Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Sexo Anonimo: Anjo Negro

Estava prestes a viajar pra São Luis - MA, e numa das minhas brincadeirinhas com meu cacete duro no site, recebo um convite pra compartilhar cam. Maravilha de macho, trocamos telefone. Marcamos de nos ver assim que eu chegasse na ilha. Tentei falar com ele assim que cheguei.

Não respondeu minhas mensagens, não atendeu ao telefone. Infelizmente eram só dois dias e não teria tempo hábil para buscar outro companheiro de foda, afinal minha agenda de trabalho não dava folga. Relaxei. Trabalhei o dia todo e cheguei bem cansado no hotel. Pedi uma comidinha light para jantar no quarto e fui tomar um banho, mas pra não ser interrompido no meu relax deixei a porta do quarto encostada, para o caso de trazerem minha comida enquanto tomava banho.

Dito e feito. Ainda estava me deliciando com a ducha quente e ouço um chamado da campainha - pode entrar ! - disse eu do chuveiro. Pedi que colocasse na mesa do quarto .

- Precisa assinar a guia senhor, ouvi uma voz forte e máscula do outro lado da porta do banheiro que também não estava fechada. Você se incomoda de trazer até aqui? A porta se abre e entra um negro, alto e musculoso, de tirar o fôlego. Fiquei tão excitado que nem consegui impedir uma ereção. Também não procurei disfarçar e agi como se nada estivesse acontecendo.

Ele me deu a toalha pra que eu enxugasse a mão e me deu o papel e a caneta pra assinar. Não tirou os olhos do meu corpo. Gostou?, perguntei. Ele não respondeu, saiu do banheiro e escutei a porta do quarto ser fechada. "Seu pau é muito bonito mas estou mais interessado é nessa bunda redonda, e foi colocando a mão. Posso? Nem esperou a resposta levantou uma das minhas pernas e foi logo passando a mão no meu rego enterrando rapidamente seu grosso dedo úmido no meu cuzinho.

Sugou minha língua pra dentro da sua boca me tirando o fôlego, e quando me dei conta já estava com dois dedos totalmente enfiados em mim . Soltou-me, abriu a calça e colocou pra fora um belo cacete negro, fiz menção de abaixar pra chupá-lo. Ele me impediu me suspendendo pelas pernas com facilidade pois meus 57 quilos não representava nada para aquele homem e me encostando na parede ficou pincelando meu rego com aquela tora. Mordendo meu pescoço, fui perdendo as forças e só desejava que ele fosse adiante. Sussurrou no meu ouvido : meu turno termina em uma hora, preciso voltar ao trabalho.

Soltou-me delicadamente e deu um aperto no meu pau inchado de tesão e saiu do quarto. Fiquei subindo pelas paredes do quarto do hotel. Queria gritar de excitação, optei por uma ducha fria, comi minha salada , liguei a tv e adormeci.

Acordei com uma batida na porta. Era ele, ainda mais bonito sem a farda, com uma camiseta básica e jeans . Viu minha cara de sono e perguntou se estava tarde, poderia deixar pra outro dia. Devo ter feito uma cara de indignação tão grande que ele entrou no quarto fechou a porta e me pegou nos braços, levando-me até a cama. No trajeto ia me sufocando com seus beijos.

Deitou me na cama e disse, me espere! Ouvi o chuveiro sendo ligado e poucos minutos depois tenho a magnifica visão daquele negro completamente nu com seus 20 cm de rola grossa e dura pulsando em minha direção! Parou ao lado da cama e me estendeu a mão puxou-me firmemente e antes que eu pudesse fazer qualquer coisa enfiou aquela tora na minha garganta. quase me engasgo (riu meio sacana) pegou minha cabeça com duas mãos e ficou fodendo minha boca por alguns minutos.

Sacou o pau da minha boca e deitou-se na cama puxando-me pra cima dele. Sentei no seu peito e comecei a alisar seu rosto com meu pau, ele mexia a cabeça de forma a facilitar o passeio da minha rola por todo o rosto, mas evitava o que eu tanto queria: enfiar minha rola na sua boca. Sempre firme ele me segurou pela cintura erguendo-me do seu peito encostando-me na suas coxas de forma que a cabeça de seu pau ficava roçando a entrada do meu cu.

Forcei o corpo pra baixo pra possibilitar a entrada daquele mastro dentro de mim. Mas ele me segurava forte me imobilizando e não conseguia mexer um milímetro sequer. Aquilo me torturava, queria a todo custo sentar naquele cacete, mas ele sacanamente não permitia. Comecei a piscar o cuzinho era tudo o que podia fazer, e aquela tora passeando na entrada era uma tortura. Nunca senti tanto desejo de sentir um pau dentro de mim. Ele sabia disso e me provocava.

Colocou-me deitado de costas e ficou em pé na cama. Eu só faltei gritar tamanho um desejo que sentia, ele pôs um pé na minha barriga, como uma maneira de me prender deitado na cama. Das vezes que tentei levantar senti a pressão da sua força na minha barriga. Era esse o seu jogo. Aumentar meu desejo sem que eu pudesse atingir meus objetivos. Resolvi relaxar, afinal era uma tortura deliciosa, e ele tinha forças suficiente pra me deter.

Aquele macho gostoso começou a bater uma punheta sacana, que coisa maravilhosa ver aquele monumento diante de mim. O jogo parecia mudar quando ele me soltou e eu me levantava sedento pra chupar aquela rola. Foi só tocar os lábios naquela cabeçona babenta que ele me deteve a ponto de só encostar os lábios, minha boca escancarada esperava que ele atolasse aquele cacete mas ele nada fez.

Fiz força pra me desvencilhar, em vão. Estiquei a língua e só isso que ele me permitiu, lamber sua glande, mas só com a pontinha da língua uma vez que ele recuara a pélvis. Implorei para que ele me comesse, que parasse de impor limites. Deitou-me de bruços e jogou seu corpo pesado sobre o meu, senti seu pau alojando-se no meu rego, começou a lamber minha nuca, descendo pela coluna e me arrepiando todo, eu gemia como nunca tinha feito, delicadamente ele me dominava, sentia dor de tanto prazer.

Levantou-se me puxou pela cintura deixando-me de cabeça pra baixo, apoiando-me na cama com as pontas dos dedos. Ele começou a beijar meu cuzinho, chupando-o enfiando a língua grossa aos pouquinhos. Comecei a choramingar baixinho, nunca sentira aquilo, já tinha dado fodas magníficas, gosto muito de sexo, mas aquela excitação sem fim mexia comigo. Essa minha reação inesperada mexeu com os sentimentos do negão. Sentou-se na cama e me colocou no seu colo de frente pra ele.

Deixou-me livre pra fazer o que quisesse. Guiei seu pau pra entrada do meu cuzinho e sentei com gosto enterrando aquela tora toda de uma vez. Meu macho se contorceu todo e soltou um grunhido de prazer, fazendo -me perceber que era isso também que ele tanto desejava. Eu estremeci de tanto prazer e nem consegui fazer muitos movimentos ejaculando absurdamente sem sequer tocar meu próprio pau.

Diante dos movimentos que ele fez em seguida percebi que ele gozara também. Ficamos assim abraçados, eu sentindo seu pau dentro como se fizesse parte de mim. Ele arriou meu corpo de lado e fechei olhos ainda abraçado ao seu corpo. Acordei o dia já estava claro. Estava só no quarto, meu anjo negro saíra sorrateiramente enquanto eu adormecera. Teria pouco mais de duas horas para chegar no aeroporto e voltar pra casa.

Não fosse o corpo dolorido pela intensidade daquela foda poderia achar que o que acontecera fora um sonho. E se tivesse sido? Pouco importava diante do êxtase e da sensação que eu sentia . O amante misterioso sequer dissera seu nome e eu fiquei pouco à vontade de perguntar na recepção do hotel pelo negão que me comeu no quarto na noite passada. Valeu São Luís!

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/picaerola



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

10/07/2016 13:30:36 - Quando se explora bem as sensações,é assim que a coisa termina.Chega a doer de tanto prazer e tesão. Parabéns pelo conto!

08/07/2016 00:27:07 - top. me excitei do inicio ao fim.

06/07/2016 02:04:57 - Rapaz, que coisa de loco. Esse foi o melhor e mais excitante de todos os contos que li aqui

06/07/2016 01:26:51 - Tesão de conto, cara! Sou professor de Português e posso dizer que seu estilo é invejável! Tem mais contos?

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente