Contos Eróticos

#OUTROS Meu amigo Padre Pauzudo

Já fazem alguns anos. Tinha poucas experiencias homo. Mudei para uma cidade do interior de São Paulo , era meio do ano e família não veio. Na primeira viagem de ônibus sentou ao meu lado um homem que se tornou meu amigo. Estava em trajes normais e depois de alguns minutos revelou que era padre na cidade que eu estava indo trabalhar.

Nos tornamos amigos, ele pintava quadros e nos tornamos confidentes. Ele era um pouco mais velho que eu corpo parecido, mulato quase negro contrastando comigo que sou bem branco. Num primeiro momento não houve atracão física, era uma amizade mesmo, tanto que durante quase um mês nada rolou e eu nem pensava nisso.

Sempre ia na igreja que ele trabalhava, haviam pelo menos 4 padres por lá pois havia um pequeno colégio junto. Um dia estava me sentindo muito carente pois estava longe de toda família e fui fazer uma visita a ele no final de tarde pois la todos dormiam cedo.

Ele estava no quarto dele pintando e sentamos para conversar e ele percebeu que eu estava triste e para me animar sugeriu que eu pintasse um quadro. Ele veio me ensinar chegando próximo me explicando como eu deveria passar o pincel na tela.

Ele pegou minha mão para ajudar e ficou bem próximo e pela primeira vez senti uma atracão física por ele. Fiquei envergonhado comigo mesmo, mas era real o tesão. Depois de uns minutos eu me sujei todo de tinta e comentei que tinha vindo direto do trabalho pois estava triste.

Ele perguntou se eu queria tomar um banho e disse que sim. Ele me deu uma toalha, o quarto era uma suite ampla, mas simples e com poucos moveis. Bem sai do banheiro limpo e envolto na toalha e ele me perguntou se estava me sentindo melhor e disse que sim mas disse que estava triste e carente.

Ele veio até mim e do nada me de um abraço e disse calma que estou aqui. Na hora meu pau ficou duro e tentei me afastar dele mas ele não deixou pois fiquei envergonhado. Ele me disse junto ao ouvido relaxa Beto eu sei do que você precisa.

Foi quando ele me deu um beijo de língua longo e eu aceitei. Ele logo me disse que também estava carente. Deixei a toalha cair e ele começou a me beijar o corpo. Lambia tudo começando da nuca e de repente me virou de costas e me deu um apertão na bunda, eu percebi o que ele queria.

Ele carinhosamente foi descendo e do chegou na bunda ele afastou levemente minhas nádegas e começou a lamber e chupar meu cuzinho. Eu entregue, deixava ele fazer tudo, minha tristeza havia virado tesão.

Ele tirou sua roupa e eu não havia visto ainda mas quando ele me fez virar e vi que ele tinha uma vara de ator de filme pornô, medindo pelo tamanho da minha devia ter uns 23/24cm. Ai ele me pôs pra mamar e falava, sua carência era de rola neh?

Eu olhava pra ele mamando e consentia e ele falava então mama meu branquinho segurando minha cabeça e atolando a varona na minha garganta, me deixando sem ar dizendo eu também to carente de um cuzinho.

Ai ele disse agora vou acabar de vez com sua carência vou te comer. Respondi na lata que não queria porque ia me machucar e ele disse calma você não queria rola então vou te por ela e você vai gostar.

Depois disso ele me fez ir cavalgar nele de trás e de frente, ele abria minhas nádegas pra facilitar e colocava e tirava devagar no meu cu ia laceando ele devagar, a cabeça da vara e foi nesse movimento até atolar a rola inteira, sentia ela tocar minha próstata e ele já ai metia com mais vontade e falava agora quero que você vire minha putinha.

Então geme que nem puta na minha rola e eu gemia e ele falava isso quero macho que vire fêmea na minha rola e falava nossa que bundinha branquinha lisinha e linda e que cuzinho gostoso vc tem, rebola mais na minha rola minha putinha.

Eu rebolava e gemia e sentia aquele pica indo até o talo e ele ainda dava tapas na minha bunda e falava não era rola que você queria então toma minha vadia, se soubesse tinha comido esse cuzão logo no primeiro dia.

Ai perguntei se ele ia gozar e ele disse que primeiro queria que a putinha dele gozasse no que me pôs de frente cavalgando, nele dando tapas na minha bunda e dizendo goza minha putinha vadia e eu de pau duro cavalgando logo comecei a gozar sem me tocar em cima dele e ele disse isso goza minha branquinha vadia, aquele padre amigo tinha virado um metedor.

Quando acabei de gozar ele disse agora é minha vez, me fez deitar de frente e mandou eu punheta-lo e logo ele gozou e me deu um banho de porra, era muita porra que logo espalhei pelo eu peito e cara.

Me mudei 2 meses depois, mas nesse período ia quase todo dia na igreja e ele brincava, nossa ta carente de novo. Já metíamos quase todo dia, nunca pensei que levar rola grande poderia ser tão bom...

Entre em contato com o autor em: https://disponivel.uol.com.br/fiodentalgostosoSP

Gostaria de enviar o seu conto? Clique aqui!

Mais de #OUTROS
- Depilação com meu filho
- Dando pra dois irmãos
- Enfim transei com meu irmão
- O adolescente pauzudo
- Amigo do meu irmão
- Fui fazer exame admissional e comi o médico
- Pedi açúcar a meu vizinha e ele me deu piroca
- Meu amigo Padre Pauzudo
- Transando com o Pastor da Igreja
- Meu vizinho cara de mau

COMENTÁRIOS DE QUEM LEU!

<

Adorei... meu cuzinho piscou muito!!!



Gostou? Deixe seu comentário

Não é permitido informar telefone, email ou outras formas de contato. Apenas para fazer comentário sobre o conto!