Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Sexo Anonimo: Meu Primeiro Beijo gay

Quando terminamos o Ensino Médio, um grupo de amigos decidiu ir a uma cidade para despedirmos das loucuras da jovialidade e iniciar a seriedade da fase adulta. Optamos em ir para Poços de Caldas, sul de Minas Gerais.

A viagem foi longa e cansativa durante o dia dentro do ônibus. Sempre preferi o horário noturno pois durmo e acordo no destino.

Malas desfeitas e por ser durante a semana, fomos ao bar de um posto de gasolina e iniciamos os trabalhos pedindo uma gelada. A região é mais fresca, totalmente oposta de onde tínhamos saído pela manhã e mesmo assim, continuamos nossa "despedida". Depois de alguns engradados, olhei em volta e poucas mesas estavam ocupadas. As meninas, cansadas, decidiram voltar ao hotel e com isso um dos garotos as acompanhou. Ficando Tinoco e eu.

Embora tivesse desejos por homens, nunca contei aos meus amigos. O que me atrai nos homens são coxas grossas lisas, peludas, meio termo, desde que sejam grossas.

Mais uma outra corrida de olho percebi que além de nós no balcão, tinham dois casais em pontos isoladas e um rapaz sentado a poucos metros do nosso lado de pernas grossas, abertas, vestido com uma calça jeans não tão justa mas que oferecia o conjunto par de coxas grossas e brinquedo. Fui hipnotizado por aquela visão. Tinoco totalmente elétrico não parava de falar dos planos de entrar para Universidade.

Minha atenção voltou-se para aquele rapaz sozinho namorando a sua garrafa de cerveja. Comecei a encará-lo com um sentimento paradoxal. Primeiro porque queria estar de joelhos no meio daquelas pernas, realizando os meus sonhos eróticos, no entanto, aflito se alguém lesse os meus pensamentos. E neste misto de querer e não querer, o rapaz com um ar de sacana e cafajeste olhou para mim, abriu as pernas, segurou no pau que já estava duro e deu um sorriso. Isto foi como uma bomba em meu corpo que começou a aquecer da base da coluna até o topo da cabeça que emitiu um sinal que me deixou trêmulo, respiração acelerada, boca seca, mãos sem lugares e pau, pau duro e cuzinho piscando.

Por uns instantes, Tinoco falou demais e demandou minha atenção quando voltei os olhos para a mesa, cadê o rapaz? Minha cabeça só não caiu porque existe um pescoço. Tal como um radar procurei por ele, quando o vi de pé perto de um pilastra, rindo da minha angustia e procura. Filho da mãe!!!! Pescou-me deu corda para me enrolar.

Fui ao banheiro e saí. Ele entrou, saiu e voltou para mesa. E nesse jogo de gato e rato. Ele voltou ao banheiro e eu fui atrás. As luzes de fora iluminavam 30% dentro do banheiro. Ele no miquitório perto da pia a qual eu fingia lavar as mãos. Quando ele parou atrás de mim, com a voz grossa, hálito quente perto do meu ouvido perguntou: tudo bem?

Virei pulando e enroscando as minhas pernas em sua cintura, enlaçando o seu pescoço com meus braços, respondendo que sim lascando um beijo em sua boca. E que beijo!!! Foi o meu primeiro. Lambendo o seu rosto, chupando a sua língua e cada vez mais sentindo as suas mãos me segurando e me puxando para junto dele. Um beijo com desejo, como que me engolisse. Uma fome de boca e sede de saliva. Gemidos entrecortados. E se existia alguma dúvida sobre ser ou não gay, contar ou não contar, essa dúvida foi arrancada com aquele meu primeiro homem. Meu primeiro beijo ardente e picante.

De repente um vulto nos assusta e desconcertados saímos do banheiro, cada um para sua mesa. Tinoco ainda falava feito uma lavadeira que perdeu o sabão.

De pau duro, fui falar com ele. Era necessário terminar o que começamos. Trocamos contatos e ficamos de encontrar em outra ocasião. A descrição do encontro fica para outro dia. Sintam-se beijados.

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/www.disponivel.com/vianacar



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

23/02/2016 15:17:06 - Muito bom, excitante!

18/02/2016 17:37:29 - uma belo começo de historia

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente