Contos Eróticos

#OUTROS Em São Vicente, Geraldo traz 3 amigos para me arregaçar e eu adorei

Depois  que conheci Geraldo, passei a ir sempre para São Vicente. Frequentava a praia e depois ia para o apto dele, onde a única exigência que ele fazia era que eu deveria sempre ficar pelado no apto e topar brincar com qualquer amigo dele que estivesse a fim de trepar comigo em qualquer lance. Alguns eram bem legais, quase todos versáteis, poucos passivos e vários ativos pelo menos comigo.

Em um sábado, após voltarmos da praia, Geraldo disse que viriam 3 amigos dele e que os 3 iriam brincar muito comigo e iriam me ensinar algumas coisas novas. Pediu para que eu fizesse uma chuca bem feita e, depois de umas 2 horas, os 3 amigos chegaram juntos.

De cara, 2 me chamaram a atenção, sarados sorridentes e bem safados. O outro não curti muito, o cara era mais velho e bem seco. Como eu estava pelado, ele me segurou pelo braço, me virou, examinou minha bunda e perguntou para o Geraldo se eu já tinha experimentado a brincadeira. Geraldo respondeu que não, mas que ele poderia ficar tranquilo que eu era bem obediente e iria topar tudo. Não sabia do que se tratava e fiquei curioso. Perguntei para Geraldo o que queriam fazer e Geraldo pediu para eu aguardar.

Um dos caras que eu tinha gostado, Waldemir, ficou pelado e pediu para eles darem um tempo, pois queria aproveitar bastante antes deles cuidarem de mim. Me puxou para o quarto, me alisou gostoso, me beijou e pediu para eu mamar o meu novo macho. 

Ele se deitou na cama e comecei a mamar o pau dele, que não era grande, mas tinha um gosto bom. Lambi o saco e ele pediu para eu virar a bundinha para o rosto dele. Me posicionei e, enquanto ele linguava meu cu, engolia todo pau dele. Não demorou e o outro cara gostoso entrou no quarto.

Pediu para eu me posicionar que iria me fuder, e para eu continuar a mamar o Waldemir. Fiquei de 4 mamando o Waldemir e o Helio (o outro cara gostoso), começou a lambuzar meu cu com gel. Dava risada e dizia para o Waldemir : - Esse cara já tá todo arregaçado, hoje vai ser fácil para o Antonio (cara que eu não tinha curtido).

Começou a enfiar a vara no meu cu e pedia para eu gemer e rebolar sentindo a vara dele e a do Waldemir. Nem precisava pedir, eu estava adorando aqueles dois caras sarados e gostosos me fudendo na boca e no cu. Não demorou quase nada e senti o Helio ofegante e aquela sensação de porra quentinha enchendo todo meu cuzinho. Pedia para ele socar forte e ele começou a tirar e a enfiar o pau no meu cu. Não demorou e caiu deitado na cama ao lado do Waldemir que na hora mandou eu cavalgar no pau dele.

No tesão que eu estava, com cu lambuzado de gel e cheio de porra, sentei no pau do Waldemir que entrou todinho no meu cu. Eu estava com tanto tesão que comecei a cavalgar intensamente. Queria sentir Waldemir gozando e enchendo novamente meu cu de porra. Quando Waldemir gozou, parei de cavalgar mas continuei sentado na vara dele e comecei a me punhetar. Helio mandou eu parar e chamou o Antonio (o cara que eu não tinha curtido).

Antonio veio junto com Geraldo para o quarto, pediram para Waldemir deixar eu deitar de bruços na beirada da cama e, enquanto Geraldo abria as minhas nadegas, Antonio pegou um pote grande que tinha trazido e começou a passar um tipo de gel oleoso no meu cu. Ele passava o óleo, massageava e introduzia o óleo dentro do meu cu com dedo. Ele comentava com Geraldo que eu estava sem nenhuma prega e já estava bem arregaçado. Geraldo dava risada e dizia que eu já aguentava o maior consolo que ele tinha. Parece que foi um sinal. Hélio pegou o consolo e começou a ajudar Antonio a lubrificar meu cu com óleo, e enfiava o consolo no meu cu.

A medida que brincavam com meu cu, enfiando o consolo e os dedos, Waldemir começou a filmar e Geraldo pediu para tomar cuidado para não identificar ninguém no vídeo. Só sei que eu estava cheio de porra no cu, gel e agora aquele óleo. Antonio pegou o consolo e começou a enfiar no meu cu junto com os dedos deles. Geraldo dava risada e dizia que podia continuar, sem dó, que meu cu já tinha levado 2 varas juntas. Agora tanto Antonio como Hélio se revezavam em enfiar o consolo no meu cu e depois enfiavam os dedos. No começo foi bastante incomodo mas fui me acostumando.

Antonio tirou o consolo e começou a bombar meu cu com os 4 dedos, Waldemir alisava meu corpo e pedia para eu ficar bem relaxadinho, que logo eu iria delirar de tesão. Sentia os dedos do Antonio dentro do meu cu e massageando minha próstata e ele dizia: Tá gostoso viadinho ? Tá sentindo tesão? Eu respondia que sim, que estava gostando.

Antonio: Abra bem o cuzinho como se fosse cagar.
Comecei a forçar o cuzinho e senti que os dedos do Antonio forçavam mais a entrada no meu cu.
Antonio: Relaxa viadinho, já tá quase no ponto, pisca esse cu e abra bem.
Eu não sentia nenhuma vergonha de fazer o que ele pedia e confesso que até gostava de saber que tinha 4 machos apreciando minha bunda, meu cu e fazia o que Antonio mandava.

Conforme o Antonio tirava um pouco os dedos, Geraldo enchia minha entrada do cu de óleo e Antonio voltava a forçar os dedos na entrada do meu cu. De repente senti uma dor violenta e pedi para parar.
Antonio disse: Calma, relaxa, fica quietinho agora. Minha mão já esta todinha dentro do seu cu.
Na hora pensei ter ouvido errado, mas sentia um desconforto enorme, era a mão dele que estava todinha dentro do meu cu.
Aquilo incomodava muito e estava bem dolorido. Pedi para ele tirar a mão do meu cu, mas Geraldo pediu para eu aguentar um pouco mais. Geraldo explicou que agora Antonio iria fechar a mão dentro do meu cu e que a dor iria diminuir.
Enquanto me explicava, Antonio fechou a mão dentro do meu cu e disse: Pronto viadinho, agora vai ser só tesão.

Passou um tempinho e ele começou a bombar aquela mão fechada dentro do meu cu, como se fosse um pauzão bem grosso me fudendo. Brincou um tempo e com todos olhando. Waldemir ainda me ajeitou melhor na cama e colocou travesseiros em baixo de mim para eu ficar numa posição mais confortável e melhor para ser fistado pelo Antonio. Antonio delirava com aquilo e comentava com o pessoal: Que moleza inaugurar esse cara. Nunca arregacei um cu tão fácil.

Eu já não tinha ido com a cara dele e aqueles comentários me deixaram puto da vida. Pedi para parar, que não queria mais e tentei ma virar na cama mas Hélio, Geraldo e Waldemir me seguraram e pediram para eu me acalmar, que Antonio já iria terminar e se eu me movimentasse iria ficar machucado. Senti o Antonio abrir novamente a mão dentro do meu cu e tirar de dentro. Quando achei que tinha terminado, ele enfia novamente a mão. Tentei travar o cu mas Antonio comentou que se eu continuasse a fazer isso, iria doer muito mais, mas ele não se importaria, não iria parar. Iria terminar de me arregaçar.

Não teve jeito, relaxei e a mão dele entrou todinha novamente no meu cu. Ele brincava de abrir e fechar a mão la dentro e massagear a minha próstata e, quando estava com a mão fechada, tirou de uma vez de dentro do meu cu, parecia que eu estava sendo rasgado, nem tive tempo de pensar e ele enfiou novamente a mão fechada dentro do meu cu. Já nem distinguia quando a mão estava aberta ou fechada, mas Geraldo, Hélio e Waldemir se divertiam em ver Antonio arregaçando meu cu.

Depois de um tempo, Antonio tirou a mão do meu cu e disse para Hélio: Pronto, agora esta bem inaugurado, pode vir se divertir com seu viadinho. Antonio se levantou, Hélio foi para a beirada da cama, lambuzou a mão e o braço com aquele gel oleoso e começou a enfiar a mão no meu cu. Interessante que a mão do Hélio entrou sem me provocar nenhum incomodo. Talvez por eu já estar arregaçado ou pelo tesão que sentia pelo Hélio.

Helio começou a socar a mão no meu cu como se fosse uma vara, me chamava de viadinho delicioso e cada vez mais aprofundava mais a mão no meu cu. Agora Geraldo, Waldemir e Antonio se pegavam, mamavam um ao outro enquanto Hélio ficava só cuidando de mim e do meu cu.

Depois de um tempinho, enquanto Geraldo e Antonio se pegavam, Waldemir deitou do meu lado e Hélio tirou a mão do meu cu. Lubrificou o cu do Waldemir e começou a fistá-lo, pediu para eu olhar para ver o que eles tinham feito comigo. Fiquei louco de tesão, Hélio enfiava a mão no cu do Waldemir e aprofundava até a metade do braço. Perguntei se ele tinha colocado o braço assim em mim e ele disse que não, que hoje tinha sido minha primeira vez e que eu ainda não aguentaria. Pediu para eu sair da cama e para Waldemir ajoelhar e deitar na beirada da cama. Mal Waldemir se ajeitou, ele voltou a enfiar a mão no cu do Waldemir e mandou eu dar minha vara para ele mamar. 

O Hélio sabe mamar deliciosamente. Ele me dava umas sugadas como se fosse engolir meu pau. Eu delirava de tesão e não aguentei, comecei a gozar. Hélio tomou todo leitinho e disse: Caralho cara, que gozada gostosa, adorei seu leitinho. Vem aqui. Ele tirou a mão do cu do Waldemir, encheu minha mão e meu braço com aquele gel oleoso e disse que iria me ensinar a fistar um cu.

Pediu para juntar todos os dedos e ir colocando no cu do Waldemir.
Nossa, que facilidade. Brinquei com Hélio e disse que minha mão já tinha entrado todinha.
Geraldo: Isso, agora feche a mão dentro do cu dele, faz de conta que é seu pau e bomba sua mão no cu dele.
Brinquei um pouco com a mão dentro do cu do Waldemir e um tesão tomou conta de mim. Coisa deliciosa sentir aquele calor do cu dele na minha mão. Me empolguei e comecei a bombar mais forte, mas Waldemir pediu para eu abrir a mão e ir aprofundando mais no cu dele.
Quando comecei a fazer isso, olhando para a bunda dele, Hélio parou do meu lado, puxou meu rosto e enfiou a vara na minha boca: Agora fode o cu dele e mama meu pau até eu gozar. Quero vc engolindo todo meu leite como fiz com vc.

Hélio bombava forte aquela vara na minha boca e eu enfiava cada vez mais a mão no cu do Waldemir. Senti o cu do Waldemir apertando meu braço, ele gemer e dizer que iria gozar. Hélio intensificou as bombadas e encheu minha boca de leite. Nunca tinha engolido porra, mas adorei experimentar a porra daquele cara delicioso. Não sei se foi imaginação minha, mas fiquei com impressão que Waldemir estava gozando pelo cu. Comentei e Hélio deu risada. Mandou eu ir retirando bem devagar a mão de dentro do cu do Waldemir que ele estava expelindo o gel que estava dentro dele.

Conforme retirei a mão do cu do Waldemir, Geraldo se aproximou e mandou eu ficar de 4 na cama e, sem menor dó, enfiou aquele pau enorme no meu cu que nem ofereceu resistência. Sentia o saco do Geraldo bater na minha bunda e ele me chamar de viadinho, de arregaçado e socava sem dó alguma. Encheu meu cu de porra, deitou no meio da cama e mandou eu deitar na beirada da cama, mas com a cabeça para fora da dela. Me ajeitou na cama e Antonio veio e começou a socar a vara na minha boca.

Mandava eu abrir bem a boca, não encostar os dentes no pau dele e enfiava todo o pau dentro da minha boca, e dizia para eu aguentar que iria chegar na garganta. Eu ficava sufocado, ele tirava o pau, eu dava uma respirada e ele voltava a socar a vara na minha boca. Eu estava bem sufocado, tentei me virar para tirar o pau dele da boca mas Geraldo me segurou firme e disse para eu sentir Antonio gozando direto dentro da minha garganta. Como eu não tinha curtido muito ele, achei que o gosto da porra dele era ruim, não era gostosa como a do Hélio, mas engoli tudo para ele retirar logo o pau.

Mal ele tirou o pau da minha boca, senti um alivio e pude respirar gostoso. Geraldo dava risada e brincava com os amigos dizendo que eles tinham me deixado um viadinho completo. Agora eu aguentaria  tudo o que ele desejassem fazer comigo.
Hélio deu risada e respondeu que estava quebradão mas que voltaria no dia seguinte para fazerem uma DP em mim.
Geraldo sorrindo respondeu: Veja, me virou de bruços, pegou o seu maior consolo e enfiou no meu cu. Você que sabe, hoje ele tá prontinho, nem precisa lubrificar. É só arregaçar mais.
Hélio respondeu que não aguentava mais, e Geraldo mandou eu ficar deitado com consolo dentro do cu.
Esperou os amigos se arrumarem e irem embora. Voltou para o quarto e disse para que eu sentasse na vara dele, mas que queria eu eu segurasse o pau dele junto com o consolo para entrar tudo no meu cu.

Por mais que eu tentasse, o pau dele, meia-bomba, e o consolo juntos, não entravam. Isso deixou ele bem aborrecido que se levantou, mandou eu ir para a beirada da cama, enfiou o maior consolo no meu cu, depois que estava tudo dentro, pegou o outro consolo e começou a enfiar. Eu disse que estava doendo e ele respondeu que o problema era meu. Ele iria enfiar os dois consolos e eu teria que aguentar.

Foi ai que comecei a perceber que o lance dele era mais de judiar, do que só trepar. Mas resolvi cooperar e deixar ele enfiar logo o segundo consolo para tudo aquilo acabar. Quando eu estava com os 2 consolos dentro, ele fotografou, mandou eu deitar na cama com os 2 consolos dentro, deitou ao meu lado e começou a mostrar as filmagens que eles tinham feito de mim. Foi mostrando as cenas e comentando que eu já estava todo arregaçado. Mostrou eu sendo fudido pelo Waldemir, pelo Hélio, o Antonio me fistando, eu mamando Hélio, e agora os dois consolos.

Depois que olhamos todas as fotos e videos, ele mandou eu me arrumar que iriamos sair. Ele iria me ensinar a caçar carinhas a noite na praia para fudermos juntos.

Mas essa será outra história. Tenho que admitir, Geraldo sabe mesmo cuidar de nós e nos transformar em viadinhos para servi-ló. Já percebi que serei usado por um tempo e que logo serei descartado, depois de bem arregaçado, mas vou aproveitar tudo o que der.

Gostaria de enviar o seu conto? Clique aqui!

Mais de #OUTROS
- Depilação com meu filho
- Dando pra dois irmãos
- Enfim transei com meu irmão
- O adolescente pauzudo
- Amigo do meu irmão
- Fui fazer exame admissional e comi o médico
- Pedi açúcar a meu vizinha e ele me deu piroca
- Meu amigo Padre Pauzudo
- Transando com o Pastor da Igreja
- Meu vizinho cara de mau

COMENTÁRIOS DE QUEM LEU!

Gostou? Deixe seu comentário

Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentário sobre o conto!