Contos Eróticos

#FETICHE Sonho ou Realidade?

Sou um jovem paulistano comum, casado com uma mulher. Tenho 25 anos, e sempre tive certas curiosidades acerca de como seria desfrutar uma situação homossexual. Não me considero gay, mas sempre gostei de ver o membro masculino ejaculando, ou uma safada bem gostosa chupando e linguando uma cabeça de rola. Não sinto atração por homens, porém a curiosidade sempre esteve presente.

Com o tempo isso foi aumentando, e comecei a querer muuuuito chupar um pênis. Sempre que assistia os vídeos, imaginava a boca feminina sendo a minha, e me excitava muito. A vontade presente, porém nunca tive coragem de partir para a prática. Um certo final de semana fui convidado para uma festa por uma amiga, que me disse que seria mais liberal que o normal, porém que se não quisesse fazer nada não tinha problema. A ideia era realmente confraternizar, uma vez que eu sou casado.

Nessa festa conversei com muita gente, vi bastante mulheres e tive diversas vontades. Mas o ponto principal foi um homem que estava no canto da sala, sentado em uma poltrona e massageando a própria rola (ainda vestido). Uma mulher se aproximou e ele começou a beija-la, fazendo com que ela ajoelhasse e começasse um boquete. A rola dele era maravilhosa, e logo comecei a me imaginar ali no lugar daquela vadia.

Ela chupava com vontade e eu olhava quase que sem conseguir disfarçar, foi quando ele notou a situação e começou a freneticamente olhar para mim. Ela chupava, enquanto ele me observava com desejo, e eu fingindo que não via, pois até então eu era um estranho no local e estava sem graça. Não tive coragem de tomar nenhuma atitude e como já estava com umas bebidas na cabeça, fui para um quarto repousar.

Estava repousando, mas ainda muito excitado, lembrando o tempo todo daquele pênis gostoso. A excitação era tamanha que precisaria me masturbar.

Eis que adentra o quarto uma silhueta masculina, como estava escuro não sabia quem era. Foi se aproximando e eu mantive-me imóvel, aparentando estar dormindo. Comecei a escutar um barulhinho de coisa melada, que pouco a pouco se aproximava, com leves gemidos intercalados. Quando menos espero sinto algo tocando meus lábios, era quentinho, úmido e logo já soube do que se tratava, era aquele pênis magnífico! Como fingia estar dormindo, permaneci com a boca fechada, enquanto ele esfregava a glande nos meus lábios devagarinho, como se não quisesse me acordar. Eu já estava louco de tesão e queria abocanhar aquela rola, que já estava toda babada, espalhando aquele líquido na minha face.

Pouco a pouco ele foi aumentando a intensidade do ato de esfregar, e eu delirando de prazer, desejando que ele colocasse logo dentro da minha boca. Ele forçou um pouquinho e eu dei aquela ajudada, abrindo um pouco mais a boca. Ele colocou levemente a ponta da cabeça dentro da minha boca, momento em que não me contive e coloquei a língua. Ele notou e já se entregou a situação, vendo que eu estava gostando, forçou mais um pouquinho. Eu estava com receio e era minha primeira vez nesse tipo de contexto, então preferi continuar fingindo que estava dormindo ou atordoado pela bebida. Ele enfiou um pouco mais e eu comecei a mexer mais a língua, até que entrou aquele pau maravilhoso na minha boca! Ele gemia de prazer e eu, involuntariamente, também.

Ficamos nessa brincadeira algum tempo, eu lambendo aquela rola gostosa, que babava de prazer. Comecei a me masturbar discretamente, pois já quase explodia de tesão. Em alguns momentos ele tirava o pau, se masturbava bem pertinho, esfregava no meu rosto e depois recolocava o membro em meus lábios e boca. Notei que ele começou a ficar mais eufórico, a rola pulsava na minha boca enquanto eu lambia! Era maravilhoso, eu sentia o prazer que ele estava tendo, até que começou a pulsar mais e mais. Pulsava, eu chupava mais dedicadamente ainda, pulsava, eu lambia gostoso, pulsava e eu me masturbava e gemia baixinho, pulsava até que gozou!

Senti aquele caldo quente na minha boca, escorrendo nos lábios e pescoço! Foi uma delícia, mas não engoli, pois era minha primeira experiência e tive medo de acabar tendo alguma repulsa involuntária. Mas aquele pau gozando foi uma delícia, senti todo aquele mel na minha cara, e ele esfregava todo gozado e melado nos meus lábios e rosto.

Ele recompôs a sua calça, e saiu. Eu todo gozado na cara, percebi que tinha gozado também, de tanto prazer que foi aquela experiência. Gostaria muito de fazer de novo, mas ainda não achei uma oportunidade tão gostosa, quanto esse sonho que vivi!

Entre em contato com o autor em: https://disponivel.uol.com.br/Ldiego57886f53

Gostaria de enviar o seu conto? Clique aqui!

Mais de #FETICHE
- Vizinho negão roludo tirou meu cabaço
- Vestindo a calcinha da minha esposa
- Sogro come genro
- Primeira vez numa sauna gay
- Primeira vez que fiz dupla penetração
- Macho me estuprou sem dó
- Minha mulher me fez comer outro cara
- O segurança me segurou com força e meteu o pau
- Sobrinho no 10
- Todo gay quer um bombeiro Hétero

COMENTÁRIOS DE QUEM LEU!

Gostou? Deixe seu comentário

Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentário sobre o conto!