Já é assinante?
Esqueci a senha
 Contos Eróticos

Quer receber contos eróticos diariamente no seu email? É grátis!

Sexo Anonimo: O tarado do mercado me fez pagar um boquete

Fim de semana acordei cedo, tomei um banho, coloquei uma calcinha fio dental branca bem pequenininha e fui ao mercado comprar algumas coisas. Coloquei uma bermuda branca já pensando em maldade, claro. Na hora que eu fosse me abaixar, com certeza ficaria um pouco transparente e algum safado veria minha calcinha. E foi exatamente isso que aconteceu. Me abaixei para ver o preço de um produto e tinha um carinha passando atrás de mim. Percebi que ele parou e ficou olhando na minha direção. Olhei pra trás e vi que ele estava olhando minha bunda. Quando ele percebeu que eu vi, ele disfarçou e olhou uns produtos que estavam ali. Rs. Achei aquilo uma delícia. Era um rapaz de uns 30 anos, moreno, corpo normal, estatura mediana, uma gracinha, com cara de inocente.

Fui mais adiante e me abaixei novamente na intenção de mostrar meu bumbum empinado pra ele. Olhei para o garoto, ele estava me olhando novamente e desviou o olhar quando viu que eu estava sorrindo pra ele. Segui fazendo minhas compras e o garoto me seguia por cada corredor, sem pegar nenhuma mercadoria. O mercado estava praticamente vazio já que era cedo e um mercadinho de bairro. Comecei a caminhar na direção do rapaz, ele mais uma vez disfarçou e ficou olhando as prateleiras. Quando me aproximei dele, olhei para os lados e como não tinha ninguém, atolei a mão no pau dele por cima da calça. Ele me olhou assustado e ao mesmo tempo com olhar malicioso. Perguntei se ele tinha gostado já que estava me seguindo pelo mercado. Ele riu e disse que tinha gostado muito, porque nunca tinha imaginado uma puta andar de calcinha no mercado usando uma bermuda branca pra se mostrar para pessoas desconhecidas. Eu dei risada e disse que a intenção era encontrar algum tarado que me seguisse e me deixasse segurar na pica.

Ele disse que morava ali perto e me convidou para ir até seu apê, já que estava sozinho. Deixei a cesta de compra no chão e o segui até o apartamento. Já no elevador, mesmo com câmera, ele começou a passar a mão na minha bunda e me chamar de delícia. Fiquei com muito tesão. Assim que ele abriu a porta, já me beijou e me mandou tirar a bermuda e ficar de quatro no sofá. Fiz o que ele pediu. Ele puxou minha calcinha pro lado e lambeu meu cu com vontade, enfiando a língua e dando uns tapas na minha bunda. Ele disse que não ia poder demorar porque a mãe dele já estava chegando. Tirou o pau duro de dentro da cueca e mandou eu chupar. Obedeci, claro! Mamei aquele piru com vontade. Uma rola grossa, de uns 18cm, bem dura e cheia de veias. Ele segurou minha cabeça e começou a foder minha boca, me chamando de puta. Me dava tapas na bunda enquanto enfiava a rola toda na minha garganta. Cheguei a engasgar algumas vezes no pau dele. E cada vez que engasgava ele sentia mais prazer em foder minha foda. Deixei o pau dele bem babado.

Quando ele ia gozar, mandou eu ficar de quatro com a bunda empinada pra ele. Ele bateu uma punheta e gozou gostoso no meu rabinho, senti a porra escorrer pelo meu cuzinho. Uma gozada quentinha, farta e grossa. Quando ele terminou de gozar, chupei a rola dele mais um pouco, para deixa-la limpa. Quando terminei, perguntei onde era o banheiro para eu me limpar. Ele disse que eu ia embora daquele jeito. Eu ia colocar a calcinha, a bermuda e ia com o rabinho todo melado de porra pra casa. Achei a ideia uma delícia e foi o que eu fiz. Me despedi dele e combinamos de nos encontrar outras vezes naquele horário no mercado. Descendo no elevador, me olhei no espelho e vi que estava todo gozado, a bermuda branca estava transparente onde a porra tinha escorrido, inclusive mostrando ainda mais meu fio dental. Fui pra casa contente por ter sido tratada como puta. Será que alguém na rua reparou que eu estava com a bunda toda melada de porra? rs

Entre em contato com o autor: http://disponivel.com/bipassivobotafogorj



COMPARTILHE ESSA HISTÓRIA COM SEUS AMIGOS

21/02/2016 16:48:59 - Cara vc. e corajoso. rsrsrsrs

21/02/2016 10:32:29 - Delícia de conto.Eu teria comido esse rabinho bem gostoso.

19/02/2016 14:51:41 - Beleza cara ! Você falou a mais verdadeira verdade, que só um viado mesmo sabe e entende. Vc escreveu:"Fui para casa contente por ter sido tratada como puta".Nada nos faz mais contentes do que ser tratada como puta e fodida sem pena. Tb fico feliz qdo isso me acontece. É quando agradeço por ser viado! rs rs

Deixe seu comentário, o autor do conto será avisado!
Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentários sobre o conto!

Seu email (não será divulgado)


Seu comentário

Aceito receber contos eróticos no meu email gratuitamente