Contos Eróticos

#OUTROS No parque, de bike

Sou coroa, casado, grisalho, 1,70m, 80k, estou barbudo, barriguinha, precisando perder uns quilos.

Sem muito costume de pedalar, resolvi começar de leve num parque de São Paulo. O movimento era interessante, e soube que haviam trilhas boas a seguir, mas sem conhecer, não arrisquei no primeiro momento. Parei para uma água e apreciar o lago, e então um cara de bike parou próximo. Já o havia notado na semana anterior. Belo homem, jovem, grande, corpo bonito, bem cuidado, braços e pernas com pelos másculos. Talvez dei bandeira ao apreciar, mas como resistir?

Acabou que ele puxou assunto, falamos sobe o dia, o bom local pra bike, o costume de pedalar, e assim foi. Ele já conhecia o parque, tinha costume com o lugar! Perguntou se fui as trilhas, e disse que ele conhecia bem. Não quis acompanhar, e ficou nisso. A conversa foi rápida e "tchau, beleza, nos falamos, tô sempre aqui neste horário". Legal, senti como um toque!

Durante a semana lembrei algumas vezes dessa conversa e pensando: "bem que podia rolar". Domingo seguinte amanheceu mais frio, e até garoa, mas fui de novo, e lá estava ele, com frio e tudo! Nos cumprimentos e seguimos meio lado a lado. Ele perguntou se gostaria de conhecer as trilhas, e fomos. Alguns lugares mais fechado, belo passeio. Em um momento derrapei, e decidi andar com a bike ao lado. Conversando, bebendo água, num local mais fechado ele parou pra mijar, e resolvi acompanhar, mijando também. Estava com vontade, já meia bomba, com pensamentos maldosos. Ele acabou, e foi chegando a mim, sacudindo o instrumento, olhando pro meu e perguntando: "posso te beijar?" Já chegando bem junto, encostando a mão no meu pau.

O pensamento foi a mil, medo, incerteza da segurança do lugar, a aventura, a situação inusitada pra mim. Mas não deu tempo de reagir. Já fui sentindo seu bigode, sua língua em minha boca, a mão firme em meu pau pulsando.

Colamos os corpos, com beijos e encoxadas deliciosas Fui me soltando, ao mesmo tempo que o ouvido aguçou, com os barulhos da mata, e da cidade distante. Com as bikes deixadas no caminho, começamos uma pegação frenética e deliciosa. Levantei sua camisa pra apreciar seu peito másculo, peludo, gostoso demais. Ele usava calça de agasalho com elástico, e baixou a frente pra mostrar aquele pauzão grande e delicioso. Eu de bermuda com botão e zíper, que ele abriu quase a arrancar o botão, libertando minha rola baixando a cueca. Baixamos as roupa abaixo do saco, e com as bundas pra fora, nos pegamos com beijos gostosos a ralar pau com pau! Um acariciava a bunda do outro freneticamente, enquanto as rolas se melavam do intenso tesão.

Não resisti e, ali mesmo abaixei e me acabei numa bela mamada, correspondida em seguida por ele, se esfregando demais em meu pau. Sem suportar de tesão, eu disse que queira gozar. Ele então me virou de costas, encaixando o pau entre minhas coxas - se curvou para isso, pois é mais alto que eu, e eu fiquei a ponta dos pés. Sentindo todo o tesão do cara, a situação, o risco, as encoxadas e suas mãos fortes grudadas em mim, me punhetando, não segurei e gozei muito, contendo o gemido no meio da mata, que ficou silenciosa pra mim nesse momento! Ele também não segurou, e se afastou pra gozar, não sem antes deixar umas gotas de seu jato forte melar minha cueca! - foi uma aventura nova e deliciosa pra mim!

Nos ajeitamos e voltamos as bikes e a trilha, desta vez menos falantes, e de pernas meio tremulas, mas meu pensamento estava a mil, e queria mais! Pelo pouco que vi, o cara era delicioso demais. Alto, não musculoso mas muito em forma, de boné, com uma barba por fazer e bigode saliente, braços e pernas peludas, tudo muito em linha com o que mais gosto. E eu queira conferir o todo, mas o que vi, e senti, já me agradou sobremaneira!

Conversando devagar, contei a situação de ser casado e tal e disse estar com a manhã livre, e propus um motel na sequência. Combinado, prendemos sua bike junto a minha na carroceria, e bora.

Ao entrar no carro não resisti e já comecei por acariciar sua coxa máscula, conversando e ele me acariciando a nuca. Meu pau ja latejava novamente, e o dele não estava menos tenso! Passado a entrada constrangedora do motel , documentos e tal, o que dá uma broxada, entramos no quarto. Ele, tarado como eu, já foi me beijando e empurrando pra cama. Rolamos assim um bocado, até que ele foi tirando minha roupa, chupou meu pau durão, e me deixou nu! Tirou o boné e vi sua cabeça quase raspada , aí meu tesão foi a mil, curto demais! Tirou o restante da roupa, deitou-se ao meu lado e ficamos por tempos apenas nos beijando e acariciando. Sugeri um banho, que aceitou de pronto.

Liguei a sauna e ficamos de pegada, um a ensaboar o outro todinho. Passava as mãos eu seu peito másculo, seus pelos, um chupando o mamilo do outro, a rola, se alternando nas carícias, chupadas, encoxadas de frente e por trás! Sua rola linda, grande sem exageros, curvada, entrava em minha boca gostosamente, e quando ele me chupada eu acariciava aquela cabeça linda, máscula, afoito que sou já queria gozar novamente, mas ele mandou segurar e esperar.

Voltamos a cama, na pegação forte e direta. Ele então, sem nada falar, pegou o gel, quase arrancando a tampa, e foi abrindo minhas pernas, me lambuzando todo com o gel, bunda, rabo, saco, pau, me massageando todo, pôs a camisinha. Deitou sobre meu corpo melado de gel, e foi me beijando e ajustando meu corpo debaixo dele, esfregando seu pau muito duro debaixo do meu saco, preparando para o bote final. Baixou, chupou meu pau com gel e tudo e foi abrindo minhas pernas, se ajeitando e começou a entrar, devagar.

Entrava e saia, me pondo doido de prazer. Mandou eu segurar as pernas abertas no joelho, e foi metendo e me punhetando, ele esfregava seus pelos em meu saco gostosamente, ambos falando bastante sacanagens. Já estava doido de tesão e quando soltei um gemido de gozo, esporrando e espirrando em nós ambos, senti a rola dele se encher dentro de mim, e os gemidos e espasmos dele a gozar muito. Ele urrou de tesão gostosamente, que delícia sentir o líquido quente que encheu a camisinha, e ele a se entregar ao prazer junto comigo, e ele foi deitando, pesando sobre meu corpo, ambos relaxando daquela segunda gozada frenética do dia!

Ficamos assim por um tempo, suados, descansando, ele deitado sobre mim, só nas carícias! Beijamos mais um bocado e eu sentia todo o melar de minha porra entre nós! Conversamos, tomamos banho e saímos. Não sem antes beijar gostoso e combinar outras, que tô louco pra fazer novamente!

Entre em contato com o autor em: https://disponivel.uol.com.br/Ksadoquerendo

Gostaria de enviar o seu conto? Clique aqui!

Mais de #OUTROS
- Depilação com meu filho
- Dando pra dois irmãos
- Enfim transei com meu irmão
- O adolescente pauzudo
- Amigo do meu irmão
- Fui fazer exame admissional e comi o médico
- Pedi açúcar a meu vizinha e ele me deu piroca
- Meu amigo Padre Pauzudo
- Transando com o Pastor da Igreja
- Meu vizinho cara de mau

COMENTÁRIOS DE QUEM LEU!

Gostou? Deixe seu comentário

Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentário sobre o conto!