Contos Eróticos

#OUTROS Geraldo me ensinou a trepar em São Vicente

Desde de sempre, quando o tempo estava legal, curtia muito fazer um bate-volta para o litoral mas sem um local pré-definido. Na rodoviária do Jabaquara eu usava um serviço de vans. Depois descobri  serviço de carona pela net, bem mais barato e mais fácil de acessar do que ir até o Jabaquara.

Facilmente a gente aprende o que deve levar na mochila para passar o dia, e como guardá-la para poder entrar no mar. Aprende também aonde comprar barato algo para comer e beber. Mas o foco não é  ensinar o lance, isto tem que praticar para aprender.

Um local que sempre rola lances legais é em São Vicente, a praia não é boa mas a galera que frequenta é bem liberal. Numa das vezes, depois de ter entrado no mar, tomei uma ducha e fiquei sentado tomando sol. Por volta das 11:30h, um cara de uns 40 anos, Geraldo, chegou na praia, colocou a cadeira próximo de onde eu estava sentado na areia.

Reparei que tinha um corpo legal, bronzeado, um típico morador do pedaço. Como ele estava desligadão, deixei de observar e, sem eu esperar, ele perguntou se eu iria ficar por ali. Respondi que sim e ele perguntou se eu poderia dar uma olhada nas coisas dele pois iria entrar no mar. Respondi que sim e ele foi para água.

Não demorou e ele retornou. Reparei no volume que aparecia na sunga dele e brinquei dizendo que tinha sido bem rápido. Ele também deu risada e respondeu que na verdade tinha ido dar um mijão e segurou a vara. Continuei o papo e brinquei que pelo jeito, ele ainda precisava ficar na água.

Ele pediu para eu sentar ao lado dele e continuamos a trocar idéias. Claro que o papo rolou em torno de sexo. Ele dizia que eu parecia que gostava da coisa. Dei risada e respondi que curtia muito.

Falamos um montão de putarias e estava de pau duro, disse que agora seria minha vez de entrar na água pois estava com pau todo melado.

Fui para a água e demorei um tempo. Quando voltei ele estava em pé e disse que já iria embora e que eu tinha demorado um tempão. Me despedi dele e, para minha surpresa, ele disse que estava me esperando para ir para o ap dele. Sem pensar respondi: Vamos lá.

Ele perguntou onde estavam minhas roupas e respondi que tinha deixado na barraca de bebidas. Ele disse que deveríamos pegar pois eu não poderia entrar no prédio só de sunga. Passamos pela barraca, peguei minha mochila, coloquei camiseta, bermuda e chinelos e fomos para o apto dele.

Mal entramos no apto e ele mandou eu tirar a roupa para tomarmos banho. Quando entramos no box, olhei para ele pelado e vi que realmente tinha uma vara enorme. Começamos a tomar banho juntos e a brincadeira começou a rolar, um passando a mão no peito do outro, um segurava o pau do outro e não demorou e lá estava ele me abraçando e beijando.

Terminamos o banho e fomos para o quarto. Ele começou a me beijar e foi chupando meus mamilos, a barriga, até chegar no meu pau. Eu estava no maior tesão e meu pau não parava de babar. Ele começou a lamber a baba e depois engoliu todinho meu pau. 

Eu tava num tesão desgraçado, gemia sem parar e não via a hora de fudê-lo. Enquanto pensava nisso, ele começou a chupar meu saco e foi aumentando as lambidas até chegar no meu cuzinho. Eu estava pensando que ele queria me dar, mas parecia que as coisas estavam mudando de rumo. Me virou de bruços, abriu minha bunda e começou a enfiar a língua no meu cú.

O FDP do Geraldo sabia chupar gostoso um cú, meu tesão aumentou com as chupadas. Ele pegou o gel que estava ao lado, lubrificou meu cu, o pau dele e começou a brincar com aquela vara enorme no meu cuzinho.

Geraldo: Caralho cara, seu cuzinho não para de piscar pedindo vara.
Eu: Nada disso, tô no tesão mas queria te fuder.
Geraldo: Deixa eu brincar um pouco nesse seu cuzinho e depois você me fode também.
Ele intensificou as brincadeiras no meu cu e, como viu que eu não apresentava resistência, colocou um travesseiro em baixo da minha barriga, para deixar minha bunda levantada e começou a colocar a cabeça do pau na entrada do meu cu.
Geraldo: Vai seu gostoso, abre bem esse cuzinho que vou arregaçar bem gostoso.
Eu: Cara, vai com calma, não tô acostumado levar vara e seu pau é muito grande.
Geraldo dava risada e disse: Vai aprender a rebolar na minha vara, quero você bem safadinho, bem viadinho pedindo vara.
Ele pediu para eu fazer como se eu fosse cagar e, quando abri um pouco o cu, ele começou a enfiar aquela vara. Sentia que eu estava sendo arregaçado. Mal a cabeça começou a entrar, e senti uma dor violenta e pedia para ele parar que estava doendo muito.
Geraldo: Relaxa, você sabia que iria levar vara, vou te fuder muito. Quero arregaçar esse seu cuzinho. Você será meu viadinho delicioso.

A medida que falava, ele enfiava mais a vara no meu cu. A medida que aquele pau enorme ia entrando, eu me sentia rasgado. Parecia que estava sendo estourado por dentro. Quando ele acabou de enfiar a vara todinha no meu, ele se deitou sobre mim e disse: Pronto, agora relaxa, a dor já vai passar e vamos te fuder muito.

Fiquei relaxado e perguntei porque ele disse "vamos" te fuder muito. Ele deu risada e pediu para eu aguardar que logo saberia. Como viu que eu estava relaxado, voltou a bombar e perguntou se a dor tinha passado. Respondi que só incomodava um pouco porque o pau dele era muito grande.
Geraldo: Tranquilo, daqui a pouco você se acostuma e vou te fuder muito. Ele tirou o pau do meu cu, lubrificou mais ainda enfiando dois dedos dentro do meu cu e voltou a me fuder. Agora ele tirava o pau todinho para fora e enfiava tudo de uma só vez.
Geraldo : Prontinho, agora seu cu esta arregaçado e você vai adorar levar vara. Ficou em pé ao lado da cama e me puxou para a beirada. Agora começou a me fuder tipo frango assado.
Geraldo: Caralho, esse seu cú é guloso mesmo. Não para de piscar querendo vara. Agora eu não sentia mais dor e o tesão tinha voltado com tudo.
Eu: Vai Geraldo, fode gostoso, mas não goza dentro.
Geraldo: Safado, pensa que não sei que tá louco para sentir esse cu cheio de leite. Seu pau tá durasso, sentindo eu te fudendo.

Bombava sem parar, quando tentei segurar meu pau para bater uma punheta, ele não deixou e disse que eu não deveria gozar pois ainda ira levar muita vara. Senti ele ofegante e seu saco batendo na minha bunda Geraldo : Vou encher vc de leite.
Senti aquela porra quente inundando meu cu e ele socando devagar. Tirava o pau do meu cu e enfiava novamente. Quando ele terminou de gozar, colocou a toalha na cama e mandou eu deitar em cima da toalha para não vazar porra na cama. Disse que iria se limpar e já voltaria.

Ele foi para o banheiro e depois de um tempo voltou, deitou do meu lado, me abraçou e disse:
Geraldo: Desde que te vi na praia sabia que iria te fuder muito. Adorei essa sua bundinha linda e pequenininha. Tenho um amigo que também vai adorar.
Eu : Pô cara, também gosto de fuder.
Geraldo deu risada e disse: Calma, nesse final de semana você será só nosso viadinho. Vamos te fuder muito.
Eu: Mas de quem você está falando ?
Geraldo: De um amigo aqui do prédio. Daqui a pouco ele vira te fuder também.
Eu: Não cara, não vou aguentar, meu cú tá ardendo.


Mal acabei de falar, toca a campainha e ele foi atender. Era o amigo dele que ele já tinha chamado quando disse que iria se limpar. O amigo dele veio para o quarto, tirou a roupa e Geraldo deitou ao meu lado. Me abraçou me deixando de ladinho e o amigo dele já veio para cama e se encaixou atrás de mim.
Amigo: Gera, você arregaçou ele.
Geraldo dando risada: Tá prontinho para você, até com minha porra no cu.
Amigo: Será que ele aguenta ?
Geraldo: É viadinho, pode fuder sem dó.
Senti o pau do amigo dele roçando minhas coxas e ele começou a me alisar.
Amigo: Caralho, esse vai ficar todinho estourado.
O amigo do Geraldo pediu gel, encheu meu cu e já começou a enfiar a vara no meu cu.
Eu não tinha visto direito o cara pelado mas sentia que a vara dele era muito mais grossa que a do Geraldo e naquela posição que eu estava, a vara dele não entrava.

Então Geraldo sentou, encostado na cabeceira da cama, mandou eu ficar de 4 e chupar o pau dele que estava meia-bomba. Quando fiquei nessa posição, o amigo dele começou a enfiar os  dedos no meu cu e disse: Agora sim, vou fuder muito esse seu novo viadinho. Eu não estava curtindo ser tratado como viadinho e nem o amigo dele para me fuder. Queria que terminasse logo para eu poder ir embora e voltar para a praia. Voltei a mamar o Geraldo e o amigo dele começou a enfiar o pau no meu cu.

Não sei se era a vontade que terminasse logo ou o que era, que comecei a rebolar para aquela vara entrar logo no meu cu e o amigo dele gozar. Quando a vara do amigo entrou, meu tesão voltou e comecei a chupar intensamente o Geraldo. Tirava a boca do pau dele e pedia para o cara me fuder. O cara dava uns tapas bem gostosos na minha bunda e mandava eu rebolar. Socava a vara em mim e, como o Geraldo, começou a tirar e enfiar a vara de uma vez dentro do meu cu.

Geraldo não parava de me chamar de viadinho, me fazer lamber o saco dele e agora o pau dele estava duro como pedra. Geraldo então se deitou na cama, o amigo dele ficou em pé ao lado da cama e Geraldo mandou eu sentar na vara dele para cavalgar. Fui por cima e o amigo dele segurava o pau do Geraldo para que entrasse tudo no meu cu. Eu estava cavalgando na vara do Geraldo e foi quando ele me puxou e começou a me beijar com aquela vara enorme dentro do meu cu. 

Eu estava delirando de tesão. Ainda não tinha gozado e sentia Geraldo me beijar e bombar a vara em mim. Foi quando o amigo dele se posicionou atrás de mim, Geraldo me segurou bem firme e o amigo dele começou a tentar enfiar a vara no meu cu junto com o pau do Geraldo. Toda a dor que já tinha passado voltou e disse para o Geraldo que estava doendo muito.
Geraldo: Calma meu viadinho, relaxa bem, agora você vai ter duas varas dentro desse seu cuzinho lindo. Vamos te arregaçar hoje.
Eu: Não Geraldo, não aguento. Seu pau já doeu muito. Geraldo: E você aguentou e gostou. Agora vai aprender a levar duas varas. Vai doer um pouco mas você também vai adorar. O amigo do Geraldo se animou com a conversa e começou a forçar o pau dele entrar no meu cu. Agora eu não sentia tesão, só muita dor.
Eu: Por favor Geraldo, tira sua vara e deixa só seu amigo fuder.
Geraldo: Safado, gostou da vara dele, bem grossona. O amigo dele foi forçando e o pau começou a entrar. Nunca senti tanta dor na vida. Sabia que estava sendo estourado, arregaçado. O pau do amigo dele entrava um pouco, eu sentia muita dor e chorava.
Eu: Por favor, para, não to aguentando.
Amigo: Calma, o pior já passou, meu pau já está dentro.


O cara deu umas bombadas e acho que meu choro acelerou o cara a gozar. Eu podia sentir a porra dele vazando do meu cu. O amigo do Geraldo acabou de gozar e deitou ao lado do Geraldo na cama. Eu relaxei e ainda com o pau do Geraldo dentro do meu cu, coloquei a cabeça no peito dele e disse que precisava ir embora. Foi quando Geraldo me colocou de bruços na cama e pediu para eu expelir a porra que tinha dentro do cu. Eu estava muito dolorido, fiquei de bruços e fazia como se fosse cagar para a porra sair todinha. Nem reparei que o amigo do Geraldo estava filmando meu cu expelindo a porra.

Geraldo pegou um pano, acabou de limpar meu cu e me mostrou o pano com a porra que tinha saído do meu cu e com todo sangue que veio junto. Pegou uma pomada, passou no meu cu e me disse que iria ficar dolorido por uns dias mas que logo mais estaria bom. Ele foi para cozinha e fiquei na cama com o amigo dele. O cara começou a conversar comigo e disse que eu tinha bunda pequena, e foi por isso que doeu muito mas que logo mais eu iria aprender a gostar de ter DP no meu cuzinho. Que já estava todo arregaçado. Me puxou para o lado dele e começou a mostrar a filmagem que tinha feito do meu cu. Foi quando vi que estava mesmo arregaçado. Ele me mostrou a vara dele e foi então que reparei que não era grande como a do Geraldo mas era muito mais grossa. O pau dele tinha uma cabeça bem pontuda o que eu acho que facilitou ele enfiar no meu cu, enquanto o pau do Geraldo estava lá dentro.

Geraldo voltou para o quarto e me chamou para ir tomar lanche. Quando fui vestir a bermuda ele mandou eu ficar peladinho. Eu só iria andar pelado no apto dele. Fomos para cozinha e comi o lanche que ele preparou. Disse que teria que ir embora que ainda queria entrar na água antes de retornar para São Paulo. Geraldo disse que seria melhor eu não voltar para praia pois tinha sangrado muito e meu cu iria arder muito no mar.

Voltamos para o quarto, o amigo dele estava vendo TV. Deitei no meio dos dois e disse que queria mesmo ir embora. O amigo do Geraldo perguntou se eu tinha gozado e respondi que não precisava. Ele disse que eu só iria embora depois de gozar bem gostoso. Pegou meu pau que estava mole e começou a chupar. Não demorou e ficou duro, e ele começou a punhetar bem devagarinho.

Geraldo levantou minhas pernas, voltou a lubrificar meu cu e eu disse que não aguentava mais dar o cu. Ele deu risada e disse que iriam me fazer gozar gostoso. Foi quando vi Geraldo com um consolo enorme e ele disse que queria que eu gozasse, mas com aquele consolo todinho dentro de mim. Respondi que não iria aguentar.
Ele deu risada e me disse: Você já aguentou 2 varas no cu, agora vamos terminar serviço. Te quero todo arregaçado. Você só vai embora depois que esse consolo estiver todinho dentro do seu cu e você gozar. Sabia que não tinha jeito e comecei a facilitar para aquele consolo enorme entrar em mim. Geraldo brincava  com o consolo e foi enfiando.  Eu nunca na vida tinha levado duas varas no cu e nunca tinha enfiado nada no cu. Tudo era novidade e eu sentia que, mesmo doendo muito, eu estava curtindo o lance de ser arregaçado.
Eu: Vai Geraldo, enfia essa merda todinha no meu cu.
Geraldo: Isso viadinho, assim que eu gosto. Já aprendeu a gostar de varas nesse seu cu arregaçado. Geraldo e amigo se revezavam em enfiar aquele consolo em mim e adoravam fazer aquilo. Eu: Caralho, entrou tudo, não tira, vou gozar. Acho que nunca tinha dado uma gozada como aquela. Uma mistura de tesão de ter sido arregaçado por 2 machos, DP e um consolo enorme no cu. Depois que gozei, Geraldo mandou eu ir para o banheiro me limpar.

Quando voltei para o quarto, Geraldo e amigo estavam fazendo um 69 e resolvi não atrapalhar. Geraldo estava por baixo e o amigo por cima. Ele me entregou o consolo e fez sinal para enfiar no cu do amigo. Comecei a colocar o consolo na entrada do cu do amigo mas o consolo não entrava. O próprio amigo segurou firme a minha mão e começou a forçar o consolo no cu. Quando me dei conta, aquele cuzão estava abertão e o consolo entrando. Me empolguei e comecei a bombar o consolo do cu do amigo.

Eu já tinha gozado mas meu pau ficou duro novamente e começou a babar. Conforme eu bombava aquele consolo no cu do amigo, ele intensificou a mamada e Geraldo gozou na boca dele. Geraldo fez eu deitar na cama e o amigo dele começou a lamber meu pau melado, e agora oGeraldo bombava o consolo no cu do amigo. Quando o amigo estava para gozar, Geraldo colocou o amigo deitado na cama, com o consolo enfiado no cu e mamou o amigo até que o cara gozasse.

Eu nunca tinha visto, nem vivido algo assim. Estava num puta tesão novamente. Mal Geraldo acabou de mamar o amigo, começou a me punhetar com a boca na cabeça do meu pau e não aguentei, gozei novamente. Geraldo engoliu todo o leite. Depois suado se deitou do meu lado, me beijou e disse que queria que eu voltasse no apto dele. Na próxima vez, ele seria o viadinho para mim e para o amigo.

Dei um tempo e disse que iria embora. Ele mandou eu me vestir. Quando eu estava pronto para ir, ele e amigo me abraçaram, me beijaram e disseram que adoraram me fuder. Para eu voltar no próximo final de semana. Respondi que ira tentar. Agradeci, beijei os dois e fui embora. Ainda dei uma volta na praia mas não entrei mais na agua. Eu sentia que ainda estava muito dolorido e resolvi voltar para SP.

Passei a semana inteira lembrando da trepada e não via a hora de chegar final de semana para voltar. Na 6ª Feira seguinte, recebo mensagem do Geraldo pedindo para eu ir na 6ª Feira a noite mesmo e ficar com eles no apto. Não pensei muito e a noite lá estava eu.

Ja fazem uns 6 meses que tenho ido constantemente a praia, mas agora nem ligo mais se o tempo está bom ou não. Adoro ficar no apto com o Geraldo e ele sempre traz novos amigos para brincarmos juntos. Depois conto para vocês minha experiência com 3 amigos dele juntos com a gente. Foi uma loucura deliciosa e hoje aguento todos no mesmo dia e o pessoal adora me fuder.

Como disse no início, São Vicente não é praia boa para entrar no mar mas o local é maravilhoso para curtir. Sempre rola lances legais por lá. Se tiver oportunidade, visite e fique a noite numa das barracas. Tem gente maravilhosa por lá.

Gostaria de enviar o seu conto? Clique aqui!

Mais de #OUTROS
- Depilação com meu filho
- Dando pra dois irmãos
- Enfim transei com meu irmão
- O adolescente pauzudo
- Amigo do meu irmão
- Fui fazer exame admissional e comi o médico
- Pedi açúcar a meu vizinha e ele me deu piroca
- Meu amigo Padre Pauzudo
- Transando com o Pastor da Igreja
- Meu vizinho cara de mau

COMENTÁRIOS DE QUEM LEU!

Gostou? Deixe seu comentário

Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentário sobre o conto!