Contos Eróticos

#FETICHE Minha esposa me arrombou!

Minha esposa me mandou mensagem no final da tarde dizendo que estava muito cansada naquele dia, eu respondi dizendo que ia fazer uma massagem nela quando chegasse.

Sempre chego em casa alguns minutos mais cedo do que ela, então fui direto para o banheiro, tomei um belo banho, vesti um shorts sem cueca, passei um perfume e estava acabando de me pentear quando escuto ela chegando. Disse para ela tomar um banho que ia preparar as coisas para a massagem, preparei um creme neutro com algumas gotas de óleo de uva, fechei as janelas, para ficar mais escuro, liguei a Tv e procurei um canal no youtube com uma musica bem calma, liguei o ventilador para refrescar um pouco, e fiquei esperando ela sair do banho.

Ela veio enrolada na toalha, então disse para ela tirar a toalha e deitar em cima da cama, ela deitou de barriga para baixo com as pernas entreabertas e tendo a visão de parte da sua buceta e do seu cuzinho que conheço tão bem, já fiquei excitado, mas me concentrei na massagem para que ela relaxasse depois de um dia cansativo.

Logo que comecei a massagem ela me olha e diz que não é justo ela estar pelada e eu de shorts, então tirei meu shorts, sentei em cima dela para massagear as costas, e propositalmente encaixei a cabeça do meu pau na entrada do seu cuzinho e conforme eu me movimentava, meu pau roçava no seu cuzinho, depois de massagear as costas e braços, sai de cima dela e comecei a massagear as pernas, coxas, e obviamente a bunda, passei bastante creme nas mãos e propositalmente passava a mão por dentro da sua bunda, indo até sua buceta, e quando fazia isto sentia ela arqueando um pouco a bunda, sinal de que estava gostando.

As vezes eu deixava a ponta do dedo entrar no seu cuzinho, e voltava a escorregar a mão até sua buceta, que já senti molhada, junto com o creme. Depois de brincar um pouco com ela assim, a virei de frente e comecei a massagear a barriga e seus peitos, bem devagar, pegava nos bicos com carinho e quando ia massagear a barriga, descia novamente para sua buceta e sentia ela suspirar, de olhos fechados, aproveitei o clima e peguei um tubo de lubrificante que já havia deixado no jeito e passei uma boa porção no seu clitóris e comecei a massagear, revezando entre enfiar o dedo na sua buceta.

Quando percebi que ela estava bastante excitada, levantei suas pernas e encaixei meu pau na entrada da sua buceta e fui colocando devagar, até sentir minhas bolas encostarem nela, e comecei a mexer devagar, para não atrapalhar o relaxamento dela, trocamos de posição algumas vezes, de lado, de quatro, deitada, e como estava metendo devagar, curtindo o momento junto com ela, eu ainda ia demorar um pouco para gozar, ela já tinha gozado então disse que queria me fazer gozar também e disse para eu deitar na cama.

Deitei de costas, e ela levantou minhas pernas, pegou o tubo de lubrificante e me disse para lubrificar bem meu cuzinho que queria me ver gozando com ela me comendo, atendi seu pedido e ela também lubrificou seus dedos.

Passei mais um pouco de lubrificante no meu pau e comecei uma punheta lenta mas forte, enquanto sentia seus dedos passando pela entrada do meu cu e entrando aos poucos, ela colocava um pouco e tirava, ai colocava um pouco 2 dedos e voltava a tirar, aquilo me deixou com tanto tesão que fechei os olhos, levantei bem as pernas naquela posição de "frango assado" e deixei ela comandar.

Eu já não sabia se me concentrava na punheta ou nela comendo meu cu, eu estava tão excitado que achei que ela estava me comendo com 2 dedos e quando perguntei quantos dedos ela tinha enfiado, fiquei surpreso pois nem percebi que ela já tinha enfiado 4 dedos no meu cu, ela tirava, colocava novamente, girava os dedos lá dentro, nisso acelerei a punheta porque eu queria gozar, disse pra ela: arromba meu cu que quero gozar, fode meu cu, fode.

Nisso ela colocou o dedão junto com os outros dedos e ficou tentando enfiar a mão toda no meu cu, ela não conseguiu, é claro, mas senti a pressão da sua mão forçando a entrada e alargando meu anel enquanto ela falava que ia arrumar um macho pra me comer, que eu era uma putinha, que ia arrumar um pauzudo pra arrombar meu cu e me deixar com o cu cheio de porra. Não aguentei e acelerei a punheta com aquela sensação do meu cu todo aberto e ao mesmo tempo preenchido, e então gozei muito, muito mesmo, ela ainda ficou brincando com meu cu mais um pouco, mas desta vez diminuindo a quantidade de dedos, até tirar tudo.

Ela estava tão excitada que enquanto eu gozava, ela também se tocava com a mão que estava livre, logo depois que eu gozei, me levantei e terminei o que ela tinha começado, de frente pra ela, ajoelhado na cama, com a mão direita eu massageava seu clitóris, enquanto chupava seu peito e dava mordidinhas no bico. Com a mão esquerda eu enfiava 2 dedos no cu dela e foi assim que ela gozou novamente, com um dedo no clitóris, dois no cu e minha boca no seu peito, caímos os dois na cama, exaustos, mas realizados e satisfeitos. Ela comentou depois que eu estava mesmo com muito tesão, porque ela nunca tinha conseguido me comer daquele jeito, enfiando quase a mão inteira no meu cu, e que eu tinha gozado muito.

Tive que passar Hipoglós no meu cu depois, porque ficou ardendo, mas assim que parar de arder quero repetir tudo novamente.

Entre em contato com o autor em: https://disponivel.uol.com.br/Casadobi

Gostaria de enviar o seu conto? Clique aqui!

Mais de #FETICHE
- Vizinho negão roludo tirou meu cabaço
- Vestindo a calcinha da minha esposa
- Sogro come genro
- Primeira vez numa sauna gay
- Primeira vez que fiz dupla penetração
- Macho me estuprou sem dó
- Minha mulher me fez comer outro cara
- Sobrinho no 10
- O segurança me segurou com força e meteu o pau
- Todo gay quer um bombeiro Hétero

COMENTÁRIOS DE QUEM LEU!

Gostou? Deixe seu comentário

Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentário sobre o conto!