Contos Eróticos

#SEXO ANONIMO Trasando no perigo

Estava em viagem a trabalho na cidade de Floriano PI. Pelo site contactei um cara do disponível e no dia de folga fui me encontrar com ele. Marcou comigo na praça da cidade, já que eu dividia o quarto de hotel com um colega de trabalho.

Assim que cheguei na praça ele veio ao meu encontro e me levou ao seu local de trabalho dizendo: temos que ser rápido a funcionária que trabalha comigo saiu pro almoço. Era uma loja pequena, sem janela E com uma única porta de metal que fica enrolada em cima quando aberta.

Ele abriu, entramos mas ele deixou meio metro aberto para que não sufocássemos de calor. A princípio achei estranho, dava pra ver os pés das pessoas que passavam na calçada. Pensei em desistir, mas quando ele botou o pau pra fora não resisti.

Ele foi logo me empurrando pra baixo e colocando o pau na minha boca. Chupei ainda desconfortável pois via o movimento na rua. Ele notou minha preocupação e disse pra eu não me preocupar. Tirou toda a roupa e pediu pra eu fazer o mesmo. A cada peça que eu tirava mais excitado eu ficava e nem estava mais preocupado com quem passava tão perto. Ali do outro lado pessoas passavam e nós dois pelados prontos pra Foder. A sensação era indescritível. Havia lá um sofá surrado de dois lugares ele sentou -se e disse: vem.

De repente o tesão falou mais alto. A sensação de perigo, de que alguém de repente iria empurrar a porta pra cima ou simplesmente olhar por baixo me excitava cada vez mais.

Apoiei os joelhos no sofá e fui arriando o corpo até sentir a cabeça do pau dele no meu cu. Gemi alto. Ele começou a pressionar minha cintura pra penetrar fundo, eu resistia fazendo movimento contrário e mesmo assim sentia a cabeça forçando a entrada. Ele parou de forçar e puxou meu rosto encostando sua boca na minha e chupando a minha língua a seguir.

Aquele beijo foi tão delicioso que eu fraquejei as pernas e cai sentado no seu colo e seu caralho deslizou inteiro pra dentro de mim. Demos um gemido dentro da boca um do outro ao mesmo tempo. A excitação era tamanha que comecei a ejacular sem tocar no meu pau e ele ao ver minha porra atingindo seu peito gozou também e ficamos ali agarrados quase desfalecidos de tanto prazer.

Mas tivemos que nos vestir rápido por causa da hora de retorno da funcionária. Como fiquei quase uma semana na cidade, nos encontramos ainda outra vez, mas isso é uma outra história pra próxima oportunidade!

Entre em contato com o autor em: https://disponivel.uol.com.br/Picaerola

Gostaria de enviar o seu conto? Clique aqui!

Mais de #SEXO ANONIMO
- Dando o cu depois de casado
- Trepando com o caminhoneiro casado
- Ex-presidiário falou que eu ia chorar na rola imensa dele
- O pedreiro
- Fui menina pra ele
- Comi o filho da faxineira
- Ex-funcionário do meu pai me fez feliz pela primeira vez
- Exame de próstata com final feliz
- O velho da construção
- Padre ajoelhou, rezou e chupou

COMENTÁRIOS DE QUEM LEU!

Gostou? Deixe seu comentário

Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentário sobre o conto!