Contos Eróticos

#FETICHE O Caminhoneiro

Resolvi viajar no fim de semana para dar uma escapada da rotina, e na estrada meu carro quebrou, fiquei no acostamento esperando ajuda. Depois de um tempo apareceu um caminhão guincho que veio ver o que aconteceu, depois de alguns minutos a caminhoneiro chegou a conclusão que eu precisava ser rebocado, o que concordei pois não entendia nada de mecânica .

Eles preparou o caminhão e guinchou meu carro, e perguntou se eu queria carona na boleia, nunca tinha viajado de caminhão e aceitei, mas assim que entrei percebi que o caminhão era a casa dele, tinha uma cabine estendida, então ficou meio constrangedor pois eu tava na casa de um caminhoneiro macho, mas que começou a ficar excitante também.

Antes de começar a viagem, ele foi ajeitar a cabine e passou por trás de mim, e esfregou as pernas nas minhas costas e neste momento percebi que o cara era um macho gostoso, musculoso, forte, e lisinho. E pelo jeito ele tava com vontade de fazer alguma sacanagem, mas ainda não estava muito claro, ele estava arrumando o espaço e passou novamente por trás e sentou na boleia.

Os pensamentos começaram a surgir na minha cabeça e fui ficando de pau duro. Até que o cara puxou um assunto, se eu tinha gostado do caminhão, e me fiz de bobo, me virei para olhar e apoiei minha mão na coxa do macho, e falei nossa que gostoso, ele me perguntou se era a cabine ou os músculos dele, aproveitei e ja entrei no assunto e falei que só tinha visto o musculo da perna e ainda não sabia. Neste momento ele falou que ia facilitar minha decisão e tirou pra fora uma pica monumental, mesmo meia bomba. Então ai foi fácil, passei a mão da perna dele para aquela geba, e fui punhetando e falei pra ele que tudo era gostoso, a perna, a pica e a boleia que era confortável pra eu dar pra ele.

Neste momento ele abriu um sorriso e falou vem cá, e me puxou para ajudar na punheta com a boca, fui mamando e punhetando devagarinho e a pica do meu macho foi endurecendo e crescendo, e o meu tesão foi as alturas .

Ficamos assim um tempo e ele deitou na cama da cabine e eu não largava a pica dura dele, mamando e punhetando sem parar eu já tava louco de tesão, e queria levar no rabo, mas como era muito grande eu aproveitei que ele deitou e fui em cima dele cavalgar, pra eu controlar e não ser arrombado.

Encaixei aquela tora na portinha e fui forçando devagarinho e sentindo ela entrando no meu rabo. Pra mim este é o melhor momento, a hora em que uma tora vai invadindo e ganhando o espaço do cuzinho, é tão gostoso que dá uma moleza nas pernas mas resisti e comecei a cavalgar, segurando no teto do caminhão e deixando aquilo tudo entrar em mim, ficamos assim até não aguentar mais e gozamos juntos, ele como um cavalo e eu como uma puta .

Pensei que tinha acabado, fiquei deitado ao lado dele mas o cara era cheio de energia, e se levantou pegou minhas pernas e apoiou em duas alças, que acho que estavam la pra isso, pois fiquei com o cu arregaçado pra ele, que ficou de joelhos e meteu a maravilhosa tora no meu cu sem dó, pois eu estava lubrificado com a porra dele que ainda escorria, e ele fodeu gostoso e entrava a saia com facilidade, o que era muito gostoso e dava pra sentir bem o movimento de vai e vem na minha bunda, era tanto tesão que de novo não deu pra resistir, gozei e ele ficou bombando mais um tanto e jorrou de novo aquela porra .

Depois disto tudo conversamos um pouco, e ele começou a preparar a viagem de volta, ligou o caminhão e pós na estrada. Mas ainda estávamos pelados na cabine e em algum tempo de viagem, não sei se pelo balanço deu um tesão de novo, e a pica dele deu sinal de vida, e olhando a cena comecei a salivar de vontade, fui me encaixando nas pernas dele e cai de boca na geba do meu macho, e fiquei chupando com gosto, lambendo a cabeçona, descendo e subindo a boca, lambuzando toda a pica, fui chupando tanto que até tava doendo o meu maxilar, mas não desisti, e chupei muito, e ele tava levando o caminhão na estrada tentando se concentrar, até que senti a pica inchar na minha boca e ganhei a porra dele, que lambi e saboreei com gosto.

Em alguns minutos paramos num posto de gasolina, e ele falou pra gente ir se lavar, então fomos aos chuveiros, que neste posto tem chuveiros como vestiários, sem cabines fechadas, mas ele ja sabia e acho que tava ainda com vontade de mais sacanagens, pois entramos e ja fomos pro chuveiro, eu estava me ensaboando de costas e senti uma mão nas minhas costas e quando me virei vi que não era ele e era um outro guincheiro e percebi que ele tinha chamado uns amigos.

E eles falaram, é esta putinha que precisa ser rebocada? Senti um calafrio e vi que tinha o meu macho e mais três caras no banheiro, todos punhetando as picas com vontade de rebocar meu cuzinho. Pensei eu tô fudido, mas era realmente o que eu queria, era ser fudido, e me ajoelhei e comecei a chupar, ganhei as picas na boca, lambi e chupei com vontade, um deles me levantou e meteu no meu cu, enquanto as outras picas estavam se revezando na minha boca, foi uma suruba geral e logo todos foram gozando na minha boca e no meu cu.

Levei tanta pica que ja tava meio zonzo. até que meu macho me levou de volta pro caminhão e falou que agora o serviço tava completo, e ele ia terminar de me rebocar , fiquei pensando será que vou levar mais pica !!!

Entre em contato com o autor em: https://disponivel.uol.com.br/afimsex

Gostaria de enviar o seu conto? Clique aqui!

Mais de #FETICHE
- Vizinho negão roludo tirou meu cabaço
- Vestindo a calcinha da minha esposa
- Sogro come genro
- Primeira vez numa sauna gay
- Primeira vez que fiz dupla penetração
- Macho me estuprou sem dó
- Minha mulher me fez comer outro cara
- Sobrinho no 10
- O segurança me segurou com força e meteu o pau
- Todo gay quer um bombeiro Hétero

COMENTÁRIOS DE QUEM LEU!

Gostou? Deixe seu comentário

Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentário sobre o conto!