eu senti toda a cabeça do pau introduzindo e pulsando dentro do meu anelzinho apertado. Dai ele passou a rebolar na minha bunda. Porra, o safado manja bem da coisa.

Isso tudo com sussurros e gemidos contidos. Logo ele pergunta sussurrando no meu ouvido, está gostando?? Eu dizia que sim. Ai que ele rebolava ainda mais e continuava a falar, você sabia que meu pau está inteiro no teu cu? Caralho, quando ele falou isso, logo fui conferir, colocando a mão por baixo pra verificar se era verdade, percebi que de fato estava somente o sacão pendurado pra fora. O Rick foi me conduzindo para também começar a rebolar no pau dele. Minha posição ficou ainda mais empinado, ele ficou louco, dai ele deu uma afastadinha e socou de uma vez e passou a bombar meu rabo.

Ufa, nunca tinha gozado pelo cu, uma sensação inexplicável, o gozo veio em dobro. Confesso que doeu um pouco, mas o tesão foi mais intenso. Logo ele tirou o pau e disse: agora teu cu está preparado pra levar minha rola. Senti meu anel largo e ardente, uma sensação estranha, uma mistura de arrependimento e querendo mais, porém não aguentaria outra daquela, afinal foi o primeiro pau que meu cu levou. O Rick gozou em cima da minha bunda, jorrou muito leite quente que escorria pelas minhas pernas.

Como sempre solicito e carinhoso ficou preocupado comigo, pois meu cu ficou todo roxo, fiquei uns 5 dias com as pregas doloridas. Depois disso passamos a nos encontrar todos os sábado no mesmo endereço, o cara me fez apaixonar por rola no cu, me ensinou muitas formas de fuder e de chupar um kct (bem, isso é outra história).

Ficamos um ano nessa brincadeira, pois ele era muito carente, a noiva morava em outra cidade e quando ela vinha para Curitiba ou ele ia para o interior de SP, não comia o cu dela, pois ela não gostava de liberar o rabo. Mal ela sabia o que estava perdendo rsrsrs. Ele era tarado por cu. Sabia de fato o que era bom.

Terminamos o curso e o Rick voltou para tal cidade, soube que eles se casaram, esteve umas três vezes aqui em Curitiba e todas as vezes veio me procurar, eu obviamente satisfazia as vontades dele. A última vez que ele veio nos despedimos para sempre, pois não voltaria mais, o casal foi morar no exterior. Saudades.

Se alguém de Curitiba ou que venha pra cá, e se encaixa nesse perfil de macho fodedor, estou à disposição para te ajudar nas suas aventuras. Ass. Marujo de Curitiba

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/Meu perfil não consigo acessar. marujocwbjr



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente