Contos Eróticos

#SEXO ANONIMO Começou no ônibus

Era uma sexta-feira e na época eu tinha uns 23 anos se bem me lembro. Nessa época, por não encontrar emprego onde morava, fui morar em São Paulo (capital) com uma tia, e acabei conseguindo um emprego em um banco.

Voltava pra a kit net dela sempre no final da tarde após o trabalho, mas nesta sexta ela tinha ido viajar e eu ficaria sozinho o que gostava que acontecesse, pois não gostava de ficar sozinho com ela no apartamento.

Porém, naquela sexta feira o metrô entrou em greve e só restou-me pegar um ônibus circular, lotado, com gente quase saindo pelos vidros. Depois de muitas tentativas, consegui embarcar em um ônibus e me apoiei em um banco. Começou a viagem que duraria uns 30 a 40 minutos e percebi que a cada freada do ônibus alguém parecia me encoxar, achei que era cisma da minha cabeça, mas depois disso ocorrer repetidas vezes, percebi que havia um certo volume nessas encoxadas e então olhei pra trás para ver quem era.

Era um cara com seus trinta e poucos anos, de terno preto e gravata, magro, com barba bem feita, não muito bonito, mas que me olhou com um olhar bem safado. Não falei nada e resolvi deixar rolar e, como ele percebeu que não fiz cara feia, continuou a me encoxar em cada freada do ônibus e pelo contrário, até me ajeitei pra ele encoxar melhor, não sei se perceberam, mas eu já estava ficando melado de tanto tesão.

De repente ele se aproximou por traz e disse: - Vou descer no próximo ponto, desce comigo? Meio que com vergonha, mas com o tesão falando mais alto, só fiz que sim com a cabeça e fomos pra frente do ônibus e descemos no próximo ponto.

Começamos a conversar e ele me disse que possuía uma agência de publicidade pequena, e que sempre pegava essa linha, que tinha me visto no ponto ainda e ficou atrás de mim o tempo todo só pra conseguir subir junto comigo. Fomos então para o apartamento dele, que ficava há alguns quarteirões dali.

Chegando lá, logo ao entrarmos ele me agarrou por trás e tornou a me encoxar perguntando: - Vc estava gostando né, deixa eu te encoxar mais! Puxou minha camisa para fora de minhas calças, enfiou sua mão por baixo dela e apertava meus mamilos, beijava minha nuca e mordiscava minha orelha. Fiquei entregue.

Ele perguntou se eu queria tomar um banho, afinal estávamos muito suados do ônibus e do dia de trabalho, algo que topei na hora. Ele pegou então uma toalha e me levou até o banheiro, tirei a roupa e comecei a me banhar, e ele perguntou se poderia entrar comigo e claro que deixei.

Já embaixo do chuveiro ele lascou um beijo em minha boca, algo que não sou muito fã, mas como estava na casa dele, resolvi ceder. Começou a chupar meus mamilos (isso me deixa louco), daí começou a me banhar, passou sabonete no meu corpo todo, cada ponto, e se concentrou no meu rego, passando a mão ensaboada dentro dele constantemente, e eu já estava para explodir de tanto tesão.

Ele me pediu então para que eu desse banho nele, e claro que não perdi tempo, só que me concentrei em seu pau que era bem bonito, não muito grande mas um pouco grosso, fui lavando e quando já não tinha mais espuma, ajoelhei a abocanhei aquele pau gostoso e comecei a engolir cada centímetro dele, ele ficou louco de tesão e segurava minha cabeça e enfiava seu pau na minha boca como louco, às vezes chegava a me faltar ar, depois de um tempo ele me levantou, me virou de costas e começou a mordiscar minhas costas e foi descendo, ficou de joelhos e começou a passar a língua em meu cuzinho, passava a língua e enfiava um dedo levemente. Daí ele abriu a cortina do box, esticou o braço e pegou algo que acredito fosse um creme para o corpo, passou um pouco no dedo e começou e enfiar ele inteiro dentro de meu cuzinho que piscava pedindo mais.

Pediu então para eu me apoiar na parede do box, encheu meu rabinho de creme, passou no pau também um monte e veio bem devagar enfiando em mim. Confesso que senti um pouco de dor, mas o tesão falou mais alto e comecei a arrebitar minha bunda pra facilitar a entrada de sua tora, que em pouco tempo estava inteirinha dentro de mim. Eu não parava de gemer, aquilo estava muito bom e comecei a me masturbar e gozei um monte.

Como ele ainda não tinha gozado, tirou seu pau de dentro de mim, lavou ele bastante com sabonete (até ajudei) e pediu para eu chupar de novo perguntando se poderia gozar em minha boca. Lógico que disse que sim e que adoraria que ele fizesse isso (adoro que gozem em minha boca). Mamei-o muito e ele não aguentando começou a gozar em minha boca, mas era tanta porra que vazou pelo canto de minha boca e ainda espirrou um pouco na minha cara.

Acabamos o banho saciados e ele me deu um roupão e vestiu outro. Fomos então comer algo, bater um papo e perguntou se eu acompanhava ele num uísque, pois não tinha cerveja em casa. Disse que se ele colocasse bastante gelo, toparia. Ficamos nessa de comer besteiras, conversando e bebendo uísque por mais de uma hora, quando então ele levantou e veio até o sofá onde eu estava sentado, abriu o roupão e disse pra eu chupar seu pau de novo, pois o tesão estava voltando. Sem pestanejar abocanhei aquele pau meio duro, meio mole e fui chupando até ele estar em ponto de bala novamente, porém, dessa vez ele pediu para eu parar de chupá-lo pois queria gozar dentro de meu cuzinho.

Então ele foi buscar o creme no banheiro e me pôs de joelhos sobre os braços do sofá onde estava, fiquei totalmente arreganhado pra ele, mas confesso que estava adorando. Ele primeiro chupou meu cuzinho, enfiava a língua praticamente inteira dentro dele e depois o beijava, daí veio então enfiando seu mastro dentro de mim, bem devagarinho, porém dessa vez não senti dor nenhuma, pelo contrário, foi uma delícia, teve momentos que ele tirava o pau totalmente de dentro de mim e depois enfiava tudo de uma só vez, eu delirava tanto que não demorou muito e acabamos gozando, ele me encheu de tanta porra que até fiquei surpreso.

Depois disso, fui tomar um novo banho e quando voltei ia me trocando e ele pediu pra eu dormir com ele aquela noite. Como estava sozinho naquele fim de semana, resolvi aceitar, afinal teria que pegar outro ônibus pra ir embora e já estava um pouco tarde então resolvi topar.

Dormi com ele na cama de casal e acordei pela manhã com ele chupando meus mamilos, me deixando louco de tesão já cedo, me virou então de costas e chupou meu cuzinho tão gostoso que quase gozei só com sua língua. Daí ele me chamou de putinha e disse pra eu chupá-lo que queria gozar na minha boca de novo. Não me fiz de rogado e mamei aquela pica gostosa até ele derramar toda sua porra dentro da minha boca novamente (que delícia). Como eu não tinha gozado ele também fez um oral delicioso, enfiando seu dedo em meu rabinho até eu gozar em sua boca também.

Pouco depois me despedi, não sem antes pegar o telefone da agência de publicidade dele para podermos marcar algo novamente (algo que com certeza aconteceu, mas aí é outra história).

Entre em contato com o autor em: https://disponivel.uol.com.br/Casadobi63

Gostaria de enviar o seu conto? Clique aqui!

Mais de #SEXO ANONIMO
- Dando o cu depois de casado
- Trepando com o caminhoneiro casado
- O pedreiro
- Ex-presidiário falou que eu ia chorar na rola imensa dele
- Fui menina pra ele
- Comi o filho da faxineira
- Ex-funcionário do meu pai me fez feliz pela primeira vez
- Exame de próstata com final feliz
- O velho da construção
- Padre ajoelhou, rezou e chupou

COMENTÁRIOS DE QUEM LEU!

Gostou? Deixe seu comentário

Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentário sobre o conto!