Contos Eróticos

#FETICHE O pedreiro caralhudo fodeu meu cu

Há um tempo atrás, estava fazendo uma reforma no meu apartamento e precisei da ajuda de amigos para me indicarem um bom profissional. Depois de muita pesquisa, acabei contratando os serviços de um cara bem polivalente nessa área de reformas em residências. E para minha surpresa, o Paulo, além de super gabaritado para o serviço, ainda era gostoso pra caralho, e isso me deixou com muito tesão.

Após uma semana de obras, a reforma estava quase concluída e a minha excitação à flor da pele. Resolvi puxar conversa com ele e falar sobre amenidades e descontrair um pouco. No decorrer desse bate-papo, entramos no assunto que envolvia sexo e para minha surpresa, ele se sentiu á vontade. Falamos tanta putaria que em questão de segundos, já estava mamando a rola dele.

Paulo enfiou seu mastro grosso na minha boca até eu engasgar e começou a foder minha garganta como quem fode um cu. Ele continuou enfiando seu caralho fundo na minha boca que eu não conseguia mamar por inteiro. Eu tentava chupar e engolir o cacete dele, mas era quase em vão por ser muito grande e bem grosso. Isso foi me dando tanto tesão que ja imaginava como seria ter a bunda fodida por um pau enorme como aquele.

Paulo me colocou de quatro na cama, e foi enfiando a língua no meu cu. Fiquei todo arrepiado e muito excitado com aquela língua quente umedecendo a minha rosquinha.

Eu então, peguei um lubrificante, lubrifiquei bem o meu anel e a picona dele, afastei as pernas dele, me colocando de cócoras e fui sentando naquela jeba grossa.

Quando ele enfiou a cabeçona arroxeada da sua pica, senti que iria arrebentar todas as minhas pregas. Doeu muito, eu gritei e parei um pouco pra me acostumar com o invasor dentro do meu cu. Depois de ficar com as pregas mais relaxadas, fui enfiando devagar o cacetão dele no meu cu até o talo.

Parecia que ele ia me partir ao meio, mas ao mesmo tempo, estava sentindo muito tesão em ter aquele pirocão todo atolado em mim.

Me sentia que estava sendo rasgado e literalmente arrombado por aquele macho fodedor de cu. Paulo me colocou de quatro e começou a bombear o meu buraco. A impressão que eu tinha era que a cada estocada que ele dava, um salame italiano entrava no meu rabo.

O prazer de desfrutar de uma vara grande e grossa, foi me deixando com mais tesão é ainda. Percebendo que eu estava adorando ter o cu deflorado pelo seu pauzão delicioso, Paulo acelerou as estocadas me fazendo peidar sem cerimônias.

O fato de ter peidado a primeira vez dando a bunda, me deu uma sensação de prazer tão grande que comecei a rebolar na vara dele, até que gozei pelo cu sem encostar no meu pau.

Quando ele sentiu meu cu estrangulando seu pau por causa do gozo, ele socou mais forte, até que senti aquele caralhão inchar dentro de mim e esporrar dentro do meu cu arrombado. Fiquei com o rabo tão anestesiado de tanta pica que levei que acabei cagando também no pau dele.

Ficamos parados por um tempo. Eu como agradecimento pela foda espetacular, ainda chupei o seu pau que mesmo tendo gozado, se manteve ereto por alguns instantes.

Depois da reforma, ainda tivemos várias outras transas, até que Paulo se casou com a sua antiga namorada e ficou só as boas lembranças das fodas gostosas com o meu pedreiro caralhudo.

Gostaria de enviar o seu conto? Clique aqui!

Mais de #FETICHE
- Vizinho negão roludo tirou meu cabaço
- Vestindo a calcinha da minha esposa
- Sogro come genro
- Primeira vez numa sauna gay
- Primeira vez que fiz dupla penetração
- Minha mulher me fez comer outro cara
- Macho me estuprou sem dó
- O segurança me segurou com força e meteu o pau
- Sobrinho no 10
- Todo gay quer um bombeiro Hétero

COMENTÁRIOS DE QUEM LEU!

Gostou? Deixe seu comentário

Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentário sobre o conto!