Contos Eróticos

#SEXO ANONIMO No posto de gasolina

Tenho 49 anos, sou claro, careca, barbudo, tenho 1,75, peso 74 kg. Pau de 18 cm, bonito, reto e gostoso. Sacudo. Curto tudo, na hora do tesão vale tudo por uma gozada.

Sempre vou a Santa Catarina e já tenho meus postos preferidos para usar o banheiro, abastecer, fazer um lanche, e esticar as pernas. E sempre viajo com meu companheiro, que é bem safado e também curte putarias comigo.

Desta vez ele não estava. Parei no tal posto em Araquari, cidade depois de Joinville. É um posto muito bom, grande, tem um restaurante enorme. Mas fecha antes mesmo da meia noite. Porém, lá nos fundos, fica aberto um banheiro 24 horas. É onde estacionam os caminhoneiros para passar a noite, tem muitos chuveiros, um banheiro enorme. Quem viaja por essa estrada conhece esse posto porque é um dos maiores.

Enfim, estacionei, tudo estava muito quieto porque já passava da meia noite, eu estava bem cansado e queria dar uma esticada nas pernas e dar uma mijada. Entrei e o banheiro estava totalmente vazio, mijei e quando estava terminando entra um sujeito bem interessante, cara de caminhoneiro mesmo (depois fiquei sabendo que era mesmo caminhoneiro), tipo magro, uns 35 anos, via-se que era forte, naturalmente forte. Cabelo preto, cavanhaque, tipo bem masculino e normal, usava um destes shorts de futebol, de malha, bem largo mas dava facilmente para perceber a mala dele, pau virado para o lado, coisa linda, continuei mais um pouco ali balançando o pau e ele percebeu que eu olhei bem para a vara dele, claro.

Veio para o mictório, ficou não muito perto e tirou a rola para mijar. Ele me cumprimentou, disse boa noite, tudo beleza? Respondi e já dei uma outra olhada na pica dele, claro, já estava meio bomba e vi o cabeção. Falei como estava calor e que eu estava cansado, que tinha parado para dar uma relaxada e tal. Ele disse que pernoitaria ali, que já estava mais descansado, que já havia jantado, blá blá blá, conversinha.

De leve eu já estava socando uma no meu pau, ele percebeu e vi que começou uma de leve também, já dava para ver que não era uma mijada que ele estava querendo aquela hora. Guardei meu pau na cueca e fui discretamente até um dos reservados, que ficava ali bem perto, para ver se ele ia atrás. Por sorte o reservado estava limpo ( e esse banheiro é sempre muito bem mantido).

Ali abaixei minha bermuda e cueca e fiquei mexendo no pau. Tirei a camiseta e joguei em cima do vaso, para eu sentar na tampa. Logo ele foi chegando, bem safado, já estava com o pau na mão e duro pois o banheiro estava vazio. Entrou no reservado e eu já fui mamando aquela pica com gosto. Que maravilha, que rola deliciosa. Parecia a chupada mais gostosa da minha vida, aquele macho roludo, uns 18 cm, e cabeçudo, enfiando na minha boca até a garganta. Às vezes eu ficava só com a cabeçona na boca, passando a língua naquele mastro e imaginando o leite do macho jorrando na minha boca, ele gemia baixinho mas de um jeito bem de macho mesmo. E ainda por cima, enquanto eu sugava aquela rola, massageava as bolas do caminhoneiro e ficava vendo a aliança na mão esquerda.

Alguém consegue imaginar o tesão que eu estava?? Minha rola estava explodindo de tão dura e meu cuzinho já piscava de vontade. Mas até aquele momento eu não sabia se ele me comeria ou não, ou eu é que o comeria? Para mim o tesão estava igual, dar ou comer seria a glória. Mamei bastante aquela rola e estávamos tranquilos porque dava para escutar passos se alguém se aproximasse. Levantei um pouco e ele pegou meu cacete, deu umas apertadas e começou a lamber meus mamilos, vi estrelas nessa hora, achei que não aguentaria de tanto tesão e o melhor, ele se abaixou e mamou minha rola também, safado engoliu tudo e daí começou a passar o dedo no meu rabo, tirou meu pau da boca, cuspiu nos dedos dele e ficou me sarrando no rabo, me deixando tarado de vontade de sentar naquela piroca de macho.

Meu rabo já estava com dois dedos, ele tirava e colocava, me deixando louco de vontade de rolar rola. Falei para ele para irmos a um reservado mais escondido, tem muitos lá, então ficaríamos bem no fundo do banheiro, daria tempo de disfarçar caso alguém entrasse. Quis sugerir de ir até a boléia do caminhão dele mas confesso que fiquei um pouco receoso. A essa altura do campeonato, era melhor dar um jeito de gozar ali mesmo. Ele topou e fomos a um reservado bem no fundão, estava limpo também.

Tirei toda a minha roupa e ele também, que loucura rsrsrs vi que era o tipo magrão com pelos, bem do tipo que eu gosto, pauzudo, com cara de safado, voltei a mamar aquela rola e queria que aquilo durasse uma vida inteira, um verdadeiro sonho realizado de mamar um macho caminhoneiro em pleno posto de gasolina, lembrei do meu companheiro na hora, o puto também ia gostar dessa putaria toda. Chupei, chupei muito e daí ele diz no meu ouvido que quer meter no meu cu, Ó glória!!!

Levantei e me virei para a parede, apoiado em cima do vaso e ofereci meu traseiro para aquela delícia, ele veio, se abaixou e já enfiou a língua fundo no meu orifício. Eu já nem encostava mais no meu pau porque mais um pouco e eu já ia jorrar leite longe naquele lugar. E eu não queria gozar rápido, claro, depois de me línguar muito, cuspiu bem no meu rabo, pegou firme na minha bunda e veio encaixando a rola no buraquinho, coisa mais gostosa do mundo porém eu não deixei entrar porque estava sem camisinha.

Ele ficou de levinho, tirando e pondo aquela cabeçona no meu cu, eu piscava e mordia aquela delícia querendo tudo. Mas falei, espera um pouco, vou no carro rapidinho e pego camisinha. Já aproveito para ver se está tudo ok, a essa altura eu já queria que chegasse até mais um, vontade de foder e trepar com uns 10 machos rsrsr.

Voltei, estava tudo tranquilo mesmo, entrei no reservado e ele estava sentado no vaso, com cara de putão e com aquela vara apontada pra cima, duraça. Mais que depressa coloquei a camisinha e me afundei naquela rola como se fosse a última noite da minha vida, subia e descia na picona do macho, ele gemia baixinho dizendo que era muito bom comer o cu de outro macho, que eu não valia nada, que era um vagabundo, chupador de rola, viado do cu guloso, eu estava louco de tesão com aquilo tudo, parecia filme pornô amador, dos melhores.

Logo ele me pediu para meter em pé, e por sorte, quando ele tirou o pau do meu rabo, tudo estava limpinho, ou seja, podíamos foder muito mais. Ele me comeu em pé, apoiado no vaso, socou muito meu rabo, eu estava sentindo a pica dele ferver dentro de mim. E aí perguntei se ele queria gozar no meu rabo ou no meu peito. Ele respondeu bem baixinho no meu ouvido: quero encher tua boca de leite, tem muito aqui, dois dias sem gozar. Caralho, que sonho realizado isso!!! Deixei ele socar meu cu mais um pouco e daí ele tirou a camisinha, sentei no vaso e ele começou um vai e vem na minha boca, com o pau bem duraço e eu senti que logo vinha minha recompensa.

Enquanto ele socava minha boca, minha garganta, eu massageava aquele sacão gostoso de macho. Em pouco tempo a coisa começou a ficar mais forte, vi que ele já estava indo pros últimos minutos do jogo, querendo marcar gol e minha boca era o gol naquela hora. Então começou a gemer mais forte e logo senti o pau inchar e comecei a receber os jatos daquela porra quente e grossa, dois jatos foram direto para a garganta, nem pude pensar em recusar. Engoli com gosto pra caralho e continuou saindo leite na minha boca, fiquei de boca cheia de leite, me deliciando.

Ele tirou a pica e ficou passando nos meus lábios, eu cuspi um pouco da porra na cabeça dele e fiquei engolindo aquela cabeça melada, sentindo aquele gosto delicioso de porra de macho. Claro que na hora comecei a espirrar leite também e acho que tive um dos orgasmos mais fortes da minha vida. Não desperdicei a porra dele, engoli toda. E ele ainda ficou um tempo enfiando a pica na minha boca, suguei até a última gota, deixei a vara dele super limpa, ele se vestiu, falou que precisa ir ao caminhão para dormir, que precisava acordar cedo.

Disse: valeu cara, valeu muito. Vou lembrar sempre de você quando passar por aqui. Imagina se eu também não vou lembrar dele para sempre? Contei tudo para meu companheiro no outro dia e ele gozou batendo uma punheta e ouvindo minha história.

Passamos sempre por lá, quem sabe nos encontramos novamente? Ou outro caminhoneiro safado que curta outro macho, sem afetação, sem frescura. Macho que gosta de macho. Valeu, espero que gostem.

Gostaria de enviar o seu conto? Clique aqui!

Mais de #SEXO ANONIMO
- Dando o cu depois de casado
- Trepando com o caminhoneiro casado
- Ex-presidiário falou que eu ia chorar na rola imensa dele
- O pedreiro
- Fui menina pra ele
- Comi o filho da faxineira
- Ex-funcionário do meu pai me fez feliz pela primeira vez
- Exame de próstata com final feliz
- O velho da construção
- Padre ajoelhou, rezou e chupou

COMENTÁRIOS DE QUEM LEU!

Gostou? Deixe seu comentário

Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentário sobre o conto!