Contos Eróticos

#ENTRE AMIGOS Troca-troca com o meu melhor amigo

Meu nome é Carlos Daniel, tenho 40 anos, 1, 85 m, 100 kg aproximadamente e um tesão sexual que chega á impressionar os meus parceiros. No tempo de escola, eu tinha um amigo fiel e confidente que o tempo tratou de nos separar devido muitas circunstâncias. E por ironia do destino, depois de muitos anos sem contato, o reencontrei com ajuda das redes sociais. Lhe convidei para ir em meu apartamento, tomamos umas cervejas e colocamos o papo em dia.

Entre lembranças da adolescência, gargalhadas intermináveis e boa conversa, entramos no assunto sexo, que o deixou um pouco constrangido. Eu comecei a revelar minhas experiências sexuais para ele, inclusive que já tinha comido cu de homem.

Ele meio incrédulo com a minha revelação me disse que já tinha experimentado também, mas só como ativo. Nesse momento, eu dei uma encarada sacana nele e não me contive, dei lhe um beijo na boca e a pegação começou a rolar sem precedentes. Eu sempre morri de tesão por ele, mas nunca toquei no assunto para não ser taxado de gay entre os homofóbicos da época. Mas depois de algumas cervejas e a libertação desse desejo reprimido, me veio a mente que sempre tive vontade de comer a bunda malhada do meu melhor amigo.

Como eu havia tomado as rédeas desde o início, nada mais justo que desse uma bela mamada na sua pica para quebrar o gelo. Abocanhei sua rola gostosa lhe arrancando muitos suspiros de prazer. Ele entrou literalmente no clima e começou a foder minha boca quase me sufocando com o seu pau grosso. O jogo se inverteu a favor dele, quando o mesmo se tornou o dono da situação. Ele começou a chupar o meu cu me levando ao delírio. Até então, nunca havia sido tão bem chupado no rabo como naquele momento, confesso que quase gozei gostoso com a língua dele no meu cu. Dei mais uma chupada no pau dele que me impressionou pelo tamanho e, principalmente, pela grossura. No meio da felação, ele também revelou que o seu maior desejo desde muito tempo era ter tido o prazer de comer meu cu. Quase desmaiei com o seu relato. Falei que poderíamos tentar realizar esse desejo, fazendo um gostoso troca - troca. Peguei o KY e untei bastante o meu anelzinho virgem, lubrifiquei bastante o seu cacete e me preparei para ser penetrado. Ele me posicionou de quatro e foi enfiando devagar aquela tora que foi abrindo caminho dolorosamente pra dentro do meu cu. Senti cada centímetro de seu pau arrebentando as minhas pregas pra se alojar dentro de mim. Meu cu ardia tanto que pensei em desistir. Foi aí que ele deu um tempo pra meu cu se acostumar com a dor, e depois prosseguiu enfiando até o fim. Quando senti que já estava com 20 cm atolado no meu rabo, me deu uma vontade absurda de cagar. Falei pra ele tirar o pau do meu cu senão eu iria acabar me cagando todo.

Quando ele tirou a pica do meu cu, já veio toda suja de merda, o meu constrangimento foi evidente, mas ele gentilmente me tranquilizou. Tomamos uma ducha juntos e lá mesmo ele me enrabou outra vez. Com a ajuda do xampu, sua vara deslizou macia pra dentro do meu cu, terminando de me descabaçar, e me enchendo de prazer. Ele sentou no vaso e eu comecei a cavalgar na sua piroca gostosa, arrombando o meu cu ainda mais. Voltamos para o quarto e ele me pegou de quatro outra vez. Agora com o cu bem mais laceado, pude sentir a dimensão exata da sua rola. Ele começou a empurrar sua vara com tanta força no meu rabo que não consegui controlar a vontade de peidar. Fui bombado a exaustão até gozar com o pau dele todo atolado no meu rabo. Em seguida ele também gozou um rio caudaloso de porra dentro de mim. Caímos os dois exaustos, mas bem satisfeitos nesse primeiro round.

Lá pelas duas da manhã, eis que acordo com o meu amigo safado chupando o meu pau. Ele estava quase engasgando com o pau na boca, mas ainda assim, lambia a cabeça e chupava as bolas como se fizesse isso a vida inteira. Eu estava adorando ser chupado por ele. Mandei que ficasse de quatro na cama, chupei o seu cuzinho gostoso e lubrifiquei bastante para enfiar a minha pica nele.

Fui enfiando a minha vara devagar, mas por ser muito grossa mal entrava no seu buraquinho apertado. Fui forçando e puxando ele pelos quadris até a cabeça encaixar com dificuldade e abrir caminho no seu traseiro gostoso.

Ele empinou bem a bunda, fui metendo até sentir a cabeça alargando seu cu e entrar gostoso. Ele soltou um grito de dor e pediu pra parar, pois não estava aguentando. Nisso, ele voltou a empinar a bunda outra vez, colocando um travesseiro embaixo da barriga para facilitar a penetração.

Peguei forte o seu quadril e minha pica deslizou com tudo pra dentro do seu cu. Ele começou a rebolar e pedir mais e mais pica no cuzinho. Aproveitando que ele se acostumara com meu cacete no rabo, comecei a bombar e fazer o puto se peidar no meu pau. Depois de tanto socar o cu do meu amigo, logo veio uma vontade muito intensa de gozar. E entre socadas e muitos gemidos, eu despejei todo meu gozo no rabo dele e o puto desabou em cima de mim gozando em sequência. O meu pau foi amolecendo e escapou da bunda dele, junto veio um cheiro de merda, anunciado que ele tinha me cagado todo. Depois desse dia, passamos a nos ver com mais frequência e a transar mais ainda. O resto fica para uma próxima oportunidade.

Gostaria de enviar o seu conto? Clique aqui!

Mais de #ENTRE AMIGOS
- Comecei novinho
- Aprendi novinho a gostar da coisa
- Aniversário do Vovô
- O Namorado da minha Filha
- Surpresa com o pai do colega
- Meu marido deu a bunda
- Tinha de ser fêmea
- O amigo mentiu e me comeu
- Comi meu vizinho casado
- Fomos fuder a travesti e acabei lascando o cu do meu amigo

COMENTÁRIOS DE QUEM LEU!

Gostou? Deixe seu comentário

Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentário sobre o conto!